Artboard 33Artboard 16Artboard 18Artboard 13Artboard 42Artboard 21Artboard 4Artboard 5Artboard 45Artboard 22Artboard 7Artboard 42Artboard 23Artboard 17?Artboard 28Artboard 43Artboard 49Artboard 47Artboard 15Artboard 32Artboard 6Artboard 22Artboard 5Artboard 25Artboard 1Artboard 42Artboard 11Artboard 41Artboard 11Artboard 23Artboard 10Artboard 4Artboard 9Artboard 6Artboard 8Artboard 7Artboard 3Artboard 12Artboard 25Artboard 34Artboard 43Artboard 44Artboard 16Artboard 24Artboard 13Artboard 5Artboard 24Artboard 31Artboard 1Artboard 12Artboard 27Artboard 30Artboard 36Artboard 44Artboard 9Artboard 17Artboard 6Artboard 27Artboard 30Artboard 29Artboard 26Artboard 2Artboard 20Artboard 35Artboard 15Artboard 14Artboard 50Artboard 26Artboard 14Artboard 40Artboard 21Artboard 10Artboard 37Artboard 46Artboard 33Artboard 8

Inês Pedrosa

País de origem: Portugal
Nascimento: 20 de fevereiro de 2018
Site: http://www.inespedrosa.com/
Gêneros Romance
Inês Margarida Pereira Pedrosa nasceu em 15 de agosto de 1962. Conhecida como Inês Pedrosa, publicou o seu primeiro texto na revista Crónica Feminina, tinha apenas 12 anos. Aos 22, licenciou-se em Ciências da Comunicação, na Universidade Nova de Lisboa. Estreou-se como jornalista profissional em 1983, ao ingressar na redação de O Jornal (atual revista Visão) e Dirigiu a Casa Fernando Pessoa, entre fevereiro de 2008 e abril de 2014.

Estreou-se na literatura em 1991, com o livro infantil “Mais Ninguém Tem”, seguindo-se o seu primeiro romance, “A Instrução dos Amantes”, em 1992. “Nas Tuas Mãos”, de 1997, valeu-lhe o Prémio Máxima de Literatura, e “Fazes-me Falta”, em 2003, consolidou-a como uma principais romancistas da atualidade. Ganhou o Prémio Máxima de Literatura com "Os Íntimos" (2010).

Teve intervenção pública nas causas da despenalização da interrupção voluntária da gravidez e do casamento entre pessoas do mesmo sexo, em Portugal, além de ter sido porta-voz oficial e mandatária por Lisboa da candidatura de Manuel Alegre à Presidência da República, em 2006. Ainda no campo da intervenção pública em regime de total voluntariado, prestou serviço ao Estado Português na Comissão de Projectos para a Comemoração do Centenário da República (2005-2006), responsável pela elaboração de um programa multidisciplinar e detalhado.

Foi galardoada com a Medalha de Honra da Cidade de Tomar a 1 de março de 2016. Escreveu duas peças de teatro: “Doze Mulheres e Uma Cadela” (2005, teatro da Trindade, encenação de São José Lapa) e “Socorro, Estou Grávida! “(em co-autoria com Patrícia Reis, encenação de Celso Cleto, 2006)

A sua obra encontra-se publicada no Brasil, Espanha, Itália e na Alemanha.
Leia mais