Artboard 33Artboard 16Artboard 18Artboard 13Artboard 42Artboard 21Artboard 4Artboard 5Artboard 45Artboard 22Artboard 7Artboard 42Artboard 23Artboard 12Artboard 28Artboard 17?Artboard 28Artboard 43Artboard 49Artboard 47Artboard 15Artboard 32Artboard 6Artboard 22Artboard 5Artboard 25Artboard 1Artboard 42Artboard 11Artboard 41Artboard 11Artboard 23Artboard 10Artboard 4Artboard 9Artboard 6Artboard 8Artboard 7Artboard 3Artboard 12Artboard 25Artboard 34Artboard 43Artboard 44Artboard 16Artboard 24Artboard 13Artboard 5Artboard 24Artboard 31Artboard 1Artboard 12Artboard 27Artboard 30Artboard 36Artboard 44Artboard 9Artboard 17Artboard 6Artboard 27Artboard 30Artboard 29Artboard 26Artboard 2Artboard 20Artboard 35Artboard 15Artboard 14Artboard 50Artboard 26Artboard 14Artboard 40Artboard 21Artboard 10Artboard 37Artboard 46Artboard 33Artboard 8

Imagem, Ícone, Economia - As Fontes Bizantinas do Imaginário Contemporâneo - Col. Arte Físsil (Cód: 5820713)

Mondzain,Marie José

Contraponto

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 58,00

em até 1x de R$ 58,00 sem juros
Cartão Saraiva: 1x de R$ 55,10 (-5%)

Total:

Em até 1x sem juros de


Crédito:
Boleto:
Cartão Saraiva:

Total:

Em até 1x sem juros de


Imagem, Ícone, Economia - As Fontes Bizantinas do Imaginário Contemporâneo - Col. Arte Físsil

R$58,00

Quer comprar em uma loja física? Veja a disponibilidade deste produto

Entregas internacionais: Consulte prazos e valores de entrega para regiões fora do Brasil na página do Carrinho.

ou receba na loja com frete grátis

X
Formas de envio Custo Entrega estimada

* Válido para compras efetuadas em dias úteis até às 15:00, horário de Brasília, com cartão de crédito e aprovadas na primeira tentativa.

X Consulte as lojas participantes

Saraiva MegaStore Shopping Eldorado Av. Rebouças, 3970 - 1º piso - Pinheiros CEP: 05402-600 - São Paulo - SP

Descrição

Nos séculos VIII e IX, em plena crise decorrente do iconoclasmo bizantino, a Imagem se tornou uma problemática filosófica e política pela primeira vez na história ocidental. Numa violenta arena de disputas, entre seu culto e sua proibição, ela virou o cerne de uma questão passional. Nesse período, a Igreja se viu obrigada a produzir um relato da situação teológica da Imagem religiosa que, no entanto, não poderia levantar a mais leve suspeita de idolatria. A solução encontrada foi uma doutrina inspirada na configuração da Imagem de Deus, natural e invisível, num Ícone, artificial e visível, decalcado de Cristo. Essa 'transfiguração' foi adaptada à realidade em carne viva dos aflitos seres humanos. A partir dessa peculiar 'encarnação' da Imagem no corpus christi surgiu uma matriz icônica que seria capaz de definir toda uma cultura baseada na gestão simultânea do invisível e do visível. Uma complexa Economia perfeitamente construída, que serviu de base para a estratégia política e pedagógica do poder temporal eclesiástico na administração das paixões de uma comunidade, sob a égide da divina providência. Trata-se de um dispositivo de governo calcado na comunhão dos corpos e das almas em torno de uma instituição totalitária. Um império que se ergueu a partir de 'visibilidades programáticas', feitas para transmitir uma única mensagem. Essa imagética também serviu para sustentar as operações de 'incorporação': a Imagem era absorvida como uma substância com a qual o fiel fascinado, ou 'incorporado', se identificava e se fundia, sem réplica e sem palavras. Esse conjunto de imagens construiu um reinado de dolorosas submissões, silenciamentos e impossibilidade de objeções. Para analisar os processos que constituíram tal iconocracia, Marie-José Mondzain realiza um exame minucioso de textos antigos dos campos da filosofia e da teologia, tendo como leitura principal os Antirréticos, escritos entre 818 e 820 d.C por Nicéforo, um patriarca de Constantinopla que endereçou seu pensamento 'à natureza de toda Imagem e à impossibilidade de pensar e governar sem ela'. A aposta deste surpreendente livro de Mondzain é revelar o modo pelo qual o Imaginário Contemporâneo - nossas maneiras de produzir e apreender as imagens - tem suas Fontes na crise do iconoclasmo bizantino, propiciando uma percepção dos efeitos de continuidade e de ruptura na administração das visibilidades que atravessam as diversas corporações do visível no presente.

Tadeu Capistrano
(organizador da Coleção)

Características

Peso 0.50 Kg
Produto sob encomenda Não
Editora Contraponto
I.S.B.N. 9788578660925
Altura 23.00 cm
Largura 16.00 cm
Profundidade 2.00 cm
Número de Páginas 316
Idioma Português
Acabamento Brochura
Cód. Barras 9788578660925
Número da edição 1
Ano da edição 2013
AutorMondzain,Marie José