Frete Grátis
  • Google Plus

Minerar o Branco (Cód: 3373210)

Werneck,Ronaldo

Arte Paubrasil

Ooopss! Este produto está temporariamente indisponível.
Mas não se preocupe, nós avisamos quando ele chegar.

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 43,00
Cartão Saraiva R$ 40,85 (-5%) em até 1x no cartão ou em até 2x de R$ 21,50 sem juros
Grátis

Cartão Saraiva

Descrição

 Minerar o Branco é um livro que
são dois. Em Preto Nu Branco, o poeta reflete sobre seu ofício e seus
instrumentos de trabalho: a palavra (o preto) inscrita no branco da página. É
também um livro que se forma por metapoemas, poemas voltados para um pensar
sobre a oficina do próprio poema, poemas sobre o ato de fazer. E, claro, também
por poemas que se fazem pelo próprio acontecer, assomados pelo tempo presente –
por tramas, tecidos, tessituras do cotidiano.
Poemas do fazer, pois. Que
surgem da própria palavra grega poietes a designar o poeta, “aquele que faz”.
Dividido em quatro seções (Preto/Branco/Nu/Nu Branco Preto), o livro não se
limita, entretanto, a poemas-sobre-poesia. Apenas uma de suas seções (Preto) é
formada por metapoemas, que refletem (e se refletem) sobre as próprias palavras
a vazar tipograficamente o branco, incrustadas na página. A segunda seção
(Branco) é dedicada ainda e sempre a poemas socialmente engajados,
participantes: tudo ainda é tal e qual. Na terceira (Nu), o poeta (re)vê a si
mesmo e sua postura perante o “outro” & as outras. Na última seção (Nu
Branco Preto), encontram-se alguns poemas-ao-vai-da-valsa e dos anos – coisas do
amor que move coisas, essas coisas também do amor, que vão e vêm. Pontos pretos
que se des/nu/dam no branco da página.
Em Tempos de Mineração, ao lado de
poemas recentes, o poeta se volta às suas origens e revê até mesmo poemas dos
primeiros tempos, abandonados em outros projetos temáticos desenvolvidos ao
longo de seu ofício – e que deram forma & fundo a seus livros já editados.
Um mergulho em tempo de mineração, de minerar os veios antigos, associar novos
poemas a poemas “esquecidos” em “minas de memória” e rememorados agora,
minerados/mineirados. “Minerar em Minas/ palavras-minério/ mineirar em mim/
palavras-mistério” – diz antigo “poelema” do poeta, retomado e aqui (re)minerado
nesses tempos de permanente mineração.
Minerar o Branco se tornou
possível graças ao apoio da Editora Arte Paubrasil, Energisa, Fundação Cultural
Ormeo Junqueira Botelho e Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Governo do
Estado de Minas Gerais.

Características

Produto sob encomenda Não
Editora Arte Paubrasil
Cód. Barras 9788599629147
Altura 21.00 cm
I.S.B.N. 9788599629147
Profundidade 1.00 cm
Acabamento Brochura
Idioma Português
Número de Páginas 303
Peso 0.44 Kg
Largura 14.00 cm
AutorWerneck,Ronaldo

Avaliações

Avaliação geral: 0

Você está revisando: Minerar o Branco