Artboard 33Artboard 16Artboard 18Artboard 13Artboard 42Artboard 21Artboard 4Artboard 5Artboard 45Artboard 22Artboard 7Artboard 42Artboard 23Artboard 12Artboard 28Artboard 17?Artboard 28Artboard 43Artboard 49Artboard 47Artboard 15Artboard 32Artboard 6Artboard 22Artboard 5Artboard 25Artboard 1Artboard 42Artboard 11Artboard 41Artboard 11Artboard 23Artboard 10Artboard 4Artboard 9Artboard 6Artboard 8Artboard 7Artboard 3Artboard 12Artboard 25Artboard 34Artboard 43Artboard 44Artboard 16Artboard 24Artboard 13Artboard 5Artboard 24Artboard 31Artboard 1Artboard 12Artboard 27Artboard 30Artboard 36Artboard 44Artboard 9Artboard 17Artboard 6Artboard 27Artboard 30Artboard 29Artboard 26Artboard 2Artboard 20Artboard 35Artboard 15Artboard 14Artboard 50Artboard 26Artboard 14Artboard 40Artboard 21Artboard 10Artboard 37Artboard 46Artboard 33Artboard 8

Sobre a Amizade (Cód: 1416449)

Cicero

Nova Alexandria

Este produto está temporariamente indisponível no site, mas não se preocupe, você pode reservá-lo para retirada em uma loja física!

Reserve seu produto na loja para retirada em até 1 hora.
Ops! Este produto está temporariamente indisponível. Mas não se preocupe, nós avisamos quando ele chegar.
Ops! Este produto está temporariamente indisponível. Mas não se preocupe, nós avisamos quando ele chegar.

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 32,00

em até 1x de R$ 32,00 sem juros
Cartão Saraiva: 1x de R$ 30,40 (-5%)

Total:

Em até 1x sem juros de


Crédito:
Boleto:
Cartão Saraiva:

Total:

Em até 1x sem juros de


Sobre a Amizade

R$32,00

Descrição

'Não há bem maior do que a amizade'. Esta máxima vem sendo afirmada e repetida desde a Antiguidade. Mas como saber se uma amizade é de fato autêntica? Quais parâmetros éticos e morais devem reger uma relação entre amigos? Essas e outras questões já preocupavam Marco Túlio Cícero, a tal ponto que um de seus trabalhos fundamentais foi justamente o texto Sobre a amizade, que a Editora Nova Alexandria acaba de publicar com apresentação, tradução e notas do prof. João Teodoro d'Olim Marote, da USP, ampliando a linha da editora que, desde a sua fundação, vem se dedicando à publicação, com enorme sucesso, de grandes clássicos da Antigüidade greco-latina, sempre em edições bilíngües.
Escrito em 44 a.C., Sobre a amizade é um pequeno tratado no qual Cícero diz estar reproduzindo uma conversa entre Caio Fânio, Quinto Múcio Cévola e Caio Lélio, em que este último, entristecido com o falecimento de seu amigo Cipião, fala sobre a amizade. O diálogo só existe, efetivamente, em poucas passagens do texto, prevalecendo, na verdade, uma envolvente exposição de teses sobre o tema.
Suas considerações iniciais versam sobre a imortalidade da alma e, nesse sentido, defende a idéia de que a amizade - que une os justos e virtuosos - sobrepuja a própria morte, uma vez que ela tem a capacidade de perpetuar a memória daqueles que se foram.
Embora escrito há mais de dois mil anos, este livro permanece incrivelmente atual, exatamente por tratar das relações de amizade que estabelecemos tanto do ponto de vista mais íntimo e pessoal quanto nas relações sociais. Cícero afirma que a verdadeira amizade fundamenta-se na virtude e nos alerta para que fiquemos atentos em relação aos bajuladores, que apenas vêem na amizade uma forma de atingir objetivos utilitários e, freqüentemente, ilícitos. Cícero mostra que a corrupção na administração pública está fortemente relacionada ao estabelecimento de falsas amizades.
Um ponto central de sua exposição é o estreito vínculo que deve haver entre amizade e virtude, entendida esta última como inerente à própria natureza. A virtude, desse modo, é o eixo que Cícero utiliza para questionar a tese do utilitarismo da amizade - no sentido de que esta nasceria e sobreviveria com o atendimento de conveniências mútuas - e, igualmente, sobre a questão do prazer. Colocando-se ao lado dos estóicos romanos, Cícero apresenta uma crítica corrosiva de uma visão supostamente 'epicurista', disseminada popularmente. Vale assinalar que, nessa época, gregos que se autodenominavam filósofos - e que, efetivamente, caracterizavam-se mais como charlatães -, vinham a Roma oferecer à elite uma filosofia do prazer, que era, na verdade, uma justificativa para o desbragamento moral que grassava na República Romana, já em processo de decadência.

Características

Peso 0.16 Kg
Produto sob encomenda Não
Editora Nova Alexandria
I.S.B.N. 8574921297
Altura 21.00 cm
Largura 14.00 cm
Profundidade 0.70 cm
Número de Páginas 120
Idioma Português,Inglês
Acabamento Brochura
Cód. Barras 9788574921297
Ano da edição 2006
País de Origem Brasil
AutorCicero