Artboard 33Artboard 16Artboard 18Artboard 13Artboard 42Artboard 21Artboard 4Artboard 5Artboard 45Artboard 22Artboard 7Artboard 42Artboard 23Artboard 17?Artboard 28Artboard 43Artboard 49Artboard 47Artboard 15Artboard 32Artboard 6Artboard 22Artboard 5Artboard 25Artboard 1Artboard 42Artboard 11Artboard 41Artboard 11Artboard 23Artboard 10Artboard 4Artboard 9Artboard 6Artboard 8Artboard 7Artboard 3Artboard 12Artboard 25Artboard 34Artboard 43Artboard 44Artboard 16Artboard 24Artboard 13Artboard 5Artboard 24Artboard 31Artboard 1Artboard 12Artboard 27Artboard 30Artboard 36Artboard 44Artboard 9Artboard 17Artboard 6Artboard 27Artboard 30Artboard 29Artboard 26Artboard 2Artboard 20Artboard 35Artboard 15Artboard 14Artboard 50Artboard 26Artboard 14Artboard 40Artboard 21Artboard 10Artboard 37Artboard 46Artboard 33Artboard 8

Obsceno Abandono - Col. Amores Extremos (Cód: 111364)

Felinto,Marilene

Record

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 37,90

em até 1x de R$ 37,90 sem juros
Cartão Saraiva: 1x de R$ 36,01 (-5%)

Total:

Em até 1x sem juros de


Crédito:
Boleto:
Cartão Saraiva:

Total:

Em até 1x sem juros de


Obsceno Abandono - Col. Amores Extremos

R$37,90

Quer comprar em uma loja física? Veja a disponibilidade deste produto

Entregas internacionais: Consulte prazos e valores de entrega para regiões fora do Brasil na página do Carrinho.

ou receba na loja com frete grátis

X
Formas de envio Custo Entrega estimada

* Válido para compras efetuadas em dias úteis até às 15:00, horário de Brasília, com cartão de crédito e aprovadas na primeira tentativa.

X Consulte as lojas participantes

Saraiva MegaStore Shopping Eldorado Av. Rebouças, 3970 - 1º piso - Pinheiros CEP: 05402-600 - São Paulo - SP

Descrição

Deveria haver uma lei que proibisse a obscenidade do abandono. Um decreto cheio de artigos, parágrafos, itens e subitens que proibissem a usurpação das ilusões e as fraudes amorosas. Que estabelecesse o direito humano inalienável e incontestável de ser amado pela pessoa amada OBSCENO ABANDONO é um texto visceral e impressionante sobre a solidão. A escritora pernambucana Marilene Felinto, autora do consagrado Mulheres de Tijucupapo - traduzido para o inglês, alemão e francês -, se permite dissecar a dor do amor partido sem pejo, sem salvaguardas, sem vergonha de sofrer e de se reconhecer sofrendo, até um extremo que não se imaginaria suportável. Neste novo romance da Coleção Amores Extremos - que inaugurou um espaço inédito para as vozes femininas de talento no mercado editorial brasileiro -, o leitor irá acompanhar, de corpo e alma, a história de uma mulher abandonada, à beira da loucura e do desespero. A personagem criada por Marilene Felinto, por pouco, nem nome tem. Sozinha, perdeu a identidade e a razão. Tem dias em que acorda com cara de louca. E dias que nem sabe se acorda porque o pesadelo não é interrompido. Arrependimento, maldição, culpas, lembranças e desejos se misturam no desespero interminável da mulher que não aceita ser largada, trocada, preterida. Um corpo vazio, semimorto, que chora, grita e lamenta dia, noite, segunda, terça, quarta... tanto faz. O amor obcecado nada sabe e nada deve saber sobre lógicas, razões, só sente. Sofreu uma injustiça, alguém violou o tal direito humano universal inalienável e incontestável de ser amado pela pessoa amada e, no desespero da rejeição, o repudiado, muitas vezes, precisa tornar-se homem. No homem parece existir uma capacidade maior de equilíbrio. Um homem fica de pé e é isso que ela anseia. Se reerguer, voltar a respirar, ter coragem de abrir os olhos e de sonhar. Mas como? Como se equilibrar sobre duas pernas fracas como as de uma mulher rejeitada? Em OBSCENO ABANDONO, vergonhoso, obsceno, é abandonar o ser que se ama. A palavra dilaceramento se firma como contrapartida eventual da coragem de quem corre o risco, da dignidade da entrega desmedida. A dor é parte, apenas isso, desta mesma grandeza. A pernambucana Marilene Felinto formou-se em Português e Inglês, Língua e Literatura pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo em 1981. De lá pra cá, escreveu os romances As mulheres de Tijucopapo- - traduzido para o inglês, alemão e francês - e O lago encantado de Grongonzo, o volume de contos Postcard, além de um ensaio biográfico sobre Graciliano Ramos. Em 1983, recebeu o prêmio Jabuti na categoria Autor Revelação. Em 1992, foi convidada pela University of California-Berkeley para ministrar um minicurso de literatura brasileira e, dois anos depois, pela Haus Der Kulturen der Welt para participar de um circuito cultural de literatura brasileira pela Alemanha. Em 1998, foi convidada pelo Ministério da Cultura da França para participar do Salão do Livro de Paris em homenagem ao Brasil. Em 2001, seu livro, Jornalisticamente incorreto, foi um dos finalistas do Prêmio Jabuti na categoria crônicas.

Características

Peso 0.14 Kg
Produto sob encomenda Sim
Editora Record
I.S.B.N. 8501063819
Altura 21.00 cm
Largura 14.00 cm
Profundidade 0.50 cm
Idioma Português
Cód. Barras 9788501063816
Ano da edição 2002
País de Origem Brasil
AutorFelinto,Marilene