Artboard 33 Artboard 16 Artboard 18 Artboard 15 Artboard 21 Artboard 1 Artboard 2 Artboard 5 Artboard 45 Artboard 45 Artboard 22 Artboard 9 Artboard 23 Artboard 17? Artboard 28 Artboard 43 Artboard 49 Artboard 47 Artboard 38 Artboard 32 Artboard 8 Artboard 22 Artboard 5 Artboard 25 Artboard 1 Artboard 42 Artboard 11 Artboard 41 Artboard 13 Artboard 23 Artboard 10 Artboard 4 Artboard 9 Artboard 20 Artboard 6 Artboard 11 Artboard 7 Artboard 3 Artboard 3 Artboard 12 Artboard 25 Artboard 34 Artboard 39 Artboard 24 Artboard 13 Artboard 19 Artboard 7 Artboard 24 Artboard 31 Artboard 4 Artboard 14 Artboard 27 Artboard 30 Artboard 36 Artboard 44 Artboard 12 Artboard 17 Artboard 17 Artboard 6 Artboard 27 Artboard 19 Artboard 30 Artboard 29 Artboard 29 Artboard 26 Artboard 18 Artboard 2 Artboard 20 Artboard 35 Artboard 15 Artboard 14 Artboard 48 Artboard 50 Artboard 26 Artboard 16 Artboard 40 Artboard 21 Artboard 29 Artboard 10 Artboard 37 Artboard 3 Artboard 3 Artboard 46 Artboard 8

Gastar Palavras (Cód: 2866446)

Paulo Kellerman

Deriva

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 65,20 em até 2x de R$ 32,60 sem juros
Cartão Saraiva R$ 61,94 (-5%) em até 1x no cartão ou em até 3x de R$ 21,73 sem juros

Crédito:
Boleto:
Cartão Saraiva:

Total: R$0,00

Em até 2x sem juros de R$ 0,00


Gastar Palavras

R$65,20

Quer comprar em uma loja física? Veja a disponibilidade deste produto

Entregas internacionais: Consulte prazos e valores de entrega para regiões fora do Brasil na página do Carrinho.

ou receba na loja com frete grátis

X
Formas de envio Custo Entrega estimada

* Válido para compras efetuadas em dias úteis até às 15:00, horário de Brasília, com cartão de crédito e aprovadas na primeira tentativa.

X Consulte as lojas participantes

Saraiva MegaStore Shopping Eldorado Av. Rebouças, 3970 - 1º piso - Pinheiros CEP: 05402-600 - São Paulo - SP

Descrição

A guerra e o ódio aproximam vida e morte, diluem-lhes as distâncias; é assim desde sempre e sempre assim será, os dois pólos confundindo-se no nada, no irracional, no sem sentido. Depois de Uma Visita a Bosch, romance de cariz semi-biográfico sobre o grande pintor flamengo dos séculos XV/XVI, o autor repega a temática das artes plásticas como mote para a escrita. Agora, sob o formato de contos, onze contos em torno do criar, das suas motivações e angústias, das suas múltiplas hipóteses de leitura. Acrescem a este todo quatro outros contos de temática diversa. Sob o título Contos de Fronteira, quatro histórias assumem uma vertente mais politizada, versando exemplos de povos ou etnias forçadas ao exílio ou à diáspora em busca de melhores condições de vida ou tão-só de um lugar ao Sol. Em ambos os casos, o real e a imaginação rubricando juntos o prazer maior da escrita. “Fui apanhado em Barcelona, à noite, quando me deslocava na Carrasco Formiguera, perto do cruzamento com a Dolors Monserda. Chovia. Tinha estado em casa do Alfonso Laurencic, a jogar Poker, e a sessão nem tinha corrido mal de todo; arrecadei umas 20 mil pesetas. Deixei os companheiros de jogo relativamente cedo, uma vez que na manhã seguinte tinha reunião no quartel. Para mais, Dolores esperava-me e eu sabia que quando abrisse a porta de casa ela estaria ainda acordada; longe iam os tempos em que ela conseguia pregar olho de eu chegar. Agora, não. Como as coisas estavam, com os republicanos e os anarquistas a minarem o país, investindo contra as tropas do Generalíssimo, já não havia sossego, ninguém estava em segurança. Todas as vidas estavam a soldo e a minha não escapava à regra. Foi assim que também eu, simples soldado ao serviço do regime, de um momento para o outro, me vi prisioneiro, destituído de quaisquer direitos e levado para parte incerta. Dolores não deve ter dormido... Eu muito menos o pude fazer, e nem sequer nos meus piores sonhos pude imaginar o calvário porque iria passar ao longo de três penosos meses até ser libertado por tropas republicanas em Março de 1939.”
Grande Prêmio de Conto 'Camilo Castelo Branco', atribuído pela Associação Portuguesa de Escritores. Paulo Kellerman sabe, como ninguém, dosear os sentimentos, por vezes desencontrados, que nascem da leitura dos seus contos. Seria fácil adjetivá-lo como um escritor contido, portanto. Só que, da sua escrita, emergem olhares, gestos, palavras, solidariedades e crueldades que se entrecruzam num verdadeiro jogo de paixão literária que assola o criador de contos - porque é de contos que se trata - e onde o Paulo trabalha com extremo prazer que o leitor facilmente adivinha tornando-se cúmplice e personagem. Apetece perguntar: por que mar de silêncio tem andado este escritor? Contos: 'Morreste outra vez', 'Importa-se de parar de olhar para mim?', 'Um palácio, no deserto', 'Caixões separados', 'O dia em que comecei a odiar-te', 'Quero que venhas', 'Amnésia', 'Costela', 'Morreste: e ainda não sabes', 'Diz-me o teu nome, pergunta-me o meu' e 'Gastar palavras'.

Características

Peso 0.44 Kg
Produto sob encomenda Sim
Marca Deriva
I.S.B.N. 9729250162
Altura 20.00 cm
Largura 13.50 cm
Profundidade 1.30 cm
Número de Páginas 80
Idioma Português (Portugal)
Acabamento Brochura
Cód. Barras 9789729250163
Número da edição 1
Ano da edição 2006
AutorPaulo Kellerman