Frete Grátis
  • Google Plus

Operação Hurricane - Um Juiz No Olho do Furacão (Cód: 3529649)

Alvim, José Eduardo Carreira

Geração Editorial

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 42,00
Cartão Saraiva R$ 39,90 (-5%) em até 1x no cartão ou em até 2x de R$ 21,00 sem juros

Crédito:
Boleto:
Cartão Saraiva:

Total: R$0,00

Em até 1x sem juros de R$ 0,00


Operação Hurricane - Um Juiz No Olho do Furacão

R$42,00

Quer comprar em uma loja física? Veja a disponibilidade deste produto
?

Entregas internacionais: Consulte prazos e valores de entrega para regiões fora do Brasil na página do Carrinho.

ou receba na loja com frete grátis

X
Formas de envio Custo Entrega estimada

* Válido para compras efetuadas em dias úteis até às 15:00, horário de Brasília, com cartão de crédito e aprovadas na primeira tentativa.

X Consulte as lojas participantes

Saraiva MegaStore Shopping Eldorado Av. Rebouças, 3970 - 1º piso - Pinheiros CEP: 05402-600 - São Paulo - SP

Descrição

Quatro anos depois de ter sido preso e desmoralizado, o desembargador José Eduardo Carreira Alvim publica o livro Operação Hurricane – Um Juiz no Olho do Furacão, em que desmonta o que chama de farsa montada pela Polícia Federal – farsa aceita pela Justiça e pela mídia, o que o impediu de ser eleito presidente do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, e o levou à prisão e à aposentadoria antecipada.

Características

Produto sob encomenda Sim
Editora Geração Editorial
Cód. Barras 9788561501631
Altura 22.50 cm
I.S.B.N. 9788561501631
Profundidade 2.00 cm
Acabamento Brochura
Número da edição 1
Ano da edição 2011
Idioma Português
País de Origem Brasil
Número de Páginas 374
Peso 0.44 Kg
Largura 15.50 cm
AutorAlvim, José Eduardo Carreira

Avaliações

Avaliação geral: 5

Você está revisando: Operação Hurricane - Um Juiz No Olho do Furacão

Lourival Lino de Sousa recomendou este produto.
30/03/2016

Mostra que as sentenças judiciais nem sempre são produzidas por juízes e que o mando, comando e decisão, nem sempre está de conformidade com a Legislação, mas sujeito ao entendimento do prolator da sentença.

Mostra que as sentenças judiciais nem sempre são produzidas por juízes ou desembargadores e que o mando, comando e decisão, nem sempre está de conformidade com a Legislação, mas sujeito ao entendimento do prolator da sentença. Daí a força da expressão: "quando um juiz quer, quer, e quando não quer não quer, e ponto final, não adianta o que diga a Constituição e as Leis.
Esse comentário foi útil para você? Sim (0) / Não (0)