Artboard 33atençãoArtboard 18atualizarconectividadeArtboard 42boletocarrinhocartãoArtboard 45cartão SaraivacelularArtboard 42Artboard 23checkArtboard 28Artboard 17?compararcompartilharcompartilhar ativoArtboard 28Artboard 43Artboard 49Artboard 47ver-detalhesArtboard 15Artboard 32ebookArtboard 22Artboard 5Artboard 25Artboard 1Artboard 42Artboard 11fecharfilmesArtboard 23gamesArtboard 4Artboard 9Artboard 6hqimportadosinformáticaArtboard 7Artboard 3Artboard 12Artboard 25Artboard 34Artboard 43Artboard 44curtirArtboard 24Artboard 13livrosArtboard 24Artboard 31menumúsicaArtboard 27Artboard 30Artboard 36Artboard 44outrospapelariaArtboard 17Artboard 6Artboard 27Artboard 30Artboard 29Artboard 26Artboard 2Artboard 20Artboard 35estrelaestrela ativorelógiobuscaArtboard 50Artboard 26toda saraivaArtboard 40Artboard 21Artboard 10Artboard 37usuárioArtboard 46Artboard 33Artboard 8seta

Padre António Vieira

País de origem: Portugal
Nascimento: 14 de dezembro de 2018
Site:
Gêneros Literatura
António Vieira nasceu em Lisboa em 6 de fevereiro de 1608, mais conhecido como Padre António Vieira, foi um religioso, filósofo, escritor e orador português da Companhia de Jesus. Aos 6 anos, vem para o Brasil e mais tarde ingressa no colégio jesuítico da Bahia.

Ordenando-se em 1634, logo alcança o nome de pregador vibrante e culto. Com o movimento português de restauração da independência (deflagrado em 1 dezembro de 1640), viaja para Portugal a fim de protestar lealdade ao novo monarca, D. João IV, junto a quem passa a gozar de grande prestígio e respeito, de que resulta ser nomeado, para várias embaixadas diplomáticas no estrangeiro.

Em 1652, transferindo-se para o Maranhão, dedica-se à catequese e conversão de indígenas. Nove anos depois regressa para Lisboa e é preso por suas convicções de fundo sebastianista. Confinam-no durante oito anos numa casa jesuítica e é cassado o direito de pregar. Liberto segue para a Roma a pleitear revisão do processo, e torna-se orador oficial do salão literário da Rainha Cristina da Suécia.

Depois de alguns anos em Lisboa defendendo a causa dos judeus perante a Inquisição, retorna ao Brasil (1681) e entrega-se à faina de redigir e polir seus sermões e outras obras. Morreu em Salvador em 18/07/1697. Antonio Vieira escreveu “Sermões” (15 volumes), “História do Futuro” (1718), “Esperanças de Portugal” (1856-1857), Clavis Prophetarum (incompleta e inédita) e mais de setecentas cartas.

Na literatura, seus sermões possuem considerável importância no barroco brasileiro e português. As universidades frequentemente exigem a sua leitura.
Leia mais