Artboard 33 Artboard 16 Artboard 18 Artboard 15 Artboard 21 Artboard 1 Artboard 2 Artboard 5 Artboard 45 Artboard 45 Artboard 22 Artboard 9 Artboard 23 Artboard 17? Artboard 28 Artboard 43 Artboard 49 Artboard 47 Artboard 38 Artboard 32 Artboard 8 Artboard 22 Artboard 5 Artboard 25 Artboard 1 Artboard 42 Artboard 11 Artboard 41 Artboard 13 Artboard 23 Artboard 10 Artboard 4 Artboard 9 Artboard 20 Artboard 6 Artboard 11 Artboard 7 Artboard 3 Artboard 3 Artboard 12 Artboard 25 Artboard 34 Artboard 39 Artboard 24 Artboard 13 Artboard 19 Artboard 7 Artboard 24 Artboard 31 Artboard 4 Artboard 14 Artboard 27 Artboard 30 Artboard 36 Artboard 44 Artboard 12 Artboard 17 Artboard 17 Artboard 6 Artboard 27 Artboard 19 Artboard 30 Artboard 29 Artboard 29 Artboard 26 Artboard 18 Artboard 2 Artboard 20 Artboard 35 Artboard 15 Artboard 14 Artboard 48 Artboard 50 Artboard 26 Artboard 16 Artboard 40 Artboard 21 Artboard 29 Artboard 10 Artboard 37 Artboard 3 Artboard 3 Artboard 46 Artboard 8

Inês Pedrosa

País de origem: Portugal
Nascimento: 22 de agosto de 2017
Site: http://www.inespedrosa.com/
Gêneros Romance
Inês Margarida Pereira Pedrosa nasceu em 15 de agosto de 1962. Conhecida como Inês Pedrosa, publicou o seu primeiro texto na revista Crónica Feminina, tinha apenas 12 anos. Aos 22, licenciou-se em Ciências da Comunicação, na Universidade Nova de Lisboa. Estreou-se como jornalista profissional em 1983, ao ingressar na redação de O Jornal (atual revista Visão) e Dirigiu a Casa Fernando Pessoa, entre fevereiro de 2008 e abril de 2014.

Estreou-se na literatura em 1991, com o livro infantil “Mais Ninguém Tem”, seguindo-se o seu primeiro romance, “A Instrução dos Amantes”, em 1992. “Nas Tuas Mãos”, de 1997, valeu-lhe o Prémio Máxima de Literatura, e “Fazes-me Falta”, em 2003, consolidou-a como uma principais romancistas da atualidade. Ganhou o Prémio Máxima de Literatura com "Os Íntimos" (2010).

Teve intervenção pública nas causas da despenalização da interrupção voluntária da gravidez e do casamento entre pessoas do mesmo sexo, em Portugal, além de ter sido porta-voz oficial e mandatária por Lisboa da candidatura de Manuel Alegre à Presidência da República, em 2006. Ainda no campo da intervenção pública em regime de total voluntariado, prestou serviço ao Estado Português na Comissão de Projectos para a Comemoração do Centenário da República (2005-2006), responsável pela elaboração de um programa multidisciplinar e detalhado.

Foi galardoada com a Medalha de Honra da Cidade de Tomar a 1 de março de 2016. Escreveu duas peças de teatro: “Doze Mulheres e Uma Cadela” (2005, teatro da Trindade, encenação de São José Lapa) e “Socorro, Estou Grávida! “(em co-autoria com Patrícia Reis, encenação de Celso Cleto, 2006)

A sua obra encontra-se publicada no Brasil, Espanha, Itália e na Alemanha.
Leia mais