Artboard 33 Artboard 16 Artboard 18 Artboard 15 Artboard 21 Artboard 1 Artboard 2 Artboard 5 Artboard 45 Artboard 45 Artboard 22 Artboard 9 Artboard 23 Artboard 17? Artboard 28 Artboard 43 Artboard 49 Artboard 47 Artboard 38 Artboard 32 Artboard 8 Artboard 22 Artboard 5 Artboard 25 Artboard 1 Artboard 42 Artboard 11 Artboard 41 Artboard 13 Artboard 23 Artboard 10 Artboard 4 Artboard 9 Artboard 20 Artboard 6 Artboard 11 Artboard 7 Artboard 3 Artboard 3 Artboard 12 Artboard 25 Artboard 34 Artboard 39 Artboard 24 Artboard 13 Artboard 19 Artboard 7 Artboard 24 Artboard 31 Artboard 4 Artboard 14 Artboard 27 Artboard 30 Artboard 36 Artboard 44 Artboard 12 Artboard 17 Artboard 17 Artboard 6 Artboard 27 Artboard 19 Artboard 30 Artboard 29 Artboard 29 Artboard 26 Artboard 18 Artboard 2 Artboard 20 Artboard 35 Artboard 15 Artboard 14 Artboard 48 Artboard 50 Artboard 26 Artboard 16 Artboard 40 Artboard 21 Artboard 29 Artboard 10 Artboard 37 Artboard 3 Artboard 3 Artboard 46 Artboard 8
Promoção Visa Checkout
e-book

Amor a Céu Aberto (Cód: 3649970)

Figueiredo, Flora

Novo Século (edição digital)

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 9,90
Cartão Saraiva R$ 9,90

Crédito:
Boleto:
Cartão Saraiva:

Total: R$0,00

Em até 1x sem juros de R$ 0,00


Amor a Céu Aberto

R$9,90

Descrição

'Eis uma coletânea de poemas de forte contemporaneidade. Nela a temática se propõe revestida dos sinais que ligam o leitor aos objetos do co¬tidiano. Vejam-se os poemas Leite Moça e Fax, que se abre notavelmen¬te: 'Avise ao mundo que estou para chegar.' Leve e alegre ironia controla o transbordamento sentimental: 'Embarco num ponto de exclamação!', diz o poema Pontuação. Há quem sustente que a poesia é justamente o campo da exclamação. Aqui o coloquial desmonta o aparato da retórica melodramática: 'não sei nadar, nem falo alemão', diz a poeta em Ao leitor desconhecido. E Flora Figueiredo não se con¬tenta com a parte confessional de suas composições. Abre as janelas pa¬ra exprimir seu espanto vivencial, ao traduzir o convívio com os outros. È por aí que a dimensão social se anun¬cia. O poema A fila celebra um dos traços da massificação programada. E, em Tema antigo, ela introduz uma singularidade que tem amplitude global, ao simbolizar o estrato excluí¬do dos favores da civilização: 'Mas caco de vidro, cuspe, navalha, boné / malandro, menino, bandalho, Zé.'

Características

Produto sob encomenda Sim
Marca Novo Século (edição digital)
Cód. Barras 9999036499708
Acabamento ebook
Início da Venda 04/08/2011
Territorialidade Brasil
Formato Livro Digital Epub
Proteção Drm Sim
Idioma Português
Peso 0.00 Kg
AutorFigueiredo, Flora