Frete Grátis
  • Google Plus

O Livro Amarelo do Terminal (Cód: 2580171)

Barbara, Vanessa

Cosac Naify

Ooopss! Este produto está temporariamente indisponível.
Mas não se preocupe, nós avisamos quando ele chegar.

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 49,90 R$ 43,90 (-12%)
Cartão Saraiva R$ 41,71 (-5%) em até 1x no cartão ou em até 2x de R$ 21,95 sem juros
Grátis

Cartão Saraiva

Descrição

O olhar arguto da escritora faz com que ela enxergue em meio ao tumulto do Tietê personagens como o sr. Creso, que passa todos os dias na rodoviária pontualmente às 19h para cumprimentar os funcionários, o vendedor de malas Hugo, 'o Mala', um bebê que dança pelo saguão do terminal com uma bolacha de maisena na mão e uma infinidade de freiras e de surfistas. Ao longo d' O livro amarelo Barbara nos apresenta ainda aos dedicados busólogos, grupo de aficionados por tudo o que diga respeito aos ônibus, e faz um rasante pelo universo burocrático-místico da empresa que controla a rodoviária, a Socicam , ao tentar conseguir alguns dados técnicos sobre o terminal. Ao mesmo tempo que se preocupa com o macro, a autora deixa claro o seu interesse pelas histórias anônimas. Em um dos capítulos traz uma 'história oral do Tietê', feita a partir de fragmentos de conversas colhidas ao acaso. Noutros capítulos reproduz os recados do locutor Marcos, 'A voz mais sedutora do Oeste', a voz da velhinha que pára no balcão de informações e pergunta 'Moça, onde é que eu faço inscrição para ir pro Iraque' e registra trechos dos hits musicais do Tietê. Essa mesma polifonia da rodoviária está transposta no projeto gráfico, da designer e diretora de arte da Cosac Naify, Elaine Ramos. Por serem de gramatura mais fina, as páginas (amarelas) do livro permitem uma transparência maior. A sobreposição parcial das letras emula a bagunça estética do Tietê. Para os três capítulos de cunho mais histórico optou-se por um papel semelhante ao carbono, material muito utilizado na confecção de bilhetes de ônibus.

Toda essa aparente anarquia acaba perfazendo um retrato nítido de um espaço importante da cidade de São Paulo. Assim, ao voltar à rodoviária em abril deste ano para escrever o capítulo de conclusão do trabalho, iniciado em 2003, ela conclui que alguns elementos da rodoviária mudaram, que alguns de seus personagens saíram de cena, mas que o terminal continua funcionando como uma 'versão condensada do mundo', como apontou na orelha do livro o jornalista e documentarista João Moreira Salles.

Características

Produto sob encomenda Não
Editora Cosac Naify
Cód. Barras 9788575032367
Altura 21.00 cm
I.S.B.N. 9788575032367
Profundidade 1.00 cm
Acabamento Brochura
Número da edição 1
Ano da edição 2008
Idioma Português
País de Origem Brasil
Número de Páginas 253
Peso 0.30 Kg
Largura 14.00 cm
AutorBarbara, Vanessa

Avaliações

Avaliação geral: 0

Você está revisando: O Livro Amarelo do Terminal