Frete Grátis
  • Google Plus

A Tirania da Penitência - Ensaio Sobre o Masoquismo Ocidental (Cód: 2555543)

Bruckner, Pascal

Difel

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 54,90
Cartão Saraiva R$ 52,16 (-5%) em até 1x no cartão ou em até 2x de R$ 27,45 sem juros

Crédito:
Boleto:
Cartão Saraiva:

Total: R$0,00

Em até 1x sem juros de R$ 0,00


A Tirania da Penitência - Ensaio Sobre o Masoquismo Ocidental

R$54,90

Quer comprar em uma loja física? Veja a disponibilidade deste produto
?

Entregas internacionais: Consulte prazos e valores de entrega para regiões fora do Brasil na página do Carrinho.

ou receba na loja com frete grátis

X
Formas de envio Custo Entrega estimada

* Válido para compras efetuadas em dias úteis até às 15:00, horário de Brasília, com cartão de crédito e aprovadas na primeira tentativa.

X Consulte as lojas participantes

Saraiva MegaStore Shopping Eldorado Av. Rebouças, 3970 - 1º piso - Pinheiros CEP: 05402-600 - São Paulo - SP

Descrição

Pascal Bruckner, autor de A euforia perpétua, traça em A tirania da penitência um ensaio sobre o masoquismo ocidental. Em um texto extremamente original e polêmico, o escritor francês (cujo romance Lua de fel foi adaptado para o cinema pelo diretor Roman Polanski), através de análises políticas, culturais e filosóficas, analisa de forma lúcida e surpreendente a tendência da Europa contemporânea a se comportar de forma autoflagelatória. ''Arrependam-se!' Por trás do hedonismo proclamado, eis a mensagem que a filosofia ocidental nos martela há meio século, ela que pretende ser ao mesmo tempo uma palavra emancipadora e a má consciência de seu tempo', escreve Bruckner. 'O que ela nos inocula, em matéria de ateísmo, é na verdade a velha noção do pecado original, o antigo combustível mais forte que o sentimento da falta, quanto mais os filósofos e sociólogos se proclamam agnósticos, ateus, livre-pensadores, mais prolongam a crença que recusam. Como dizia Nietzsche, as ideologias laicas, em nome da humanidade, supercristianizaram o cristianismo e reforçaram sua mensagem.'
O escritor e tradutor Caio Meira, que assina as orelhas, afirma que 'um dos eixos principais do livro recai sobre a polaridade que, apesar de interna ao Ocidente, tem conseqüências radicais para o mundo como um todo: de um lado, os EUA - única superpotência mundial, bastião de uma democracia tanto arrogante quanto desmesurada, o 'colosso fanfarrão' - que se arvoram, aparentemente isentos de toda a culpa, a governar o mundo de forma quase que unilateral; do outro lado, a Europa, lúcida, mas roída por séculos de guerras e chacinas, remoendo as chagas decorrentes do colonialismo que destruiu, escravizou, submeteu, dizimou, saqueou e violou não apenas homens e mulheres, mas também populações inteiras. Para Bruckner, o Velho Mundo não consegue se livrar do fantasma da culpa e por isso, mergulhado num processo de fundo melancólico e masoquista, deixa aos EUA o papel de protagonista solitário na cena do mundo contemporâneo.'
Como todas as obras de Pascal Bruckner, A tirania da penitência é um texto capaz de proporcionar discussões muito bem-vindas à sociedade contemporânea.

Características

Produto sob encomenda Sim
Editora Difel
Cód. Barras 9788574320847
Altura 21.00 cm
I.S.B.N. 9788574320847
Profundidade 1.00 cm
Acabamento Brochura
Número da edição 1
Ano da edição 2008
Idioma Português
País de Origem Brasil
Número de Páginas 240
Peso 0.50 Kg
Largura 14.00 cm
AutorBruckner, Pascal

Avaliações

Avaliação geral: 0

Você está revisando: A Tirania da Penitência - Ensaio Sobre o Masoquismo Ocidental