Artboard 33 Artboard 16 Artboard 18 Artboard 15 Artboard 21 Artboard 1 Artboard 2 Artboard 5 Artboard 45 Artboard 45 Artboard 22 Artboard 9 Artboard 23 Artboard 17? Artboard 28 Artboard 43 Artboard 49 Artboard 47 Artboard 38 Artboard 32 Artboard 8 Artboard 22 Artboard 5 Artboard 25 Artboard 1 Artboard 42 Artboard 11 Artboard 41 Artboard 13 Artboard 23 Artboard 10 Artboard 4 Artboard 9 Artboard 20 Artboard 6 Artboard 11 Artboard 7 Artboard 3 Artboard 3 Artboard 12 Artboard 25 Artboard 34 Artboard 39 Artboard 24 Artboard 13 Artboard 19 Artboard 7 Artboard 24 Artboard 31 Artboard 4 Artboard 14 Artboard 27 Artboard 30 Artboard 36 Artboard 44 Artboard 12 Artboard 17 Artboard 17 Artboard 6 Artboard 27 Artboard 19 Artboard 30 Artboard 29 Artboard 29 Artboard 26 Artboard 18 Artboard 2 Artboard 20 Artboard 35 Artboard 15 Artboard 14 Artboard 48 Artboard 50 Artboard 26 Artboard 16 Artboard 40 Artboard 21 Artboard 29 Artboard 10 Artboard 37 Artboard 3 Artboard 3 Artboard 46 Artboard 8
Promoção Visa Checkout
e-book

Bodozal Na Paris Dos Trópicos (Cód: 8892565)

Jorge Vieira De Souza

Clube de Autores (Edição Digital)

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 9,99
Cartão Saraiva R$ 9,99

Crédito:
Boleto:
Cartão Saraiva:

Total: R$0,00

Em até 1x sem juros de R$ 0,00


Bodozal Na Paris Dos Trópicos

R$9,99

Descrição

BODOZAL NA PARÍS DOS TRÓPICOS QUESTÃO SICIAL Bodozal é a denominação popular atribuída pejorativamente às ocupações dos leitos dos igarapés de Manaus, em alusão ao ambiente lamacento, do fundo dos lagos, onde vive e se reproduz o peixe Acari Bodó abundante nos rios amazônicos. Estas ocupações contrastam com os traços arquitetônicos da cidade que no apogeu do Ciclo da Borracha foi denominada de Paris dos Trópicos, dada a riqueza que ostentava com praças, largas avenidas, ricos palacetes e uma estrutura de primeiro mundo, com bondes, sistema de iluminação pública e um majestoso teatro no qual se apresentavam grandiosos espetáculos, para o deleite da elite dominante da época. Este tratamento discriminatório serve de título para a obra de Jorge Vieira de Souza que assim denuncia a segregação e o preconceito de que foram vítimas centenas de famílias que durante décadas ocuparam os leitos do Igarapé do Mestre Chicoe Chico, onde nasceu e viveu e de outros,da cidade, sob os olhos indiferentes das autoridades e sob a discriminação da sociedade. Narrando as experiências do seu personagem, Azuos Arieiv, e dando voz a ele traz à luz fatos vivenciados pelas famílias segregadas à pobreza, ao abandono social e às condições sub humanas de vida, em contraste com o padrão socioeconômico da época e com o desenvolvimento advindo após a implantação da Zona Franca.

Características

Peso 0.00 Kg
Produto sob encomenda Sim
Marca Clube de Autores (Edição Digital)
Número de Páginas 235 (aproximado)
Idioma Português
Acabamento e-book
Territorialidade Internacional
Formato Livro Digital Pdf
Gratuito Não
Proteção Drm Sim
Tamanho do Arquivo 5236
Início da Venda 17/06/2015
VOLUME 1
Cód. Barras 2999990187988
Número da edição 1
Ano da edição 2015
Ano da Publicação 2015
Mês da Publicação JUNHO
AutorJorge Vieira De Souza