Frete Grátis
  • Google Plus

Escola - Os Piores Anos da Minha Vida (Cód: 4592366)

Patterson, James; Tebbetts, Chris

Arqueiro

Ooopss! Este produto está temporariamente indisponível.
Mas não se preocupe, nós avisamos quando ele chegar.

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 29,90
Cartão Saraiva R$ 28,41 (-5%) em até 1x no cartão

Crédito:
Boleto:
Cartão Saraiva:

Total: R$0,00

Em até 1x sem juros de R$ 0,00


Escola - Os Piores Anos da Minha Vida

R$29,90

Descrição

Se você já chegou ao sexto ano ou está prestes a viver essa fase terrível da escola, esta história vai lhe mostrar como sobreviver.



Além disso, você provavelmente vai morrer de rir!



Se liga!



Tenho uma baita história para contar!

Características

Produto sob encomenda Sim
Editora Arqueiro
Cód. Barras 9788580411225
Altura 21.00 cm
I.S.B.N. 9788580411225
Profundidade 1.00 cm
Acabamento Brochura
Tradutor Ana Ban
Número da edição 1
Ano da edição 2013
Idioma Português
Número de Páginas 288
Peso 0.44 Kg
Largura 14.00 cm
AutorPatterson, James; Tebbetts, Chris

Leia um trecho

Capítulo 1 - Meu nome é Rafa Khatchadorian, herói trágico

Acho que faz bastante sentido eu começar esta história de desespero e infortúnio no banco de trás de uma viatura do Departamento de Polícia de Hills Village, espremido feito sardinha em lata, junto com Leonardo Caladão e Georgia, minha irmã insuportável Bom, este é o retrato de uma família patética da qual você nunca iria querer fazer parte, pode acreditar. Mais tarde falarei sobre o infeliz incidente com a polícia. Mas preciso de uma preparação antes de contar essa história desastrosa. Então... tchã-rã! Aqui está para os fãs de livros – e todos aqueles que estão precisando de pontos extras de leitura na escola –, minha autobiografia até o momento. O tão temido sexto ano. Se você já chegou lá, sabe do que estou falando. Se ainda não chegou, logo, logo vai saber. Mas vamos encarar a realidade: entender-me (quer dizer, entender de verdade a mim e à minha vida maluca) não é assim muito fácil. Por isso acho tão difícil encontrar pessoas confiáveis. O fato é que eu não sei em quem posso confiar. Então, de maneira geral, não confio em ninguém. Tirando a minha mãe, Jules. (Na maior parte do tempo, pelo menos.) Então... Vamos ver se eu posso confiar em você. Para começar, aqui vão algumas informações básicas. Esse aí sou eu, chegando à “prisão” – também conhecida como Escola Municipal de Hills Village – no carro de Jules. O crédito do desenho vai para Leonardo Caladão. Voltando à história, tem, sim, outra pessoa em quem confio: Leonardo. Leo é Louco e Irado com L e I maiúsculos, mas está sempre com os pés no chão. Eis algumas pessoas em quem eu não confio nem um pouquinho. Tem a professora Donatella Carrasco, mas você pode chamá-la apenas de Mulher-Dragão. Ela dá aula de inglês e também é responsável pela minha matéria preferida no sexto ano: castigo depois da aula. Tem também a professora Ida Severo, a coordenadora. Ela é responsável por absolutamente tudo na EMHV – até pela respiração das pessoas. Esta é Georgia, minha irmã superenxerida, superantipática e superpirralha cuja única qualidade é se parecer com a Jules quando ela estava no quarto ano. Tem mais gente na minha lista, e vamos falar dessas pessoas em algum momento. Ou não. Não sei bem como isto aqui vai funcionar. Como você provavelmente já percebeu, este é o primeiro livro que escrevo. Mas vamos falar sobre nós doisum pouquinho. Eu até quero confiar em você, mas como vou saber se posso contar todas essas coisas pessoais que me dão vergonha (como, por exemplo, a história desastrosa com o carro de polícia)? Como você é? Como você é por dentro?É uma pessoa boa e decente? Quem disse? Você? Seus pais? Seus irmãos? Está bem, no espírito de uma possível amizade entre nós (e isso é uma coisa muito séria para mim), aqui vai outra confissão verdadeira. Na verdade, era assim que eu estava quando cheguei à escola naquele primeiro dia do sexto ano. Ainda somos amigos ou você já caiu fora? Ei... Não vá embora, tá? Acho que gostei de você. Falando sério. Pelo menos você sabe escutar. E – pode acreditar – eu tenho uma história e tanto para contar.

Avaliações

Avaliação geral: 0

Você está revisando: Escola - Os Piores Anos da Minha Vida