Artboard 33atençãoArtboard 18atualizarconectividadeArtboard 42boletocarrinhocartãoArtboard 45cartão SaraivacelularArtboard 42Artboard 23checkArtboard 28Artboard 17?compararcompartilharcompartilhar ativoArtboard 28Artboard 43Artboard 49Artboard 47Artboard 15Artboard 32ebookArtboard 22Artboard 5Artboard 25Artboard 1Artboard 42Artboard 11fecharfilmesArtboard 23gamesArtboard 4Artboard 9Artboard 6hqimportadosinformáticaArtboard 7Artboard 3Artboard 12Artboard 25Artboard 34Artboard 43Artboard 44curtirArtboard 24Artboard 13livrosArtboard 24Artboard 31menumúsicaArtboard 27Artboard 30Artboard 36Artboard 44outrospapelariaArtboard 17Artboard 6Artboard 27Artboard 30Artboard 29Artboard 26Artboard 2Artboard 20Artboard 35estrelaestrela ativorelógiobuscaArtboard 50Artboard 26toda saraivaArtboard 40Artboard 21Artboard 10Artboard 37usuárioArtboard 46Artboard 33Artboard 8seta

Inexigibilidade de Licitação - Repensando A Contratação Pública e o Dever de Licitar (Cód: 9431150)

Mendes,Renato Geraldo; Moreira,Egon Bockmann

Juruá

Vendido e entregue por Saraiva

Este produto está temporariamente indisponível no site, mas não se preocupe, você pode reservá-lo para retirada em uma loja física!

Reserve seu produto na loja para retirada em até 1 hora.
Ops! Este produto está temporariamente indisponível. Mas não se preocupe, nós avisamos quando ele chegar.
Ops! Este produto está temporariamente indisponível. Mas não se preocupe, nós avisamos quando ele chegar.

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 79,90

em até 2x de R$ 39,95 sem juros
Cartão Saraiva: 1x de R$ 75,91 (-5%)

Total:

Em até 1x sem juros de


Crédito:
Boleto:
Cartão Saraiva:

Total:

Em até 2x sem juros de


Inexigibilidade de Licitação - Repensando A Contratação Pública e o Dever de Licitar

R$79,90

Descrição

Um livro sério que traz ideias inovadoras apresentadas de modo acessível.
Tratando com seriedade o tema da inexigibilidade de licitação, os autores se dedicaram ao livro durante anos e conseguiram criar soluções que consagram a plena aplicabilidade da Constituição brasileira e da legislação infraconstitucional a casos que exigem a contratação direta, sem licitação. O dever de contratar por inexigibilidade é a ideia-chave desta obra, que inova no tema e traz soluções adequadas à legislação e à jurisprudência brasileira. São inovações responsáveis, que revelam o que há de mais eficiente e legítimo para determinadas contratações públicas. A sua leitura é ágil e bem estruturada, o que permite o entendimento de todas as soluções expostas, mesmo aquelas para os casos mais tormentosos.
Conheça as perguntas que são analisadas e respondidas pelos autores nesta obra
Como o legislador raciocinou para conceber o regime jurídico da contratação, de modo a fixar o dever de licitar e de também tornar inexigível a licitação?
Por que não se pode dizer que a licitação é a regra e a inexigibilidade é a exceção? Qual critério deve ser adotado para definir quando a licitação deve ou não ser realizada sob o ponto de vista jurídico?
Quais são as três perguntas que precisam ser respondidas para definir quando a licitação é obrigatória e quando ela não pode ser realizada?
Por que a licitação deve ser realizada somente quando for possível que o objeto da contratação seja classificado como solução típica para determinadas situações fáticas?
Por que a ideia de competição é fundamental para entender a fronteira que separa a licitação, a dispensa e a inexigibilidade?
Qual é a diferença entre disputa e competição? Por que isso não pode ser ignorado por aqueles que interpretam e aplicam o regime jurídico vigente?
Qual é o pressuposto da licitação e qual é sua finalidade? Por que a finalidade da licitação é idêntica à da inexigibilidade, mas seus pressupostos não? Qual é o pressuposto lógico para que se possa realizar a licitação?
Por que, em muitos casos, a ilegalidade reside justamente em fazer a licitação?
Por que o princípio mais significativo da contratação pública não é apenas a isonomia processual?
Por que a licitação não foi determinada como obrigatória em todos os casos?
Para assegurar a legalidade da licitação, além de fixar critério objetivo de julgamento, por que é necessário definir e comparar por meio de critério objetivo as propostas apresentadas?
O que se deve entender por processo de contratação pública? Por que não se deve confundir licitação com processo de contratação pública?
Por que a licitação nem sempre é capaz de possibilitar a obtenção do melhor negócio ou mesmo de impedir a corrupção? Ao contrário, por que a licitação tem sido utilizada, em determinados casos, para justamente viabilizar a corrupção?
Quando uma contratação pode ser qualificada como eficiente?
Por que se deve falar em melhor relação benefício-custo, e não em custo-benefício? Por que a melhor relação 'benefício-custo' é sempre relativa? O que se deve entender por 'melhor' preço, 'pior' preço e 'menor' preço? Quando o menor preço pode ser o pior?
Qual a diferença entre igualdade material e processual? Afinal, o que a licitação visa garantir?
Quais são as variáveis que determinam o grau de risco das contratações e que precisam ser controladas pelos agentes públicos?
Como compatibilizar riscos e segurança em matéria de contratação pública? Por que esse é um dever legal imposto aos agentes públicos?
Por que serviços intelectuais ou serviços técnicos profissionais especializados não poderiam ser licitados? Dito de outra forma, por que seria ilegal licitá-los?
Por que a licitação de técnica e preço não pode ser utilizada para licitar serviços intelectuais? Ou, por que referido tipo de licitação é instrumento ineficaz para garantir a contratação mais eficiente?
O que se deve entender por singularidade? Quais os diferentes tipos de singularidade presentes na Lei nº 8.666/93?
Por que tem sido equivocada a afirmação de que os contratos administrativos são personalíssimos?
Como é possível um contrato decorrente de licitação ser personalíssimo?
Em se tratando de objeto que deveria ser contratado com base em critério de pessoalidade, a exigência de que a autoridade administrativa licite serviços advocatícios pode servir para isentá-la da responsabilidade pela eventual escolha do parceiro? E se a licitação for incabível, quem se responsabiliza por sua realização?
Quais são os pressupostos jurídicos para a configuração da inexigibilidade?
Como deve ser justificado o preço das contratações no caso de inexigibilidade? Quais os diferentes cenários que envolvem a justificativa de preços na inexigibilidade?
O rol do art. 13 da Lei nº 8.666/93 é exemplificativo ou taxativo?
Quais atributos uma pessoa deve ter para executar serviços técnicos profissionais especializados? Além de certos atributos, o que mais é indispensável para a execução desses serviços?
É possível contratar, por inexigibilidade de licitação, serviços técnicos profissionais especializados com terceiros que não sejam notoriamente especializados?
Qual é o exato sentido do adjetivo 'singular' no contexto do inc. II do art. 25 da Lei nº 8.666/93?
A hipótese prevista no inc. II do art. 25 da Lei nº 8.666/93 regula inteiramente o cabimento da contratação de serviços técnicos profissionais especializados por inexigibilidade?
É razoável entender que, se o serviço não atender às exigências do inc. II do art. 25 da Lei nº 8.666/93, deverá obrigatoriamente ser licitado?
Qual é o exato conteúdo do inc. II do art. 25 da Lei nº 8.666/93 no contexto da inexigibilidade?
Há outra possibilidade de o serviço técnico profissional especializado ser contratado por inexigibilidade além da descrita no inc. II do art. 25 da Lei nº 8.666/93?
O caput do art. 25 da Lei nº 8.666/93 condiciona as hipóteses específicas previstas em seus incisos ou estas é que calibram o caput do mesmo dispositivo?
Enfim, essas são as principais perguntas com que se pretende provocar o leitor a uma reflexão mais profunda: a contratação por inexigibilidade é vinculada ou discricionária?'

Características

Produto sob encomenda Não
Editora Juruá
Cód. Barras 9788599369319
Altura 21.00 cm
I.S.B.N. 9788599369319
Profundidade 2.00 cm
Acabamento Brochura
Número da edição 1
Ano da edição 2017
Idioma Português
Número de Páginas 392
Peso 0.64 Kg
Largura 15.00 cm
AutorMendes,Renato Geraldo; Moreira,Egon Bockmann