Artboard 33Artboard 16Artboard 18Artboard 13Artboard 42Artboard 21Artboard 4Artboard 5Artboard 45Artboard 22Artboard 7Artboard 42Artboard 23Artboard 17?Artboard 28Artboard 43Artboard 49Artboard 47Artboard 15Artboard 32Artboard 6Artboard 22Artboard 5Artboard 25Artboard 1Artboard 42Artboard 11Artboard 41Artboard 11Artboard 23Artboard 10Artboard 4Artboard 9Artboard 6Artboard 8Artboard 7Artboard 3Artboard 12Artboard 25Artboard 34Artboard 43Artboard 44Artboard 16Artboard 24Artboard 13Artboard 5Artboard 24Artboard 31Artboard 1Artboard 12Artboard 27Artboard 30Artboard 36Artboard 44Artboard 9Artboard 17Artboard 6Artboard 27Artboard 30Artboard 29Artboard 26Artboard 2Artboard 20Artboard 35Artboard 15Artboard 14Artboard 50Artboard 26Artboard 14Artboard 40Artboard 21Artboard 10Artboard 37Artboard 46Artboard 33Artboard 8
e-book

Lampião, Governador de Brasília (Cód: 6206185)

Astrogildo Miag

publique-se!

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 6,99

em até 1x de R$ 6,99 sem juros

Total:

Em até 1x sem juros de


Crédito:
Boleto:
Cartão Saraiva:

Total:

Em até 1x sem juros de


Lampião, Governador de Brasília

R$6,99

Descrição

Na simulação de um sonho o Escritor faz ressurgir o cangaceiro Virgulino Ferreira da Silva, o Lampião, na Chapada Diamantina, Bahia, com destino a Brasília, para combater o MST, criar o estado do Planalto Central e, secundariamente, impedir a transposição do Rio São Francisco. O romance entabula fatos picarescos em sátira ao comportamento humano, especialmente a mediocridade em relação à fama, fortuna e subserviência ao poder econômico e social.
Lampião reaparece, sem mulheres no bando, mas, detentor da fama de mito, o anti-herói que se torna herói. Como se não tivesse morrido, o cangaceiro se depara com o Brasil atual, no qual está desatualizado, mas, nada mudou em relação às mazelas humanas: puxa-saquismo, corrupção, machismo, violência, ambição/ganância e o levar vantagens, sobretudo financeira e a eleitoral. Acerca-se de assessores, seguidores e admiradores. Arrasta multidões. Por onde passa, provoca exasperações cômicas e ridículas, sempre se reportando ao que a História registra e o folclore cultiva. Pelo que foi, em vida, ressurge em outra dimensão, porém, com as mesmas caricaturas de cangaceiro e malfeitor/benfeitor. Expõe o que há de pior na política, mas se rende a ela, elegendo-se Governador de Brasília, com apoio do conterrâneo Luiz Povo da Silva, então presidente da república e seu conterrâneo pernambucano. Constatação de que nem mesmo o “Rei do Cangaço” resistiu ao assédio do poder político. Tudo lhe é facilitado pela fama histórica que o tornou mito. Não deixando de ser o que era, causa medo e pavor, embora apresentado em uma versão politicamente correta. Realiza um governo popular e honesto; aclamado pelo povo para reeleição, não aceita. Decide retornar ao sertão de Pernambuco e é morto nas mesmas circunstâncias históricas, segundo os relatos. E o sonho acaba...

Características

Peso 0.00 Kg
Produto sob encomenda Sim
Marca publique-se!
Idioma 332
Acabamento e-book
Territorialidade Internacional
Formato Livro Digital Epub
Proteção Drm Sim
Início da Venda 22/09/2013
Código do Formato Epub
Cód. Barras 978851578122
AutorAstrogildo Miag