Artboard 33Artboard 16Artboard 18Artboard 13Artboard 42Artboard 21Artboard 4Artboard 5Artboard 45Artboard 22Artboard 7Artboard 42Artboard 23Artboard 17?Artboard 28Artboard 43Artboard 49Artboard 47Artboard 15Artboard 32Artboard 6Artboard 22Artboard 5Artboard 25Artboard 1Artboard 42Artboard 11Artboard 41Artboard 11Artboard 23Artboard 10Artboard 4Artboard 9Artboard 6Artboard 8Artboard 7Artboard 3Artboard 12Artboard 25Artboard 34Artboard 43Artboard 44Artboard 16Artboard 24Artboard 13Artboard 5Artboard 24Artboard 31Artboard 1Artboard 12Artboard 27Artboard 30Artboard 36Artboard 44Artboard 9Artboard 17Artboard 6Artboard 27Artboard 30Artboard 29Artboard 26Artboard 2Artboard 20Artboard 35Artboard 15Artboard 14Artboard 50Artboard 26Artboard 14Artboard 40Artboard 21Artboard 10Artboard 37Artboard 46Artboard 33Artboard 8
e-book

O Artilheiro que não sorria (Cód: 9358661)

Casé, Rafael

Editora Mauad (Livros Digitais)

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 35,60

em até 1x de R$ 35,60 sem juros

Total:

Em até 1x sem juros de


Crédito:
Boleto:
Cartão Saraiva:

Total:

Em até 1x sem juros de


O Artilheiro que não sorria

R$35,60

Descrição

Quarentinha era um craque. Um goleador. O maior da história do Botafogo. E como se não bastasse, possuía um canhão nas duas pernas, para desespero dos goleiros de sua época. Durante um ano e meio, Rafael Casé fez um intenso trabalho de reconstituição dos 62 anos de vida pessoal e profissional de Quarentinha. Entrevistou parentes, amigos ex-companheiros, pesquisou documentação em Belém do Pará, Salvador, Rio de Janeiro, Santa Catarina e até na Colômbia, onde o craque jogou. Fez parte do melhor time alvinegro de todos os tempos. Atuava ao lado de Nilton Santos, Didi, Garrincha, Amarildo e Zagallo. Nestas páginas você vai conhecer, através da trajetória deste paraense que brilhou mundo afora com a bola nos pés, a história de tantos outros jogadores que viveram um período romântico do futebol brasileiro. De acordo com os registros, pela Seleção a média foi de quase um gol por partida e pelo Alvinegro, 313 gols em cerca de 450 partidas. Hoje, certamente seria chamado de fenômeno. A história desse jogador, Waldir Cardoso Lebrego, que foi conhecido mundialmente por Quarentinha, apelido derivado de seu número na lista de chamada da escola em que estudava quando aprendeu o bê-a-bá. “Passa a bola para mim, Quarenta”. “Cruza, Quarenta”, era o que os colegas pediam nas peladas em Belém, no Pará.

Características

Peso 0.00 Kg
Produto sob encomenda Sim
Marca Editora Mauad (Livros Digitais)
Idioma Português
Acabamento e-book
Territorialidade Internacional
Formato Livro Digital Pdf
Gratuito Não
Proteção Drm Sim
Tamanho do Arquivo 9776
Início da Venda 19/07/2016
Cód. Barras 9788574786896
Ano da Publicação 2016
Mês da Publicação JULHO
AutorCasé, Rafael