Frete Grátis
  • Google Plus

Dia a Dia (Cód: 194528)

Swindoll, Charles R.

Mundo Cristão

Ooopss! Este produto está temporariamente indisponível.
Mas não se preocupe, nós avisamos quando ele chegar.

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 39,90
Cartão Saraiva R$ 37,91 (-5%) em até 1x no cartão

Crédito:
Boleto:
Cartão Saraiva:

Total: R$0,00

Em até 1x sem juros de R$ 0,00


Dia a Dia

R$39,90

Descrição

Buscar a Deus diariamente é uma tarefa que exige muita disciplina, especialmente diante da correria que a vida moderna nos impõe. 'Dia a Dia' é um devocional diferenciado, que procura ir além da reflexão estritamente espiritual, oferecendo também uma palavra de motivação para encararmos a jornada de trabalho, afazeres domésticos e criação de filhos. Outro diferencial deste livro é seu autor. Profundo conhecedor da Palavra, Swindoll nos leva a um nível de espiritualidade cada vez mais profundo.
'Dia a Dia' é um convite para uma jornada de crescimento espiritual que pode começar a qualquer momento durante o ano. Uma maneira cativante de aproximar-se cada vez mais do coração de Deus, através de breves encontros com ele. São 365 mensagens diárias elaboradas por Charles Swindoll, comunicador magistral, cujas histórias cativantes ajudaram milhões de pessoas a encontrar e construir relacionamentos significativos com Deus

Características

Produto sob encomenda Sim
Editora Mundo Cristão
Cód. Barras 9788573254273
Altura 23.00 cm
I.S.B.N. 8573254270
Profundidade 0.00 cm
Acabamento Brochura
Idioma Português
País de Origem Brasil
Número de Páginas 384
Peso 0.44 Kg
Largura 16.00 cm
AutorSwindoll, Charles R.

Leia um trecho

Dia a dia - Charles Swindoll Introdução Atualmente, tudo, até mesmo as boas novas a respeito de Deus, pode ser vendido se estiver em uma embalagem moderna e, ao deixar de ser novidade, vai para a lata de lixo. Há uma grande demanda por experiências religiosas, mas pouco entusiasmo para a perseverante conquista da virtude e pouca disposição para se dedicar a um longo aprendizado do que as antigas gerações de cristãos chamavam de santidade. De maneira arriscada, nossa geração brinca com pensamentos do tipo: "Estou ficando cansado, então, é melhor desistir". Essa atitude não se limita ao campo espiritual. A dieta deve seguir uma disciplina diária, de modo que continuamos gordos. Terminar os estudos é algo a ser feito todos os dias, por isso o deixamos de lado. Cultivar um relacionamento íntimo é penoso, então, recuamos. Trabalhar os conflitos no casamento é um esforço cansativo e diário, então desistimos. Quando permanecer na mesma ocupação torna-se difícil, mudamos de emprego. O pensamento de que "é melhor desistir" está em nós. Certa vez, Ignace Jan Paderewski, famoso pianista e estadista polonês, foi convidado para tocar num grande salão de concertos nos Estados Unidos. Era um evento blacktie um capricho da alta sociedade. Naquela noite, estava no auditório uma mulher que levara o filho de oito anos, esperando que pudesse sentir-se motivado a tocar piano ao ouvir o grande Paderewski tocar. Cansado de esperar pelo concerto e tendo ido contra a vontade, o garoto se remexia inquieto na poltrona. No momento em que a mãe virou-se para falar com amigos, o menino saiu de mansinho e desceu pelo corredor, estranhamente atraído pelo piano de cauda, majestosamente colocado no centro do enorme palco. Sentou-se no banquinho de couro, colocou as mãozinhas nas teclas pretas e brancas, e começou a tocar o "Bife". De repente, a multidão silenciou e centenas de olhares carrancudos o miraram. Irritados e perturbados, alguns começaram a gritar: "Vamos, tirem esse menino daí! Onde está a mãe dele? Alguém o obrigue a parar!" Dos bastidores, Paderewski ouviu o tumulto e o som da melodia despretensiosa. Ao perceber o que estava acontecendo, correu para o palco. Sem dirigir-se à platéia, foi até o menino, estendeu os braços ao redor dele e começou a improvisar uma melodia. Enquanto tocavam juntos, o magistral pianista ficou sussurrando no ouvido do garoto: "Continue. Não desista, filho. Continue tocando... não pare... não desista". O mesmo acontece conosco. Vamos martelando nosso teclado, vida afora, dia a dia, e por vezes aquilo nos parece tão insignificante quanto o "Bife". Então, quando estamos prestes a desistir, chega o Mestre, que se inclina e sussurra: "Não desanime. Continue"; enquanto nos oferece sua melodia de graça, amor e alegria no momento certo. Você é um dos peregrinos exaustos? A estrada está ficando comprida demais? A esperança está desgastada e enfraquecida? Não desanime. Persista... dia a dia. Complete o percurso. Você está desanimado? Fica imaginando se um dia poderá cumprir, como deve, sua tarefa de pai ou mãe? Suas esperanças e sonhos nunca serão realizados? A espera parece muito longa? Não desista... pelo menos, não hoje. Continue ouvindo, dia a dia, as boas novas do Mestre, assim, terá alegria e santidade até que Jesus volte e o leve para casa. Todos os dias, no templo e de casa em casa, não deixavam de ensinar e proclamar que Jesus é o Cristo. Atos 5:42; nvi Não fique aí sentado! Salmos 108 O ano passado completou seu percurso. O ano novo nos sorri com doze meses desconhecidos. Um oceano de possibilidades, incluindo dias repletos de sol e algumas tempestades com ventos uivantes e ondas gigantescas, se estendem por sobre as águas inexploradas. Se não formos prudentes, poderemos ficar com tanto medo dos prováveis perigos, tão preocupados com a segurança, que perderemos a aventura. Ficar sentados inertes na cadeira da praia é uma opção, claro. Alguém que, olhando para o horizonte, cogita possibilidades que começam com "Algum dia..." ou "Dentro de um ano ou dois, eu vou...", mas depois se recosta e continua só observando. O que teria acontecido se Cristóvão Colombo ficasse satisfeito em construir castelos de areia nas praias da Espanha? Sabemos que algumas pessoas ficam um tanto fora de si ao decidirem que uma mudança é necessária. Foi o que aconteceu com Larry Walters. O caminhoneiro de trinta e três anos se mantivera sentado, sem fazer nada, semanas a fio, até que o tédio tomou conta dele. Isso foi no verão de 1982. Então, decidiu pôr um ponto final nessa situação, e para isso precisava de uma aventura. No dia 2 de julho daquele ano, em San Pedro, Califórnia, amarrou quarenta e dois balões de gás a uma cadeira de jardim e alçou vôo. Armado com um revólver que atirava bolinhas, a fim de furar alguns balões se subisse alto demais, Walters ficou chocado ao chegar a quatro mil e oitocentos metros tão rapidamente. Ele não foi o único. Pilotos surpresos informaram aos controladores de vôo perplexos terem visto "um sujeito numa cadeira de jardim flutuando no ar". Passados aproximadamente quarenta e cinco minutos, Walters finalmente teve o bom senso de furar alguns balões, possibilitando um pouso seguro em Long Beach. Quando perguntavam a razão de ter feito algo assim tão estranho, Walters geralmente dava a mesma resposta: "Eu precisava fazer isso... não podia só ficar ali sentado". Entre não fazer nada e tentar algo tão ridículo, há uma grande distância que vale a pena sondar. Pense nas incontáveis coisas que Deus nos ensinará e nas diversas ocasiões em que o veremos trabalhar no próximo ano! Devo, porém, advertir: você precisará mudar... e isso não será fácil. Mark Twain estava certo quando disse: "O único ser que gosta de mudança é o bebê com a fralda molhada". Livrar-se das velhas rotinas é um dos segredos para manter-se jovem e cheio de vida. Uma dieta funciona Salmos 119:1-16 Vamos em frente! Preparados ou não, temos trezentos e sessenta e quatro dias pela frente, esperando pelo investimento de todas as nossas esperanças e novas motivações. Para muitos, o primeiro item da lista é entrar na velha briga com a balança. Basta dar uma olhada nas revistas e nos jornais, para percebermos que estão repletas de anúncios, modismos, fotos de antes e depois, além de promessas poderosas. Por mais que eu esteja preocupado com nosso condicionamento físico no início deste novo ano, estou ainda mais preocupado com nosso condicionamento espiritual. Não conheço nenhuma passagem bíblica que ensine a respeito de precisarmos subir numa balança antes de entrarmos no céu. No entanto, estou sempre tropeçando em versículos que mencionam nossa presença diante do Senhor para algum tipo de prestação de contas espiritual. Com um novo ano à frente, qual seu plano de jogo espiritual? Um bom guia é o Salmo 119:1-16. Você perceberá que os oito primeiros versículos afirmam três absolutos: a realidade da bênção de Deus, a autoridade de sua Palavra e a necessidade de sua presença. O salmista faz as mesmas perguntas que todos nós fazemos no início de doze novos meses. Como posso manter minha vida pura (v. 9)? Qual o segredo? A resposta se encontra nos seis versículos seguintes. Busque o Senhor regularmente (v. 10). Busque-o diariamente. Inclua Deus em suas decisões, planos, diversões e conflitos. Guarde no coração sua verdade (v. 11). Decore versículos bíblicos. Um coração cheio de tesouros não tem lugar para coisas sem valor. Fale abertamente dele aos outros (v. 13). Algo maravilhoso acontece quando abrimos nossos lábios e contamos, aos outros, como Deus mudou nossa vida. Alegre-se e se deleite nas obras de Deus (v. 14,16). Ria mais. Deixe que sua alegria brilhe. Passe mais momentos livres meditando sobre os seus conceitos (v. 15). Faça isso ao dirigir ou exercitar-se, enquanto espera por um encontro ou antes de dormir. Respeite a Deus (v. 15,16). Não recue. Ouse viver este ano pela fé. Esqueça os anúncios e modismos superficiais. Siga o regime do salmo 119. Quando você ficar em pé diante do Senhor no final da corrida, ele não irá franzir a testa e perguntar: "Quanto você perdeu?" Apenas irá sorrir e dizer: "Você terminou bem!" Se você ainda não possui um diário, comece a escrever agora. Pegue um caderno, do tamanho que quiser, e comece escrevendo o que tocou seu coração hoje. Seja específico. Como perder tempo Tiago 4:13-17 Você já percebeu quantos programas de planejamento diário existem atualmente? Há também os livros de auto-ajuda para administração do tempo: como aumentar sua eficiência, como fazer cada momento valer a pena, como investir seu tempo sábia e produtivamente. Enquanto todas essas vozes e produtos disponíveis gritam para chamar-lhe a atenção, eu gostaria de servir de advogado do Diabo e dizer-lhe o que fazer para desperdiçar seu tempo. Imediatamente cinco idéias já provadas me vêm à mente: Primeira, preocupe-se bastante. Comece a preocupar-se logo cedo e aumente sua ansiedade no decorrer do dia. Preocupe-se com falhas e erros, com o que deveria ou poderia ter feito, mas não fez! Para variar um pouco, preocupe-se com o que não deveria ter feito, mas fez. Ficar perto de pessoas negativas é outro segredo que você não desejará esquecer. Lembre-se: as úlceras em potencial precisam de ácido fresco. Segunda, faça predições imutáveis. É claro que precisará ignorar aquela linha irrisória no capítulo 4 de Tiago: "Vós não sabeis o que sucederá amanhã" (v. 14). Esqueça-se, porém, deste comentário e ponha em movimento suas expectativas. Seja o mais específico possível. Como, por exemplo, Jimmy Hoffa que, um mês antes de seu desaparecimento em julho de 1975, anunciou: "Eu não preciso de guarda-costas". Terceira, fixe sua atenção em ficar rico. Você encontrará uma porção de idéias inovadoras nas prateleiras de livros seculares (a última vez em que visitei uma livraria, contei catorze títulos sobre o assunto), vai adaptar-se perfeitamente à maioria das mentiras que estão sendo despejadas nos seminários empresariais e à forte pressão das reuniões de vendas. Quarta, compare-se com outros. Você não só irá vacilar entre os extremos da arrogância e do desânimo, como também ficará sem saber quem é. Quinta, aumente sua lista de inimigos. Se há uma coisa que realmente o faz perder tempo é o aperfeiçoamento de sua habilidade no Jogo da Culpa. Com um arsenal repleto de suspeita, paranóia e ressentimento, você pode perder noites inteiras ruminando a respeito das pessoas que tornaram sua vida miserável. Ponha em prática essas cinco sugestões infalíveis e pode esquecer todos os esforços para ser feliz, eficiente, produtivo e realizado. Dentro de alguns meses, essas coisas não constarão mais da sua agenda. Isso tudo parece um exagero sem tamanho, não é? Agora, pare e pense: Quanto tempo você já perdeu com algumas dessas coisas? Mantendo a dignidade humana Salmos 139 Há algum tempo, em Estocolmo, na Suécia, uma mulher de 84 anos ficou sentada durante dois meses no terraço até uma vizinha descobrir que ela estava morta. Ela foi encontrada numa cadeira, de casaco e chapéu, com a testa apoiada no parapeito. A vizinha percebeu que havia algo errado quando viu a mulher sentada no terraço, dia e noite, apesar do frio intenso. "Culpei-me por não tê-la visto antes", disse ela mais tarde. "Espero que essa história terrível nos ajude a ter um relacionamento melhor com nossos vizinhos idosos." O isolacionismo não é um fenômeno escandinavo, é uma tragédia humana. Por medo de nos intrometermos na vida alheia, ou de nos envolvermos em algo que poderia trazer problemas, acabamos nos disciplinando a não parar, olhar ou ouvir. Num mundo que gira tão depressa e no qual só os aptos sobrevivem, é fácil sentir-se desumanizado. Nesta era tecnológica ficamos mais cientes de nossa insignificância. A suspeita de não sermos amados por aquilo que somos é diariamente confirmada pela impessoalidade dos relacionamentos no século xxi. Damos um telefonema, e uma "gravação" nos atende. Se as pessoas não estiverem em casa, falamos com a secretária eletrônica. Se precisarmos de dinheiro às duas da manhã, podemos ir ao caixa eletrônico mais próximo. As máquinas são programadas para escrever, atender telefonemas, prover dinheiro, fazer compras, alugar carros e nos lembrar de algo. Elas podem até assinar nossas cartas. O resultado é assustador. Uma erosão sutil da individualidade, seguida por um "não me toque", "não me aborreça", "estou ocupado demais", que leva à total ausência de interação visual, resultando finalmente em nova perda da dignidade humana. Isso é justificado por poupar tempo e impedir que nos envolvamos em coisas complicadas como relacionamentos. Dizem que é mais saudável. O que há de saudável em tornar-se completamente intocável? As máquinas não podem abraçá-lo quando está sofrendo. Não se importam quando você precisa de um ombro amigo. Nunca o apóiam quando está deprimido, nem o confrontam se estiver errado. Ao necessitar de afirmação, esperança e força para continuar, não há como substituir a presença essencial de outro ser humano. Cristo veio para salvar pessoas. Seres humanos com nomes, personalidades, impressões digitais e rostos. Sempre vale o esforço para manter a dignidade humana. Não há substituto para o toque pessoal. Medindo o crescimento espiritual Hebreus 5:12-14 Os humanos são criaturas estranhas. Corremos mais depressa quando perdemos o caminho. Em vez de fazermos uma pausa para nos orientar, ricocheteamos de um lugar para outro. Três palavras descrevem os nossos dias: pressa, preocupação e isolamento. Nesta competição chamada vida, quando a premência do tempo nos pressiona, precisamos parar e nos orientar. Necessitamos descobrir que o Senhor é Deus. Que ele seja exaltado, pois está conosco, e é nossa fortaleza. Lembra-se dos anos em que sua mãe marcava a lápis, numa parede especial, o lugar onde sua cabeça alcançava, para saber o quanto você crescia a cada ano? Nós tínhamos uma parede assim em nossa casa. Era interessante ver como nossos filhos passavam às vezes por certos surtos de crescimento. Às vezes, sentia-me culpado quando, ao voltar de viagem, um de meus filhos pequenos perguntava: "Papai, quanto você cresceu enquanto esteve fora?" É claro que ele não tinha em mente o crescimento espiritual, mas muitas vezes pensei em sua pergunta, sob esse aspecto. Meus filhos queriam saber: "Você continua crescendo? Quando vai parar?". Deus usa infinitos meios para nos ajudar a crescer. Desconheço um jeito para o crescimento instantâneo. Nunca conheci alguém que tenha se tornado instantaneamente maduro. Deus nos faz atravessar um processo meticuloso que inclui coisas como esperar, falhar, perder e não ser compreendido cada uma delas exigindo doses maiores de perseverança. Em seu crescimento espiritual, onde estão as marcas na parede da sua vida? Onde você se encontra em relação ao ano passado? E em relação à última década? O crescimento cristão resulta de uma atitude radical, da dedicação corajosa e perseverante àquilo que você ouve e obedece. Estatísticas e listas do ano-novo Êxodo 20:3-17 O ano novo invariavelmente nos leva a preparar uma lista de coisas que merecem nossa diligente atenção e busca. Sugiro que trabalhemos nas listas de dois homens que se foram antes de nós. As listas são acessíveis, 100% saudáveis e constantemente encorajadoras. Lista de Moisés (Êx 20:3-17) Nunca substitua o Senhor seu Deus por outros deuses. Nunca faça um ídolo de qualquer coisa ou pessoa. Não tome o nome do Senhor em vão. Ele é santo. Lembre-se de observar o descanso do sábado todas as semanas. Honre e respeite seus pais. Não mate ninguém por razão alguma. Nunca, jamais, cometa adultério. Não se aposse de coisas que não sejam suas. Nunca minta ou passe falsa uma impressão. Não cobice o cônjuge de outrem, seus bens ou pertences. Lista de Pedro (2Pe 1:5-8) Seja diligente. Não vacile em sua fé. Seja conhecido pela excelência moral inflexível. Aumente seu reservatório de conhecimento; continue aprendendo. Mantenha-se equilibrado; evite os extremos. Persevere. Certifique-se de que sua santidade está livre de hipocrisia. Trate os outros com delicadeza, com cortesia. Deixe fluir seu amor cristão, fluir sempre. Se você levar essas listas a sério, duas coisas são certas: 1) você não será a mesma pessoa que era no ano passado, e 2) certamente não ficará entediado. Sem Deus, a vida é uma repetição monótona de semanas, meses, estações, anos, décadas e gerações. Reflita Com oração e reflexão, passe algum tempo pensando a respeito do ano que se inicia e do rumo que Deus tem dado e sua vida. Talvez queira escrever abaixo algumas de suas conclusões, a fim de orar sobre elas e revê-las de tempos em tempos no decorrer do ano. Minha lista: _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________

Avaliações

Avaliação geral: 0

Você está revisando: Dia a Dia