Frete Grátis
  • Google Plus

Orvil - Tentativas de Tomada do Poder (Cód: 4268598)

Lmaciel,Licio; Nascimento,José Conegundes

Editora Schoba

Ooopss! Este produto está temporariamente indisponível.
Mas não se preocupe, nós avisamos quando ele chegar.

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 72,90 em até 2x de R$ 36,45 sem juros
Cartão Saraiva R$ 69,26 (-5%) em até 1x no cartão ou em até 3x de R$ 24,30 sem juros
Grátis

Cartão Saraiva

Descrição

O movimento armado de 31 de março de 1964, que depôs João Goulart do cargo de Presidente da República, impediu um golpe que os comunistas planejavam desencadear naquela conjuntura que julgavam oportuna, em face dos desmandos de toda ordem, sobretudo políticos e econômicos, bem como da falta de autoridade que o País mal suportava. Salomão Malina, antigo Secretário-Geral do Partido Comunista Brasileiro, em entrevista à imprensa, reconheceu que setores do PCB, com a aprovação de Luiz Carlos Prestes, conspiravam com aquele propósito, por isso que, ardilosamente, iriam aproveitar-se do clima de agitação reinante, na maior parte, provocado pelo próprio governo. O Brasil caminhava, aceleradamente, para um desfecho imprevisível, em virtude do ambiente de desordem generalizada que se agravara a partir de 1961. Entretanto, os golpistas do “partidão” e seus aliados, mais uma vez, como já acontecera em investidas anteriores, que a história registra em cores fortes, não souberam identificar, na sociedade, a inquestionável repulsa a seus intentos de subversão da ordem e extremada violência. Dessa forma, entende-se o movimento armado de 31 de março, sem qualquer dúvida, como uma contrarrevolução que veio em socorro do povo brasileiro ameaçado seriamente pela baderna e pelo caos. Hoje, os integrantes da frente de esquerda, que se apresenta solidamente enquistada no Poder, fiéis doutrinariamente à máxima de que os fins justificam os meios, voltam-se, especialmente, para as novas gerações, cujas mentes buscam envenenar com argumentação falaciosa, repetida à exaustão. Servem-se, largamente, de inocentes úteis, de vítimas da ignorância e de mentes corrompidas. Seus sequazes incentivam revisões da história que passam a narrar de forma distorcida, onde preponderam a mentira e a felonia. Nos postos de mando alinham-se, despudoradamente, terroristas, sequestradores, assaltantes de banco, criminosos todos, que se locupletam gulosamente de bolsas fartamente endinheiradas. Mas, o que é sumamente grave, novas urdiduras estão em marcha acelerada, pois a partir dos anos 1980, a revolução comunista no Brasil ganhou uma nova vertente inspirada na revolução gramsciana de transição para o socialismo. Sua convivência com pensamento e a práxis política marxista-leninista de alguns partidos caracteriza uma postura tática de pluralismo das esquerdas. O êxito, já alcançado na penetração intelectual e moral do corpo social, é inegável. Chega a um estágio que se teme possa ser irreversível

Características

Produto sob encomenda Não
Editora Editora Schoba
Cód. Barras 9788580130584
Altura 23.00 cm
I.S.B.N. 9788580130584
Profundidade 5.00 cm
Acabamento Capa dura
Número da edição 1
Ano da edição 2012
Idioma Português
Número de Páginas 922
Peso 1.47 Kg
Largura 16.00 cm
AutorLmaciel,Licio; Nascimento,José Conegundes

Avaliações

Avaliação geral: 5

Você está revisando: Orvil - Tentativas de Tomada do Poder

Edson Bento recomendou este produto.
08/10/2015

No mínimo este livro deveria ser obrigatório em todas as universidades brasileiras.

A falta de conhecimento principalmente desta literatura brasileira, leva a população interpretar o regime militar de forma esmagadora como um período negro, sendo que a realidade não se trata de tamanha obscuridade, e me indago, que ditadura era aquela onde eu podia tomar minha cerveja num barzinho qualquer, a qualquer hora da noite e ainda seguir para casa sem a preocupação de ser assaltado no caminho, posso sair perguntando aos meus vizinhos da esquerda, da direita , dos fundos e da frente qual deles tiveram problemas com a ditadura, nenhum.
Teve sim problemas os infratores delinquentes, o vagabundo estes sim, mas os que levantavam as 6:00 da manhã e seguiam para labuta não tiveram problemas com a ditadora, segue meu desabafo.
Esse comentário foi útil para você? Sim (8) / Não (0)
wellington recomendou este produto.
04/07/2014

Bom para saber o outro lado (lado verdadeiro)

o livro que conta tudo que alguém precisa saber para não ser enganado por certos "partidos"
Esse comentário foi útil para você? Sim (13) / Não (0)