Frete Grátis
  • Google Plus

Integralidade e Saúde Mental (Cód: 2592578)

Gonçalves,Lilian

MINELLI

Ooopss! Este produto está temporariamente indisponível.
Mas não se preocupe, nós avisamos quando ele chegar.

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 30,00 R$ 27,00 (-10%)
Cartão Saraiva R$ 25,65 (-5%) em até 1x no cartão
Grátis

Cartão Saraiva

Descrição

O livro Integralidade e Saúde Mental faz uma discussão em torno das novas práticas de saúde mental na atenção básica. Porém para contextualizar o que vem ocorrendo com esta dicotomia no panorama atual, faz uma investigação histórica das mudanças que ocorreram na saúde de uma forma geral, desde a Reforma Sanitária.
O paralelo feito entre as mudanças do sistema de saúde e especificamente da psiquiatria / saúde mental, possibilita uma melhor compreensão do que hoje observamos nessa área em questão - Integralidade na Saúde Mental.
A discussão inicia-se com a assistência psiquiátrica nos primeiros cem anos, com o surgimento dos primeiros hospitais psiquiátricos, com um sistema asilar de tratamento, maus tratos, e exclusão do doente mental..
Após segue-se com a saúde mental no contexto da reforma psiquiátrica que coincide com o período da Reforma Sanitária em todo o sistema de saúde. A preconização da assistência deixa de ser asilar e passa a ser no seio familiar, ou seja, a reforma psiquiátrica enfatiza a humanização da assistência a partir da desospitalização do doente mental, referenciando eles à serviços ambulatoriais de menor complexidade, e volta ao convívio familiar e social.
No entanto, esse retorno do ao seio familiar ganhou proporções negativas, o doente mental continua com o estigma de excluído, marginalizado, incapaz e perigoso, afastando pessoas e sendo alvo de preconceitos o que pode agudizar uma crise. Por outro lado a família recebe esses pacientes sem um mínimo de treinamento, não sabem lidar com ele, travando ai um impasse, que pode ser tornar um problema social de abandono
Para preencher essa lacuna do não saber lidar do familiar e sociedade, e o retorno do paciente à vida social é necessário uma ajuda, é aí que o Programa Saúde da Família atua de forma a integrar o paciente aos serviços disponíveis e à sociedade.
Entretanto, os profissionais desse programa não recebem também treinamento para isso, e mantêm a velha concepção que um tratamento baseia-se apenas no cuidado direto ao paciente, medicando-o.
É preciso ir além, ajudar o paciente a se inserir na comunidade em que vive, é preciso se integrar aos demais níveis de atenção à saúde.
É aí que se aponta a deficiência da Reforma psiquiátrica hoje o distanciamento da realidade com as novas propostas, e para que isso fique exemplificado, usa-se o contexto da cidade de Juiz de Fora, mostrando através de pesquisas feitas com profissionais da atenção básica inseridos no Programa Saúde da Família as dificuldades e desconhecimentos por eles enfrentados.
Sendo assim o Livro encerra a discussão mostrando a necessidade de treinamentos e reformulação de atividades, levando os conceitos do Sistema único d e Saúde á luz do dia, pois se isso não acontecer, a melhor saída de tratamento para os doentes mentais continuará sendo os hospitais psiquiátricos, os quais desenvolvem uma atividade - atualmente - mais humanizada. Assim o paciente sofre menos impacto de preconceitos e abandono.

Características

Produto sob encomenda Não
Editora MINELLI
Cód. Barras 9788588884335
Altura 21.00 cm
I.S.B.N. 8588884335
Profundidade 0.00 cm
Acabamento Brochura
Número da edição 1
Ano da edição 2008
Idioma Português
País de Origem Brasil
Número de Páginas 80
Peso 0.14 Kg
Largura 14.00 cm
AutorGonçalves,Lilian

Avaliações

Avaliação geral: 0

Você está revisando: Integralidade e Saúde Mental