Frete Grátis
  • Google Plus

Teste da Paixão - Descubra o que Você Realmente Ama Fazer (Cód: 2589254)

Attwood,Janet Bray; Attwood,Chris

Sextante / Gmt

Ooopss! Este produto está temporariamente indisponível.
Mas não se preocupe, nós avisamos quando ele chegar.

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 19,90
Cartão Saraiva R$ 18,91 (-5%) em até 1x no cartão
Grátis

Cartão Saraiva

Descrição

Por saber que essa frustração é comum, Janet e Chris Attwood criaram 'O Teste da Paixão' para reacender a chama de nossos desejos e fazer com que eles ocupem um lugar central em nossa vida.
Muitas vezes, sufocamos nossas vontades por insegurança, vergonha ou excesso de compromissos. Quando investimos nelas, experimentamos uma sensação de bem-estar e passamos a dar uma contribuição mais efetiva para o mundo.
Com histórias inspiradoras e exemplos de pessoas bem-sucedidas que vivem de acordo com suas paixões, este livro vai ensinar você a:
- Identificar seus verdadeiros desejos e torná-los realidade
- Abandonar comportamentos que afastam você de seus sonhos
- Descobrir como alinhar sua paixão com seu destino

Características

Produto sob encomenda Sim
Editora Sextante / Gmt
Cód. Barras 9788575424063
Altura 21.00 cm
I.S.B.N. 9788575424063
Profundidade 0.00 cm
Acabamento Brochura
Número da edição 1
Ano da edição 2008
MÊS JULHO
Idioma Português
País de Origem Brasil
Número de Páginas 192
Peso 0.22 Kg
Largura 14.00 cm
AutorAttwood,Janet Bray; Attwood,Chris

Leia um trecho

“Há dois grandes dias na vida de uma pessoa – o dia em que ela nasce e o dia em que descobre por que nasceu.” Senhor, Obrigado por cada momento de nossas vidas. Obrigado por tudo o que nos destes. Somos o que somos por Vossa causa. O que fazemos, pensamos, temos ou sentimos Devemos a Vós. Que nós sejamos veículos Para as Vossas palavras. Usai-nos como desejar. Somos Vossos humildes servos Que atravessam esse caminho de mãos dadas Convosco. Que as palavras nestas páginas Toquem o coração de todos aqueles que anseiam Unir-se a Vós. Que elas inspirem cada um de nós A aliar nossas vidas a Vós e à Vossa vontade. Oferecemos tudo o que temos Em gratidão, Curvando-nos em Vossa presença. “Há dois grandes dias na vida de uma pessoa – o dia em que ela nasce e o dia em que descobre por que nasceu.” – WILLIAM BARCLAY, teólogo e escritor escocês, 1907-1978 Prefácio Você às vezes se sente sem ânimo e frustrado com a própria vida? Nesses momentos acha que seus sonhos nunca vão se realizar? Alegre-se, pois este livro vai mudar isso. Imagino que você saiba que viver de forma apaixonada é a chave para uma vida plena e feliz. No entanto, a maioria das pessoas tem dificuldade em descobrir qual é sua paixão. Muitas vezes eu digo: “O principal motivo que leva as pessoas a não conseguir o que querem é não saber o que querem.” Por isso eu lhe ofereço o Teste da Paixão. Ele o ajudará a começar a descobrir, da maneira mais fácil e clara possível, o que deseja. Ao fazer a sua lista das 10 ou 15 qualidades do seu ideal de vida, ficará surpreso ao perceber o que é realmente importante para você. A clareza é essencial para o sucesso. Ela leva ao poder – o poder de agir –, que é a base da realização, da satisfação e da felicidade na vida. Sem uma direção clara, você fica paralisado ou correndo em círculos. Pior ainda, talvez nunca desenvolva todo o seu potencial por não ousar empenhar-se totalmente. Não é qualquer direção que serve, e aí reside o desafio. Cada um de nós é único. Cada um de nós tem algo de especial a oferecer ao mundo. Cada um de nós tem seus dons e talentos naturais. Para sermos de fato felizes, precisamos usar nossas características únicas para trazer uma contribuição para a vida de outras pessoas. O Teste da Paixão que você fará à medida que for lendo este livro o ajudará a descobrir o seu dom único. Cabe a você decidir se vai partilhá-lo com os outros. O melhor que posso desejar é a sua liberdade. T. HARV EKER Presidente e diretor executivo da Peak Potentials Training e autor de Os segredos da mente milionária O Teste da Paixão – Como foi a sua viagem? – perguntou Chris. – Sem sombra de dúvida, foi a melhor e mais fantástica experiência de toda a minha vida – respondeu Janet. – O que houve? Uma expressão de perplexidade estampou-se no rosto de Janet. – Devo estar louca! – disse ela. Você conhecerá a incrível história de Janet antes do fim deste livro. Mas, primeiro... Introdução O que significa uma vida apaixonada? Uma vida excitante, emocionante, entusiasmada, cheia de propósito, focada, motivada, gratificante, divertida, fácil, alegre, sem limites. Significa viver de acordo com o nosso destino. É claro que todos nós gostaríamos de sentir que nossas vidas têm um propósito. Todos queremos sentir entusiasmo com o que fazemos no cotidiano, todos queremos amar a própria vida e sentir que estamos de algum modo dando a nossa contribuição para o mundo que nos cerca. Mas como descobrir qual a sua verdadeira paixão? É disso que trata este livro. Antes de começar, queremos conversar com você sobre algumas questões: 1. A chave para criar qualquer coisa que você quiser na sua vida. 2. Um pouco sobre quem somos. 3. O “trabalho interior” através do qual este livro o guiará e por que ele é essencial para o seu sucesso. 4. Qual a relação entre destino e paixão. Então, vamos lá. Intenção – Atenção – Nenhuma tensão Foi nosso amigo e conselheiro Bill Levacy quem nos transmitiu isso. Recomendamos que você faça dessas palavras o seu mantra. É a essência do que é necessário para criar qualquer coisa na sua vida. Intenção – Formular conscientemente o que você escolhe criar em sua vida é o primeiro passo para manifestar a sua escolha. Atenção – Concentre-se no que você escolhe criar na vida, e o seu desejo começará a se realizar. Nenhuma tensão – Quando você se abre ao que acontece no momento presente, permite que a vontade de Deus se manifeste por meio de você. Mas quando se apega fortemente às suas idéias sobre como as coisas devem ser, você bloqueia o fluxo da vida, impedindo-o de desfrutar a realização de seu destino pessoal. Quem somos nós? Se estivéssemos no seu lugar, estaríamos nos perguntando: quem são essas pessoas que ficam me dizendo como devo viver a minha paixão? Janet foi gerente de cozinha em hotéis para milhares de pessoas na Espanha e na Itália. Tornou-se a vendedora mais bem-sucedida em diversos empregos e teve duas empresas, que foram eleitas entre as 10 melhores em suas áreas de atuação. Trabalhou numa empresa de treinamento, ministrando cursos motivacionais de grande sucesso. Foi gerente da divisão de telemarketing da Books are Fun, a terceira maior compradora de livros dos Estados Unidos, vendida para a Reader’s Digest por 360 milhões de dólares. Em sua carreira, Chris foi presidente, gerente-geral e diretor de operações em 10 diferentes empresas. Em 1981, depois de se tornar presidente de uma revendedora de títulos do governo, decidiu seguir sua paixão e afastou-se durante 10 anos para explorar a consciência humana e estudar a tradição védica da Índia. Nós dois levamos uma vida de prática espiritual. A meditação sempre foi a base de nossas vidas. Em determinados momentos Janet seguiu seus sonhos, desviou-se desse caminho, perseguiu novamente seus sonhos e voltou a sair diversas vezes. Chris passou pelas mesmas experiências. Esse vaivém que aconteceu com eles é comum à maioria das pessoas, mas algumas ficam fora do caminho a vida inteira. Na esperança de que possamos ajudar você a voltar para o seu caminho, ou se firmar naquele que está seguindo, escrevemos este livro. Em novembro de 2000, Janet recebeu um telefonema de seu amigo Mark Victor Hansen, co-autor da série de enorme sucesso Histórias para aquecer o coração. Na ligação, Mark lhe disse: “Estou trabalhando num novo livro com Robert G. Allen, que escreveu o best-seller Nothing Down (Não pague nada), sobre mercado imobiliário. Quero que você trabalhe conosco na publicidade desse novo livro.” Nem é preciso dizer que Janet ficou animadíssima. Mark explicou o que tinha em mente e pediu que ela mandasse um plano de negócios dentro de três dias. Janet descreve como se sentiu: “Quando Mark falou do planejamento, eu caí das nuvens. Não é isso o que eu faço, pensei. Foi naquele momento que tive a inspiração. Mesmo depois do divórcio, meu ex-marido, Chris, e eu continuamos a ser ótimos amigos. Chris tem mestrado em administração e é ótimo em planejamento. Como nossas habilidades são complementares, achei que poderíamos fazer aquele projeto juntos. Liguei para ele na Califórnia, expliquei a situação e perguntei se podia me ajudar a bolar um plano de negócios nos próximos três dias. Chris adorou a idéia de trabalhar com Mark e Bob, mas disse que precisaria de pelo menos três semanas para elaborar um plano estratégico. Resolvi apelar: “Será que você não pode fazer isso como um presente de Natal para mim?” Chris acabou concordando em fazer o esboço de um plano que poderia nos guiar na próxima conversa com os autores. Esse foi o começo de uma parceria maravilhosa. Chris e eu trabalhamos durante um ano com Mark e Bob criando o Enlightened Millionaire Program, o programa de treinamento com duração de um ano que concebemos com base no plano promocional para ajudar a vender o livro. Ao trabalhar com centenas de pessoas naquele programa, mais uma vez descobri o que significa ter uma vida apaixonada.” Naquele ano começamos a divulgar o Teste da Paixão e descobrimos que ele exercia um efeito profundo sobre as pessoas. Já o aplicamos em milhares de pessoas em diferentes partes do mundo, e é maravilhoso constatar o impacto que ele tem sobre a vida delas. Eis alguns exemplos: “Foi só depois que fiz o Teste da Paixão que descobri que uma das minhas cinco maiores paixões era viajar para o exterior com meus filhos. Dois dias depois de fazer o Teste e de descobrir quais eram minhas paixões, recebi um e-mail de amigos nos convidando para viajar até Tonga no barco deles para participar de um filmagem sobre baleias. Fiquei absolutamente maravilhada! Janet tinha razão quando disse: ‘Aquilo em que você concentra a sua atenção se torna mais forte na sua vida.’ Recomendo o Teste da Paixão para todos aqueles que quiserem ter suas paixões manifestadas o mais rápido possível!” – Dr. Jacalyn Buettner “Eu ganhara o Oscar de melhor diretor de curta-metragem, mas tinha perdido completamente o rumo. Estava dirigindo comerciais com bebês para fabricantes de brinquedo. As palestras do Teste da Paixão me fizeram retomar o trabalho que amo apaixonadamente, que é provocar mudanças através de meus filmes. Agora, um ano depois, meu sonho concretizou- se. Além de estar produzindo sete filmes, estou prestes a dirigir o meu primeiro longa. Trabalho com pessoas maravilhosas e nunca me senti tão feliz e realizado.” – Jeffrey Brown Na primeira parte deste livro contamos de que forma Janet está realizando uma de suas paixões. Preste atenção às lições contidas nessa história porque elas serão essenciais para ajudar você a realizar o seu próprio destino. Trabalhando o interior Na nossa revista online Healthy Wealthy nWise (Saudável, rico e sábio) entrevistamos todos os meses famosos professores da área de transformação pessoal. Muitos desses mestres comentaram em suas entrevistas que a maioria das pessoas não quer abandonar suas ocupações diárias e reservar o tempo necessário para fazer seu “dever de casa interno”. A maioria não consegue parar o que está “fazendo”, com medo de deixar de ter dinheiro para viver, cuidar da família, pagar o aluguel, etc. Os mestres de excelência lhe dirão que os melhores resultados não se criam no nível do “pensar” ou do “fazer”, e sim mergulhando fundo em si mesmo e recorrendo à fonte infinita de criatividade e inteligência que existe dentro de todos nós. Neste livro iremos partilhar com você alguns conhecimentos necessários para ter uma vida plena em todos os níveis: pessoal, emocional, espiritual, físico/material. Você irá se divertir bastante, porque acreditamos que só vale a pena fazer algo se for com alegria e bom humor. Convidamos então você a brincar conosco, sonhando e imaginando a sua vida apaixonada à medida que for completando os exercícios que lhe apresentamos. O que é o destino pessoal? Eu tenho um? É claro que tem. Todos nós temos. Pense um pouco. Nenhuma pessoa no planeta é exatamente igual a outra. Você é uma pessoa única. Tem dons que ninguém mais possui. E você possui esses dons porque tem um papel importante a desempenhar no mundo. Para isso precisa dar um pouco de si e partilhar seus dons. Ao desempenhar esse papel, você está vivendo o seu destino pessoal. Quando está em harmonia com o seu destino, a sua vida é alegre, encantadora, cheia de entusiasmo e gratificação. As suas paixões são o que há de mais profundamente importante para você. São elas que o deixam animado, feliz, cheio de alegria. As pessoas que você ama estão ligadas às suas paixões, e em muitos casos o seu relacionamento com elas pode ser a sua paixão. Freqüentemente as pessoas listam seus parceiros, suas famílias e seus filhos entre as paixões principais. Para a maioria, o destino pode ser alcançado quando elas se sentem parte de uma equipe, e a família é a equipe mais fundamental. Paixão e amor estão intimamente ligados porque ambos surgem do coração. Quando você segue as suas paixões, você ama a sua vida. O Dr. Andrew Newberg e Mark Waldman, neurocientistas do Centro de Estudos da Espiritualidade e da Mente da Universidade da Pensilvânia, estudaram durante muito tempo a relação entre aquilo em que acreditamos e aquilo que criamos no mundo. São os co-autores do aclamado livro Born to Believe (Nascido para crer). Perguntamos a eles se, ao viver de acordo com as coisas que mais amamos, fortalecemos nosso propósito de vida, passando a sentir mais alegria e satisfação. Veja o que eles disseram: “O cérebro fica muito feliz quando focamos naquilo que amamos. Quanto mais nos concentramos nas coisas que realmente amamos e desejamos, mais diminui o volume nas partes do sistema límbico em que as emoções destrutivas de medo, raiva, depressão e ansiedade são controladas. Isso permite que pensemos com maior clareza. Quando nos concentramos naquilo que amamos, também aumentamos o volume em outras partes do sistema límbico, que geram as emoções positivas. Quando isso acontece, há liberação de dopamina, endorfinas e vários neurotransmissores e hormônios que reduzem o estresse. Quanto mais nos concentramos naquilo que amamos, maior é a possibilidade de ficarmos saudáveis, e os efeitos positivos dos neuroquímicos redutores do estresse em nossos corpos e mentes se fazem sentir com maior intensidade. De fato, é possível diminuir as emoções negativas e aumentar as positivas quando vivemos de acordo com o que julgamos mais importante para nós.” Mas o que isso tem a ver com o seu destino? As suas paixões não são o seu destino. Elas são as pistas ou as chaves que levam ao seu propósito pessoal. Quanto mais apaixonada é a sua vida, mais ela entra em sintonia com o destino. Você vai descobrir isso ao ler, na segunda parte deste livro, as entrevistas com algumas pessoas muito bem-sucedidas. O destino é a jornada de toda uma vida. As paixões se modificam com o tempo, à medida que passamos a nos conhecer mais profundamente. Quando seguir suas paixões, você irá perceber que se sente irresistivelmente impelido para a frente, e um dia vai acordar e descobrir que, ao viver de forma apaixonada, está cumprindo o seu destino. Tudo começa quando deixamos claro quais são as nossas principais paixões. Você fará isso antes de terminar a leitura deste livro. Lembre-se do mantra do começo do capítulo. É a fórmula simples para viver o seu destino pessoal: Intenção – Atenção – Nenhuma tensão Vamos seguir em frente, com a intenção de descobrir suas verdadeiras paixões e, assim, cumprir o destino para o qual você foi criado. C A P Í T U L O U M O começo do começo Quando você segue a sua felicidade... portas se abrem onde você menos espera que haja portas; e onde não haveria porta para ninguém mais além de você. – JOSEPH CAMPBELL – Como foi a sua viagem? – perguntou Chris. – Sem sombra de dúvida, foi a melhor e mais fantástica experiência de toda a minha vida – respondeu Janet. – O que houve? Uma expressão de perplexidade estampou-se no rosto de Janet. – Devo estar louca! – disse ela. – Fiquei tão doente que mal pude sair da cama durante uma semana. Caí de uma montanha e quase morri. Só faltou eu congelar no Himalaia. Um burro me deu um coice, e tive que viajar sozinha pela Índia, coisa que jurei que jamais faria. Apesar de tudo isso, a viagem de Janet à Índia foi a melhor experiência de sua vida. Ela conheceu mais de 60 “santos”, indivíduos venerados por sua sabedoria e iluminação. Ela entrevistou mais de 40 para o documentário e livro que vai lançar. Fez a caminhada até a nascente do Ganges, o rio sagrado, bem no alto do Himalaia, e teve algumas das revelações mais profundas de sua vida. Daqui a pouco contaremos como a paixão de Janet criou essa viagem que mudou sua vida e as incríveis experiências que dela se originaram. Primeiro, vamos falar sobre os amores da sua vida. Por que você está lendo este livro? Imagino que seja porque lá no fundo você tem uma forte sensação de que seu destino pessoal é diferente daquele que está vivendo agora. Nós nos sentimos privilegiados e gratos por termos descoberto como viver imersos em nossas paixões. Foram necessários mais de 30 anos de trabalho para cada um de nós, e de modo geral não foi fácil. Não ficaríamos surpresos se você dissesse que sabe perfeitamente o que é trabalhar semanas, meses e anos tentando de todas as maneiras sair da rotina, sobrevivendo de contracheque em contracheque. Talvez já tenha procurado ganhar dinheiro das mais variadas formas. Talvez você saiba o que se sente quando outro grande plano falha, quando bate a depressão e o desânimo toma conta, deixando um peso no estômago e fazendo você pensar: “Será que vale mesmo a pena?” Nós também passamos por isso. E acabamos descobrindo que essas sensações surgem quando não estamos vivendo de acordo com nosso destino pessoal. Mas tudo isso pode mudar de uma hora para outra, como aconteceu com Janet. A luz continua acesa Janet começou sua jornada dançando sob a luz dos postes na rua quando era criança: “Quando eu tinha 8 anos, ficava deitada na cama à noite esperando até a hora em que minha família fosse dormir. Então, eu saía silenciosamente de casa e entrava no mundo da minha fantasia. Era minha hora favorita. Sob a luz do poste da esquina, meu mundo se transformava num palco iluminado. Eu era uma linda e famosa atriz, apresentando-me para milhares de admiradores loucos por mim. Até a madrugada eu cantava e dançava, totalmente entregue à minha imaginação. Ali, no meu palco da esquina, eu me sentia realmente viva, realmente livre. Quando minhas tias e meus tios vinham nos visitar, pedia para meu pai anunciar que eu ia dançar e cantar para eles. Minha irmã e meu irmão me odiavam quando meu pai reunia todo mundo na sala para assistir ao meu show! Naqueles momentos, Mickey e Johnny fugiam pela porta dos fundos, morrendo de vergonha. Afinal, eu cantava desafinado e não sabia dançar. Mas meu entusiasmo superava qualquer insegurança. Sem nenhuma hesitação, eu fazia uma apresentação para todos os nossos visitantes. Pedi várias vezes aos meus pais para me matricularem na Pasadena Playhouse, a escola de teatro perto de casa. Eles respondiam: ‘Desculpe, querida, mas não temos dinheiro para esse tipo de coisa.’ Quando eu tinha uns 10 anos, meu pai concordou em atender a meu antigo pedido. Muito triste, olhei para ele e disse: ‘Eu adoraria ir para a Pasadena Playhouse, mas agora é tarde demais. Já passei da idade.’ Eu achava que tinha desperdiçado minha chance de me tornar uma grande estrela. Então, naquele momento importante, meu mundo de fantasia caiu por terra e eu entrei no mundo da dura realidade. Achei que já era hora de crescer e que tinha passado da idade de fazer esse tipo de coisa. Foi aí que eu errei. Quando completei 18 anos, já tinha parado de sonhar e vivia uma versão pouco inspirada da chamada ‘vida real’. Nunca pensava sobre o que eu gostava de fazer, esperava fazer ou queria fazer. Tinha me esquecido de tudo isso. Quando precisei trabalhar, procurei nos classificados, com dois únicos critérios: carga horária e salário. Em 1981, comecei a trabalhar em uma empresa de contratação técnica em San José, na Califórnia. Era uma empresa de grande sucesso. Eu via muita gente entusiasmada comprando carros e casas, tirando férias em lugares maravilhosos – e eu sentada à minha mesa, esperando que o relógio marcasse cinco da tarde. Sempre saía do trabalho me sentindo humilhada, envergonhada, desanimada e pobre. Depois fui contratada por uma das melhores empresas da cidade, onde havia 12 funcionários, quase todos meus amigos. Quando surgiu uma vaga, a opinião foi unânime: ‘É o emprego perfeito para a Janet.’ E por que não? Eu era conhecida por ser capaz de unir as pessoas, por ser uma grande comunicadora, uma fonte inesgotável de energia, alguém que sempre conseguia resolver as coisas. Ninguém se deu conta – nem eu – de que me faltava uma habilidade essencial para um bom desempenho naquela empresa: talento para ciências exatas. O que me fez enfrentar um novo fracasso e decepção. Certo dia, vi um folheto anunciando um curso motivacional chamado Diga Sim ao Sucesso. De repente, brotou em mim a convicção de que eu precisava fazer aquele curso. Não tive dúvida: disse que estava doente e faltei ao trabalho. A líder do seminário era uma mulher jovem chamada Debra Poneman, que falava sobre a importância de ‘descobrir a sua paixão’. Enquanto observava Debra lecionar, falando com entusiasmo sobre como administrar o tempo e estabelecer metas, fiquei pouco interessada no que ela dizia, mas fascinada com Aquela mulher, sem dúvida, estava vivendo de acordo com sua paixão – dava para ver isso em cada palavra e gesto seu. Debra parecia ser uma pessoa realmente feliz. Lá estava ela levantando a moral de todos não apenas com sua compreensão profunda das coisas, mas também com o amor que irradiava. Ela viajava pelo mundo e ganhava dinheiro falando sobre aquilo que adorava, e era brilhante no que fazia. Podia haver coisa melhor? Debra nos ensinou que, quando vemos alguém que tem algo que desejamos, em vez de nos deixar dominar pela inveja ou ressentimento, devemos apenas pensar: ‘Também quero isso para mim!’ Resolvi seguir à risca esse conselho. Fechei os olhos e silenciosamente repeti meu novo e valoroso mantra: ‘Também quero isso para mim! Também quero isso para mim! Também quero isso para mim!’ Por um feliz acaso do destino, quando o curso terminou, dei carona para Debra até o aeroporto. Enquanto esperávamos pelo avião, ela me olhou bem fundo nos olhos e perguntou: – Qual é o seu sonho, Janet? Olhei de volta para ela firmemente e disse: – Que bom que você perguntou! Eu estava pensando hoje que ou você devia me contratar, ou passar a fazer outra coisa, porque eu vou ser a palestrante motivacional mais bemsucedida do planeta. Naquele momento os alto-falantes anunciaram o vôo. Sem fazer nenhum comentário sobre o que eu acabara de dizer, Debra me abraçou, virou-se rapidamente e foi embora. Tudo o que eu pude pensar foi: ‘Esta não é a última vez que ela vai me ver!’ Sou o tipo de pessoa que, assim que descobre a direção em que quer ir, faz mudanças rapidamente. No dia seguinte, voltei ao trabalho sabendo que meus dias de robô desanimado estavam prestes a acabar. Só um pensamento martelava na minha cabeça: como eu poderia convencer Debra a me contratar? Finalmente, bolei um plano para impressioná-la. Ao fim do curso, Debra nos informara de sua agenda para as palestras nos meses seguintes em várias cidades. Decidi conseguir dinheiro suficiente para viajar para cada um desses lugares e sentar-me na primeira fila em cada palestra. Sempre que Debra entrasse na sala, ela me veria na frente e então saberia que eu estava falando sério. A única coisa que eu precisava era de dinheiro para os gastos. Naquela mesma noite, encontrei uma amiga no centro de Meditação Transcendental que eu costumava freqüentar. Quando ela casualmente perguntou o que eu andava fazendo, deixei-a surpresa, declarando, entusiasmada, que eu havia finalmente descoberto qual era o meu propósito neste planeta. E falei do meu plano. Na noite seguinte, ao me encontrar no centro de meditação, essa amiga deixou cair 10 notas de 100 dólares novinhas em folha sobre a minha cabeça, rindo e dizendo: – Feliz Natal! Fiquei sem reação, de boca aberta. Com os olhos cheios de lágrimas, abracei-a efusivamente e agradeci por ela acreditar em mim, prometendo que logo eu iria recompensá-la por sua imensa generosidade. Segui meu plano e fui de cidade em cidade, comparecendo a todos os seminários de Debra. Finalmente, no último seminário, ela veio até mim e disse: – Está bem. Já que não consigo me livrar de você, é melhor contratá-la. Nem preciso dizer que foi um momento maravilhoso. Eu estava caminhando em direção ao meu sonho. No entanto, o que houve de mais importante foi que, durante as palestras de Debra, algo foi nascendo dentro de mim: o Teste da Paixão.”

Avaliações

Avaliação geral: 0

Você está revisando: Teste da Paixão - Descubra o que Você Realmente Ama Fazer