Frete Grátis
  • Google Plus

Greve no Serviço Público - Depois da Decisão do Stf (Cód: 2587820)

Silva,Antonio Alvares da

Ltr

Ooopss! Este produto está temporariamente indisponível.
Mas não se preocupe, nós avisamos quando ele chegar.

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 40,00
Cartão Saraiva R$ 38,00 (-5%) em até 1x no cartão ou em até 2x de R$ 20,00 sem juros

Crédito:
Boleto:
Cartão Saraiva:

Total: R$0,00

Em até 1x sem juros de R$ 0,00


Greve no Serviço Público - Depois da Decisão do Stf

R$40,00

Descrição

O direito de greve dos servidores públicos ficou por vinte anos esperando a regulamentação pelo legislador ordinário, até que o STF, em decisão histórica, determinasse a aplicação da Lei n. 7.783/80 às relações de direito público do trabalho, por meio do Mandado de Injunção 712-8.
Naturalmente, esta aplicação precisa de adaptações e ajustes, pois, embora o direito seja em essência o mesmo, são diferentes seus destinatários e diverso o serviço que prestam.
O assunto é inédito no Direito do Trabalho brasileiro e suscitará muitas questões práticas que desafiarão a argúcia dos juízes e advogados trabalhistas com esta nova competência da Justiça do Trabalho.
O autor, por intermédio de um estudo sistemático e abrangente deste novo conteúdo do Direito Coletivo brasileiro, apresenta, em linguagem clara e precisa, a síntese teórica desta realidade, que vale como primeiro indicativo doutrinário às controvérsias que, naturalmente, agitarão os tribunais do trabalho.

Características

Produto sob encomenda Sim
Editora Ltr
Cód. Barras 9788536111742
Altura 0.00 cm
I.S.B.N. 9788536111742
Profundidade 0.00 cm
Número da edição 1
Ano da edição 2008
Idioma Português
País de Origem Brasil
Número de Páginas 184
Peso 0.44 Kg
Largura 0.00 cm
AutorSilva,Antonio Alvares da

Avaliações

Avaliação geral: 0

Você está revisando: Greve no Serviço Público - Depois da Decisão do Stf