Frete Grátis
  • Google Plus

A Tarde de um Fauno e um Lance de Dados (Cód: 1390182)

Mallarmé

Relógio D'água

Ooopss! Este produto está temporariamente indisponível.
Mas não se preocupe, nós avisamos quando ele chegar.

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 46,90 R$ 42,30 (-10%)
Cartão Saraiva R$ 40,19 (-5%) em até 1x no cartão ou em até 2x de R$ 21,15 sem juros
Grátis

Cartão Saraiva

Descrição

«O poema O Fauno ou A Tarde dum Fauno, poderosa estrutura verbal, em tudo superior ao Lance de Dados, foi recusado pela revista Parnasse Contemporain em 1875, ainda que apresentando métrica e rima “oficialmente aceites”. A sua celebridade dever-se-á, decerto, ao Prelúdio escrito pelo compositor Claude Debussy em 1894, o que é injusto. Organizado em função da estrutura parnasiana que eu tive todo o prazer em trair ao traduzir, nele a natureza e o desejo estabelecem um diálogo de paixão que supera os referentes clássicos e os luminosos sinais do simbolismo que, na época, teriam sido o principal motivo da recusa da sua publicação naquela revista. A sensualidade que atravessa o texto não apresenta qualquer marca mental que nos indique o caminho para o árido Absoluto, nem o Verbo parece resultar dum pensamento impotente em equilibrar-se no espaço vazio da Ideia. (…) O Lance de Dados é, como se sabe, o último poema de Stéphane Mallarmé, publicado em 1897, um ano antes da sua morte no lugar de Valvins, junto a Fontainebleau. Como também é sabido, o que surgiu depois foi publicado contra a vontade expressa do poeta. Estamos muito, já muito longe dos “fogosos impulsos” do Fauno e definitivamente encaminhados para a prosódia da imutabilidade do Nada. Em Abril de 1893, o poeta teria afirmado: “Nos meus últimos dias joguei um pouco da minha vida”. Não se dirá que seja profecia, quando se sabe que ao longo de uma existência de 56 anos, Mallarmé, adulto e literato, sempre tentou jogar a sua vida. Mas, como se diria em gíria futebolística, sempre jogou em casa, ao contrário do “andarilho” Rimbaud. Por isso, nada melhor que, na “dúvida do Jogo Supremo”, forçar a palavra ao intemporal dos cristais perdidos, dos logaritmos e da impotência, tendo em conta que o real, na sua plenitude possível, e ncobre e desvela sem nos consultar, criando em nós a angústia do mistério de todos os acasos dos quais esse real é o único senhor. (…)»

Características

Produto sob encomenda Sim
Marca Relógio D'água
Cód. Barras 9789727086290
Altura 21.00 cm
I.S.B.N. 9727086292
Profundidade 1.00 cm
Referência .
Ano da edição /
Idioma Português (Portugal)
Número de Páginas 82
Peso 0.44 Kg
Largura 14.00 cm
AutorMallarmé

Avaliações

Avaliação geral: 0

Você está revisando: A Tarde de um Fauno e um Lance de Dados