Frete Grátis
  • Google Plus

Fedro (Cód: 3694221)

Platão

Edipro

Ooopss! Este produto está temporariamente indisponível.
Mas não se preocupe, nós avisamos quando ele chegar.

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 17,90 R$ 11,80 (-34%)
Cartão Saraiva R$ 11,21 (-5%) em até 1x no cartão
Grátis

Cartão Saraiva

Descrição

Fedro é um diálogo platônico que trata da investigação sobre a retórica e o amor. Em uma análise acerca dessa emanação, também chamada de desejo, a obra retrata a importância da transformação pessoal que a filosofia deve operar na alma humana. O objeto deste livro não é uno, mas duplo, ou seja, o caráter e o valor do amor sensual (eros), a natureza e os limites da retórica, constituindo uma crítica aos sofistas.
Nesta obra, Platão, o fundador da Academia em Atenas, a primeira instituição de educação superior do mundo ocidental, registra o encontro entre Fedro e Sócrates, que se dá após a leitura do discurso de Lísias, filósofo a quem Fedro reverencia como o mais extraordinariamente dotado escritor. Em seguida, Sócrates faz uma reflexão sobre as questões passionais de como é o amor, as vantagens e as desvantagens de quem está apaixonado. Faz as suas considerações sobre o referido discurso e observa que o assunto não foi desenvolvido com a intensidade adequada, então, resolve abordá-lo com maior profundidade. Ele invoca as Musas Melodiosas para que lhe concedam inspiração, de modo que Fedro o considere um filósofo mais sábio e, a partir daí, inicia uma narrativa sobre um belo jovem que tinha um amante particularmente astucioso. Prossegue discorrendo sobre as consequências da paixão, investigando se esse amor promoveria benefício ou dano e de como esse sentimento pode levar alguém a cometer loucuras, advertindo que um jovem pode acabar magoado em um relacionamento amoroso, no qual um dos amantes busca obter prazer sem se importar com as expectativas do outro. Após Sócrates ter sentido que havia censurado a Eros por tratar o amor como algo não generoso, profere outro discurso - desta vez bastante longo - elogiando a loucura da paixão, em uma retratação expressada de forma poética, na tentativa de converter suas palavras amargas em outras bem mais doces.O grande mestre prossegue com uma reflexão sobre a superioridade da oratória em relação ao discurso argumentativo escrito, ensinando a Fedro que, com as palavras escritas, é possível imaginar que falem como se possuíssem algum entendimento, mas ao interrogá-las, no anseio de conhecer o que elas dizem, perceber-se-á que se limitam a dizer sempre uma só e mesma coisa. Sócrates finaliza instruindo a Fedro sobre a necessidade de um indivíduo conhecer a verdade acerca de todas as coisas particulares sobre as quais discursa ou escreve.

Características

Produto sob encomenda Não
Editora Edipro
Cód. Barras 9788572835626
Altura 18.00 cm
I.S.B.N. 9788572835626
Profundidade 0.70 cm
Acabamento Brochura
Tradutor Edson Bini
Número da edição 1
Ano da edição 2011
Idioma Português
Número de Páginas 128
Peso 0.11 Kg
Largura 11.00 cm
AutorPlatão

Avaliações

Avaliação geral: 0

Você está revisando: Fedro