Artboard 33 Artboard 16 Artboard 18 Artboard 42 Artboard 21 Artboard 5 Artboard 45 Artboard 22 Artboard 42 Artboard 23 Artboard 17? Artboard 28 Artboard 43 Artboard 49 Artboard 47 Artboard 38 Artboard 32 Artboard 22 Artboard 5 Artboard 25 Artboard 1 Artboard 42 Artboard 11 Artboard 41 Artboard 23 Artboard 4 Artboard 9 Artboard 6 Artboard 7 Artboard 3 Artboard 12 Artboard 25 Artboard 34 Artboard 43 Artboard 44 Artboard 39 Artboard 24 Artboard 13 Artboard 24 Artboard 31 Artboard 27 Artboard 30 Artboard 36 Artboard 44 Artboard 17 Artboard 6 Artboard 27 Artboard 30 Artboard 29 Artboard 26 Artboard 2 Artboard 20 Artboard 35 Artboard 15 Artboard 14 Artboard 50 Artboard 26 Artboard 40 Artboard 21 Artboard 10 Artboard 37 Artboard 46 Artboard 8
e-book

Bodozal Na Paris Dos Trópicos (Cód: 8892565)

Jorge Vieira De Souza

Clube de Autores (Edi??o Digital)

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 9,99

em até 1x de R$ 9,99 sem juros

Total:

Em até 1x sem juros de


Crédito:
Boleto:
Cartão Saraiva:

Total:

Em até 1x sem juros de


Bodozal Na Paris Dos Trópicos

R$9,99

Descrição

BODOZAL NA PARÍS DOS TRÓPICOS QUESTÃO SICIAL Bodozal é a denominação popular atribuída pejorativamente às ocupações dos leitos dos igarapés de Manaus, em alusão ao ambiente lamacento, do fundo dos lagos, onde vive e se reproduz o peixe Acari Bodó abundante nos rios amazônicos. Estas ocupações contrastam com os traços arquitetônicos da cidade que no apogeu do Ciclo da Borracha foi denominada de Paris dos Trópicos, dada a riqueza que ostentava com praças, largas avenidas, ricos palacetes e uma estrutura de primeiro mundo, com bondes, sistema de iluminação pública e um majestoso teatro no qual se apresentavam grandiosos espetáculos, para o deleite da elite dominante da época. Este tratamento discriminatório serve de título para a obra de Jorge Vieira de Souza que assim denuncia a segregação e o preconceito de que foram vítimas centenas de famílias que durante décadas ocuparam os leitos do Igarapé do Mestre Chicoe Chico, onde nasceu e viveu e de outros,da cidade, sob os olhos indiferentes das autoridades e sob a discriminação da sociedade. Narrando as experiências do seu personagem, Azuos Arieiv, e dando voz a ele traz à luz fatos vivenciados pelas famílias segregadas à pobreza, ao abandono social e às condições sub humanas de vida, em contraste com o padrão socioeconômico da época e com o desenvolvimento advindo após a implantação da Zona Franca.

Características

Peso 0.00 Kg
Produto sob encomenda Sim
Marca Clube de Autores (Edi??o Digital)
Número de Páginas 235 (aproximado)
Idioma Português
Acabamento e-book
Territorialidade Internacional
Formato Livro Digital Pdf
Gratuito Não
Proteção Drm Sim
Tamanho do Arquivo 5236
Início da Venda 17/06/2015
VOLUME 1
Cód. Barras 2999990187988
Número da edição 1
Ano da edição 2015
Ano da Publicação 2015
Mês da Publicação JUNHO
AutorJorge Vieira De Souza