Artboard 33 Artboard 16 Artboard 18 Artboard 15 Artboard 21 Artboard 1 Artboard 2 Artboard 5 Artboard 45 Artboard 45 Artboard 22 Artboard 9 Artboard 23 Artboard 17? Artboard 28 Artboard 43 Artboard 49 Artboard 47 Artboard 38 Artboard 32 Artboard 8 Artboard 22 Artboard 5 Artboard 25 Artboard 1 Artboard 42 Artboard 11 Artboard 41 Artboard 13 Artboard 23 Artboard 10 Artboard 4 Artboard 9 Artboard 20 Artboard 6 Artboard 11 Artboard 7 Artboard 3 Artboard 3 Artboard 12 Artboard 25 Artboard 34 Artboard 39 Artboard 24 Artboard 13 Artboard 19 Artboard 7 Artboard 24 Artboard 31 Artboard 4 Artboard 14 Artboard 27 Artboard 30 Artboard 36 Artboard 44 Artboard 12 Artboard 17 Artboard 17 Artboard 6 Artboard 27 Artboard 19 Artboard 30 Artboard 29 Artboard 29 Artboard 26 Artboard 18 Artboard 2 Artboard 20 Artboard 35 Artboard 15 Artboard 14 Artboard 48 Artboard 50 Artboard 26 Artboard 16 Artboard 40 Artboard 21 Artboard 29 Artboard 10 Artboard 37 Artboard 3 Artboard 3 Artboard 46 Artboard 8

António Lobo Antunes

País de origem: Portugal
Nascimento: 12 de dezembro de 2017
Site: http://www.antonioloboantunes.pt/
Gêneros Romance
António Lobo Antunes nasceu em 1 de setembro de 1942 em Lisboa, foi médico psiquiatra licenciado pela Universidade de Lisboa e escritor; participou na Guerra do Ultramar, entre 1971 e 1973, tema marcante da sua obra. A atividade literária, na qual se iniciou com “Memória de Elefante” em 1979, definiu uma vocação e um destino, especialmente a partir de “Os Cus de Judas”, publicado no mesmo ano de 1979, e que logo lhe granjeou vasto renome, confirmado e alargado pelos romances seguintes: “Conhecimento do Inferno” (1980), “Explicação dos Pássaros” (1981), “Fado Alexandrino” (1983), “Auto dos Danados” (1985), “As Naus” (1988), “Tratado das Paixões da Alma” (1990), “A Ordem Natural das Coisas”, (1992), “A Morte de Carlos Gardel” (1994), Manual dos Inquisidores (1996), “Manual dos Inquisidores” (1996), O Esplendor de Portugal, (1997), Exortação aos Crocodilos, (1999), “Não Entres Tão Depressa Nessa Noite Escura” (2000), Que farei quando tudo arde?” (2001), Boa Tarde às Coisas Aqui em Baixo, (2003), Eu Hei-de Amar Uma Pedra, (2004), Ontem Não Te Vi Em Babilónia (2006), “O Meu Nome é Legião” (2007). Também publicou “Crónicas” (1998) e “Segundo Livro de Crônicas” (2002).

Em 2009 é distinguido com o grau Doutor Honoris Causa pela Universidade de Ovidius (Roménia). Recebe em Junho o Prémio Extramadura a la Creación juntamente com Siza Vieira. Regressa ao Brasil, terra do seu avô paterno, após 26 anos, para participar na 7ª Festa Literária Internacional de Paraty. Comemora os 30 anos da publicação de “Memória de Elefante” e “Os Cus de Judas”, de que a Dom Quixote faz uma edição especial.

Em outubro, Antunes publica “Que Cavalos São Aqueles Que Fazem Sombra No Mar?”. Recebe em 2011, as insígnias de Doutor Honoris Causa atribuído pela Universidade de Lisboa. A sua obra é homenageada pelo grupo teatral MC3 em Bobigny, Paris, que lhe dedica uma temporada de 6 meses e 50 espetáculos adaptando vários escritos seus ao palco. Pela primeira vez um livro seu é adaptado ao cinema: A” Morte de Carlos Gardel” foi o título escolhido pela realizadora Solveig Nordlund que acaba as filmagens em Abril. Publica nesse mesmo mês o seu “Quarto Livro de Crónicas” e, em setembro, sairia “Comissão das Lágrimas”, ao mesmo tempo que se estreia o filme de “Nordlund”.

Um ano depois publica “Não é Meia Noite Quem Quer”e em 2013 seu “Quinto Livro de Crónicas”. É galardoado com o Prémio Nonino e recebe as insígnias de Doctor Honoris Causa pela Universidade Babeș-Bolyai, da cidade romena de Cluj-Napoca. É também galardoado com o Grande Prémio de Excelência do Salão do Livro da Transilvânia, na mesma cidade. Publica o 25º romance, “Caminho Como Uma Casa Em Chamas”, arredondando para 30 títulos publicados em 35 anos, desde 1979, da sua bibliografia oficial ne varietur.
Leia mais