Frete Grátis
  • Google Plus

Dez Bons Conselhos de Meu Pai - Que Me Ajudaram Muito A Prosperar (Cód: 4834149)

Cerbasi, Gustavo

Fontanar

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 27,90 R$ 24,50 (-12%)
Cartão Saraiva R$ 23,28 (-5%) em até 1x no cartão
Grátis

Cartão Saraiva
Quer comprar em uma loja física? Veja a disponibilidade deste produto
?

Entregas internacionais: Consulte prazos e valores de entrega para regiões fora do Brasil na página do Carrinho.

ou receba na loja com frete grátis

X

* Válido para compras efetuadas em dias úteis até às 18:00, horário de Brasília, com cartão de crédito e aprovadas na primeira tentativa.

Formas de envio Custo Entrega estimada
X Consulte as lojas participantes

Saraiva MegaStore Shopping Eldorado Av. Rebouças, 3970 - 1º piso - Pinheiros CEP: 05402-600 - São Paulo - SP

Descrição

Ao compartilhar suas memórias de momentos que moldaram seu caráter e sua forma de agir perante a vida e a carreira, Gustavo Cerbasi transmite ao leitor os ensinamentos e conselhos que recebeu das figuras que mais o influenciaram, a quem chama de pais: o pai biológico, o tio, o avô materno e o técnico de natação.

Características

Produto sob encomenda Sim
Editora Fontanar
Cód. Barras 9788539004478
Altura 23.00 cm
I.S.B.N. 9788539004478
Profundidade 1.00 cm
Acabamento Brochura
Número da edição 1
Ano da edição 2013
Idioma Português
Número de Páginas 160
Peso 0.26 Kg
Largura 16.00 cm
AutorCerbasi, Gustavo

Leia um trecho

Meus quatro pais

Meu pai, na verdade, divide-se em quatro pais. Não que meu pai Tommaso não mereça todo o crédito pela minha formação e educação. Sem dúvida, ele é um grande homem, grande pai, excepcional educador, honesto e digno. Na verdade, uma de suas maiores qualidades foi ter a humildade de perceber, ainda cedo, que a rotina de trabalho e a preocupação com fazer o máximo para prover a família lhe tomavam um tempo que seria precioso para apoiar minha mãe na educação dos filhos.
Por isso, uma das atitudes mais marcantes de meu pai foi procurar inserir a mim e a minha irmã em ambientes que nos garantissem educação e aconselhamento da mesma qualidade que ele poderia nos dar. Sabendo que estaria ausente, cuidou para que seus filhos estivessem com pessoas que, mais do que presentes, servissem de referência. E quatro dessas referências foram, em minha infância, praticamente referências paternas:

Tommaso Cerbasi, o orientador
Meu pai biológico. Nasceu na Itália e veio para o Brasil ainda pequeno. Após o casamento com minha mãe, Elza, mudaram-se para o Rio Grande do Sul, onde nasci.
Somente quando voltamos para São Paulo foi que meu pai, enfim, cursou a faculdade de administração e começou a assumir posições mais importantes em sua carreira. Mais tarde, eu viria a ouvir muitas histórias do sacrifício que é crescer na carreira sem estudos, e que a carreira dele só deslanchou realmente depois que ele entrou na faculdade. Em razão dos estudos, conviver com meu pai era um luxo de final de semana.
A despeito da presença rara de meu pai ou limitada a citações intimidadoras de minha mãe (“ah, quando seu pai souber disso...”), ele também sempre foi grande referência para minhas decisões. Desde pequeno, quando eu fazia algo errado, ouvia dele algo como “nas empresas, se você não cumprir o prometido, perderá o emprego”. Esses comentários eram odiosos, pois eu não me imaginava trabalhando “nas empresas” (aliás, até hoje não me imagino). Mas a frequência com que o assunto era abordado me dava uma noção da postura de meu pai em relação ao trabalho. Por sua obstinação, ele era rigoroso nas regras, duro nos argumentos, firme na imposição de suas vontades. Sempre que eu o acompanhava em eventos de negócios, os colegas de trabalho se referiam a ele com termos como xerife, carrasco e tirano, principal-mente os subordinados. Ele não era amado por seus colegas de trabalho, mas sim respeitado pela intensidade com que aplicava seus planos e atingia seus objetivos.
Nunca teve grandes luxos, mas o dinheiro nunca lhe faltou. Aposentou-se com a independência financeira garantida, e sabe que, mesmo que viva mais trinta anos, não passará por dificuldades financeiras, pois sabe cuidar do que tem. Mas saber juntar dinheiro não deixa ninguém rico. Mais do que o hábito da poupança, a perseverança e a disciplina, o que aprendi verdadeiramente com meu pai vai muito além das triviais ferramentas lógicas de que precisamos para acumular riquezas.
Acima de tudo, meu pai sempre foi um homem de atitude. Essa foi a grande inspiração. Batalhou para nos garantir dignidade, mas soube reconhecer suas fragilidades e lidar com elas a tempo de evitar que destruíssem a família. Como toda pessoa que trabalha demais, meu pai não pôde estar sempre presente. Por isso, sua maior atitude na fase de pai ausente foi garantir referências saudáveis para os filhos. Fez isso preservando a família como seu maior patrimônio, e esmerando-se para que seus filhos estivessem sempre em um ambiente socialmente saudável, na companhia de pessoas cujos valores pessoais ele admirava.
Por essa atitude de meu pai, estive rodeado de outros grandes homens, que foram muito importantes para mim.

Avaliações

Avaliação geral: 0

Você está revisando: Dez Bons Conselhos de Meu Pai - Que Me Ajudaram Muito A Prosperar

Dez Bons Conselhos de Meu Pai - Que Me Ajudaram Muito A Prosperar (Cód: 4834149) Dez Bons Conselhos de Meu Pai - Que Me Ajudaram Mu... (Cód: 4834149)
R$ 24,50
Dez Bons Conselhos de Meu Pai - Que Me Ajudaram Muito A Prosperar (Cód: 4834149) Dez Bons Conselhos de Meu Pai - Que Me Ajudaram Mu... (Cód: 4834149)
R$ 24,50