Artboard 33 Artboard 16 Artboard 18 Artboard 15 Artboard 21 Artboard 1 Artboard 2 Artboard 5 Artboard 45 Artboard 45 Artboard 22 Artboard 9 Artboard 23 Artboard 17? Artboard 28 Artboard 43 Artboard 49 Artboard 47 Artboard 38 Artboard 32 Artboard 8 Artboard 22 Artboard 5 Artboard 25 Artboard 1 Artboard 42 Artboard 11 Artboard 41 Artboard 13 Artboard 23 Artboard 10 Artboard 4 Artboard 9 Artboard 20 Artboard 6 Artboard 11 Artboard 7 Artboard 3 Artboard 3 Artboard 12 Artboard 25 Artboard 34 Artboard 39 Artboard 24 Artboard 13 Artboard 19 Artboard 7 Artboard 24 Artboard 31 Artboard 4 Artboard 14 Artboard 27 Artboard 30 Artboard 36 Artboard 44 Artboard 12 Artboard 17 Artboard 17 Artboard 6 Artboard 27 Artboard 19 Artboard 30 Artboard 29 Artboard 29 Artboard 26 Artboard 18 Artboard 2 Artboard 20 Artboard 35 Artboard 15 Artboard 14 Artboard 48 Artboard 50 Artboard 26 Artboard 16 Artboard 40 Artboard 21 Artboard 29 Artboard 10 Artboard 37 Artboard 3 Artboard 3 Artboard 46 Artboard 8

Acesso À Justiça Nos Sistemas Internacionais de Proteção de Direitos Humanos (Cód: 8271374)

Aguiar, Marcus Pinto

Lumen Juris

Ooopss! Este produto está temporariamente indisponível.
Mas não se preocupe, nós avisamos quando ele chegar.

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 70,00 em até 2x de R$ 35,00 sem juros
Cartão Saraiva R$ 66,50 (-5%) em até 1x no cartão ou em até 3x de R$ 23,33 sem juros

Crédito:
Boleto:
Cartão Saraiva:

Total: R$0,00

Em até 2x sem juros de R$ 0,00


Acesso À Justiça Nos Sistemas Internacionais de Proteção de Direitos Humanos

R$70,00

Descrição

É preciso ter esperança de que as condições para uma existência digna para cada das pessoas humanas podem ser alcançadas pela luta diária em prol da concretização dos direitos humanos na realidade de vida de cada um.
E é disto que trata este trabalho: de esperança. Mas que se manifesta não apenas na forma de um ideal, e sim, também, por instrumentos jurisdicionais adequados a permitir que o acesso à justiça seja ampliado para além das fronteiras nacionais.
O trabalho enfoca as estruturas organizacionais, normativas, jurisdicionais e políticas que compõem os Sistemas Global (ONU) e Regionais (Interamericano, Africano e Europeu, principalmente) de Proteção e Promoção dos Direitos Humanos, cuja atuação tem contribuído para a disseminação de uma cultura de valorização da dignidade da pessoa humana, por meio da ampliação da discussão nos âmbitos estatais e supranacionais da importância dos direitos humanos fundamentais e da possibilidade de judicialização das questões relativas às violações de tais direitos.
Apresenta ainda as dificuldades de integração entre as normas de direito interno e dos Tratados Internacionais de Direitos Humanos no Brasil, a partir dos posicionamentos do Supremo Tribunal Federal, apontando ainda, como meios para superá-las, a Pluridimensionalidade Dialógica, que abrange o diálogo internormativo (entre fontes normativas) e o interinstitucional (entre Cortes), além da incorporação do Controle de Convencionalidade à ordem interna pública (jurídica, legislativa e administrativa).
Mas a riqueza desta obra está também na confrontação entre os meios teóricos colocados à disposição para garantir direitos e a realidade prática da vida. Aqui entra a análise da primeira condenação do Brasil na Corte Interamericana de Direitos Humanos, o caso Damião Ximenes Lopes versus Brasil, sob três enfoques. O processual, de modo a permitir que o leitor conheça os passos para que uma violação de direitos que acontece no âmbito local possa ser discutida na esfera da Comissão e da Corte Interamericanas. O material, por meio do qual se estabelece uma visão das lutas antimanicomiais e da reforma psiquiátrica no Brasil, como forma de garantir os direitos das pessoas com deficiência mental.
E o terceiro enfoque da análise do Caso, é permitir a percepção do sofrimento do outro, dos familiares, diante da negação de sua condição humana, da violação de suas liberdades, de sua dignidade, de sua vida. Algo passível de acontecer com qualquer um de nós. Daí a conclusão de que para lutar por direitos humanos é necessário verdadeiramente 'amar o próximo como a si mesmo'.

Características

Produto sob encomenda Não
Editora Lumen Juris
Cód. Barras 9788584400430
Altura 21.00 cm
I.S.B.N. 9788584400430
Profundidade 1.00 cm
Acabamento Brochura
Número da edição 1
Ano da edição 2014
Idioma Português
Número de Páginas 205
Peso 0.33 Kg
Largura 14.00 cm
AutorAguiar, Marcus Pinto