Frete Grátis
  • Google Plus

Michelangelo (Cód: 9051147)

Gayford,Martin

Cosac Naify

Ooopss! Este produto está temporariamente indisponível.
Mas não se preocupe, nós avisamos quando ele chegar.

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 129,90 em até 4x de R$ 32,48 sem juros
Cartão Saraiva R$ 123,41 (-5%) em até 1x no cartão ou em até 6x de R$ 21,65 sem juros
Grátis

Cartão Saraiva

Descrição

A arte ocidental não seria a mesma sem Michelangelo Buonarroti. Vaidoso, ciumento, obsessivo, tímido, excêntrico e genial, ele transformou para sempre nossa ideia do que pode ser um artista. Se sua vida e a complexidade das obras que produziu podem ser comparadas à saga de um herói da mitologia clássica, igualmente hercúleo foi o esforço empreendido por Martin Gayford nesta biografia. Do jovem artista tentando agradar um protetor rico, passando pelo homem que com apenas 26 anos escolhe um bloco de mármore para retirar dele o Davi, até o reconhecido mestre, já no início da velhice, pintando o enorme afresco do Juízo Final na capela Sistina, acompanhamos a trajetória de alguém que viveu paixões intempestivas, guerras e pequenos apocalipses no epicentro das transformações de uma Europa entre a Renascença e a Contrarreforma.

Características

Produto sob encomenda Não
Editora Cosac Naify
Cód. Barras 9788540509221
Altura 23.00 cm
I.S.B.N. 9788540509221
Profundidade 1.00 cm
Acabamento Capa dura
Tradutor Donaldson e Renata Guerra
Número da edição 1
Ano da edição 2015
Idioma Português
Número de Páginas 752
Peso 1.30 Kg
Largura 15.00 cm
AutorGayford,Martin

Avaliações

Avaliação geral: 5

Você está revisando: Michelangelo

Alcir Santos recomendou este produto.
06/02/2016

Uma vida. Uma obra sem iigual

Como biografia é quase irretocável. Ao terminar, o leitor há de concordar com o autor: "homem imensamente talentoso, neurótico, complicado, rabugento, mas, no fim das contas, cativante." Afinal: “...a enorme extensão de sua vida e os tumultuosos fatos históricos que ele vivenciou, às vezes bem de perto – tudo isso se combina para tornar difícil ver, ao mesmo tempo, o homem e obra num todo coeso.”
Michelangelo Buonarroti gostava mesmo era de esculpir e jamais executaria os afrescos não fosse a destemperança e o caráter belicoso e atrabiliário de dois papas que impuseram a ele a realização de trabalhos que não lhe agradavam. Por ironia da vida foi o escultor quem acabou nos legando algumas das mais belas e importantes pinturas de todos os tempos. Afinal, foram dos seus pincéis e não dos cinzéis, que saíram o teto da Capela Sistina, o Juízo Final e a Capela Paulina.
No tocante as esculturas, obras imorredouras que são, algumas listadas entre as mais import
Esse comentário foi útil para você? Sim (0) / Não (0)