Artboard 33 Artboard 16 Artboard 18 Artboard 15 Artboard 21 Artboard 1 Artboard 2 Artboard 5 Artboard 45 Artboard 45 Artboard 22 Artboard 9 Artboard 23 Artboard 17? Artboard 28 Artboard 43 Artboard 49 Artboard 47 Artboard 38 Artboard 32 Artboard 8 Artboard 22 Artboard 5 Artboard 25 Artboard 1 Artboard 42 Artboard 11 Artboard 41 Artboard 13 Artboard 23 Artboard 10 Artboard 4 Artboard 9 Artboard 20 Artboard 6 Artboard 11 Artboard 7 Artboard 3 Artboard 3 Artboard 12 Artboard 25 Artboard 34 Artboard 39 Artboard 24 Artboard 13 Artboard 19 Artboard 7 Artboard 24 Artboard 31 Artboard 4 Artboard 14 Artboard 27 Artboard 30 Artboard 36 Artboard 44 Artboard 12 Artboard 17 Artboard 17 Artboard 6 Artboard 27 Artboard 19 Artboard 30 Artboard 29 Artboard 29 Artboard 26 Artboard 18 Artboard 2 Artboard 20 Artboard 35 Artboard 15 Artboard 14 Artboard 48 Artboard 50 Artboard 26 Artboard 16 Artboard 40 Artboard 21 Artboard 29 Artboard 10 Artboard 37 Artboard 3 Artboard 3 Artboard 46 Artboard 8
Frete Grátis
  • Google Plus
Livro Digital

Melhor Teatro Plínio Marcos (Cód: 4716022)

Plínio Marcos; Ilka Marinho Zanotto

Global Editora (Edição Digital)

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 31,50
Cartão Saraiva R$ 31,50

Crédito:
Boleto:
Cartão Saraiva:

Total: R$0,00

Em até 1x sem juros de R$ 0,00


Melhor Teatro Plínio Marcos

R$31,50

Descrição

Desde a estreia de Vestido de Noiva, de Nelson Rodrigues, em 1943, o teatro brasileiro não sofria um impacto semelhante ao produzido pelas peças de Plínio Marcos. O teatrólogo santista lançava no palco, sem os filtros e convenções habituais, toda a brutalidade do bas-fond das cidades brasileiras. Assassinos, prostitutas, malandros e desajustados de todos os tipos viviam, diante dos olhos estatelados da plateia, situações de violência extrema e berravam em linguagem chula a sua angústia, a tortura da solidão, a miséria da decadência física, em tom de desafio, mas também na busca desesperada de um sentido para a vida.
“Será que somos gente?” pergunta a prostituta. Através da simplicidade desta pergunta transparece a gravidade e o pathos moral das indagações mais profundas da filosofia' (Anatol Rosenfeld). A pergunta, com outras palavras, foi repetida ao longo de toda a obra do escritor. Sem resposta.
Plínio Marcos iniciou a sua carreira teatral em 1958, com Barrela, espetáculo representado uma única vez, depois de ter sido censurado e liberado, tendo 'por destino ser o maior sucesso de escândalo de nosso teatro em todos os tempos e imediatamente proibido durante 21 longos anos', informa Ilka Marinho Zanotto no prefácio do livro.
As peças seguintes (Dois Perdidos Numa Noite Suja, Navalha na Carne, O Abajur Lilás, Querô, para citar apenas as reunidas neste volume) foram encenadas, proibidas, perseguidas, louvadas, execradas, discutidas em nível moral, mas nunca ninguém duvidou de suas qualidades teatrais, a densidade dramática, a força lancinante dos diálogos.
Por sua autenticidade, as peças de Plínio não perdem nada quando lidas. Podem até ganhar alguma coisa, permitindo uma pausa para pensar ou amenizar o impacto de sua crueza, o que o turbilhão da encenação ao vivo não permite.

Características

Produto sob encomenda Sim
Marca Global Editora (Edição Digital)
Cód. Barras 9788526017825
Início da Venda 08/02/2013
Territorialidade Brasil
Formato Livro Digital Epub
Proteção Drm Sim
Idioma Português
VOLUME 1
Peso 0.00 Kg
AutorPlínio Marcos; Ilka Marinho Zanotto

Avaliações

Avaliação geral: 0

Você está revisando: Melhor Teatro Plínio Marcos