Frete Grátis
  • Google Plus

Jogos e Modelagem na Educação Matemática - Vol 06 - Col. Metodologia do Ensino (Cód: 2605384)

Flávia Dias Ribeiro

Ibpex

Ooopss! Este produto está temporariamente indisponível.
Mas não se preocupe, nós avisamos quando ele chegar.

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 35,00
Cartão Saraiva R$ 33,25 (-5%) em até 1x no cartão
Grátis

Cartão Saraiva

Descrição

Nesta obra, o processo de favelização é examinado em profundidade, enquanto resultante de fatores que se constituem em forças contrárias ao desenvolvimento social, econômico e ambiental. Ao lado do tom de denúncia de uma realidade que demonstra a falência da sociedade capitalista, o ator traz a defesa de uma proposta com a qual seja possível prevenir ou remediar a formação das favelas para garantir a sustentabilidade urbana.

Características

Produto sob encomenda Sim
Editora Ibpex
Cód. Barras 9788599583548
Altura 21.00 cm
I.S.B.N. 9788599583548
Profundidade 1.00 cm
Número de Páginas 124
Peso 0.44 Kg
Largura 14.00 cm
AutorFlávia Dias Ribeiro

Leia um trecho

Capítulo 1 Neste primeiro capítulo, serão abordados alguns princípios que fundamentamo trabalho com jogos didáticos no ensino de Matemática. Para isso, discutiremos aspectos que denotam a relevância do uso de jogos no cotidiano escolar e particularmente, nas aulas de Matemática, como um espaço para o pensar, para o fortalecimento de relações sociais e para o desenvolvimento da criatividade e da autonomia dos alunos, habilidades essenciais à formação de alunos críticos, criativos e inovadores. Jogos na educação matemática Ainda neste capítulo, trataremos de enfocar a seriedade que deve permear o uso de jogos nas aulas de Matemática, desmistificando a idéia de que, ao promover atividades com jogos, pode-se perder muito tempo ou, ainda, não garantir a aprendizagem, idéia comumente difundida e, de modo geral, fruto de desconhecimento sobre a potencialidade pedagógica do trabalho com jogos. Desse modo, ao final deste capítulo, você deverá compreender:a utilização dos jogos como um dos caminhos para a aprendizagem matemática; o potencial educativo dos jogos didáticos nas aulas de Matemática. 1.1 Os jogos no contexto educativo Desde muito pequenas as crianças envolvem-se em atividades com jogos. Naturalmente, elas criam, inventam, fantasiam à medida que se envolvem em atividades lúdicas , relacionadas a jogos e brincadeiras. Experiências como as de colocar e tirar objetos de uma caixa ou mesmo encaixar objetos de diferentes formas são comuns entre os mais pequeninos. Daí para as brincadeiras e os jogos com regras é uma conquista que exige da criança, cada vez mais, o desenvolvimento de novas habilidades. É importante destacar que as atividades lúdicas são inerentes ao ser humano, não somente no universo infantil, mas também nas vivências dos adultos. Quantas vezes nos surpreendemos realizando algum tipo de atividade lúdica, como sair cantarolando, brincar de “em que mão está?” ou, de modo mais sistematizado, em atividades de jogos com regras, como jogo de boliche, cartas, dominó etc. No universo das crianças, jogos e brincadeiras ocupam um lugar especial. Nos momentos em que estão concentradas em atividades lúdicas, as crianças envolvem-se de tal modo que deixam de lado a realidade e entregam-se às fantasias e ao mundo imaginário do brincar. Nesse sentido,a psicologia do desenvolvimento destaca que a brincadeira e o jogo desempenham funções psicossociais, afetivas e intelectuais básicas no processo de desenvolvimento infantil. O jogo apresenta-se como uma atividade dinâmica que vem satisfazer uma necessidade da criança, dentre outras, de ‘movimento’, ação. (...) O jogo propicia um ambiente favorável ao interesse da criança, não apenas pelos objetos que o constituem, mas também pelo desafio das regras impostas por uma situação imaginária que, por sua vez, pode ser considerada como um meio ao desenvolvimento do pensamento abstrato. De acordo com essa idéia, muito se tem discutido sobre a importância do brincar no processo de desenvolvimento das crianças. De acordo com Grando, “tanto os trabalhos de Piaget, quanto os de Vygotsky e seus respectivos seguidores, apontam para a importância dos jogos no desenvolvimento da criança”. Nessa perspectiva, a inserção dos jogos no contexto escolar aparece como uma possibilidade altamente significativa no processo de ensinoaprendizagem, por meio da qual, ao mesmo tempo em que se aplica a idéia de aprender brincando, gerando interesse e prazer, contribui-se para o desenvolvimento cognitivo , afetivo e social dos alunos. Na sua prática de ensino de Matemática, ou mesmo em outras áreas de conhecimento, você já vivenciou atividades com jogos? Em caso afirmativo, procure recordar como seus alunos se comportaram nessas atividades, considerando diferentes aspectos, tais como a atitude dos estudantes frente às situações propostas, o conhecimento desencadeado pela atividade e as interações sociais estabelecidas. Registre suas observações. Para Moura, “a importância do jogo está nas possibilidades de aproximar a criança do conhecimento científico, vivendo ‘virtualmente’ situações de solução de problemas que os aproxima daquelas que o homem ‘realmente’ enfrenta ou enfrentou”3. Ou seja, nesse movimento de aproximação da criança com situações e ações adultas, no enfrentamento de situações vivenciadas ou simuladas no jogo, as quais demandam refletir, analisar e criar estratégias para resolver problemas, estabelece-se um caminho para o desenvolvimento do pensamento abstrato.

Avaliações

Avaliação geral: 0

Você está revisando: Jogos e Modelagem na Educação Matemática - Vol 06 - Col. Metodologia do Ensino