Artboard 33 Artboard 16 Artboard 18 Artboard 15 Artboard 21 Artboard 1 Artboard 2 Artboard 5 Artboard 45 Artboard 45 Artboard 22 Artboard 9 Artboard 23 Artboard 17? Artboard 28 Artboard 43 Artboard 49 Artboard 47 Artboard 38 Artboard 32 Artboard 8 Artboard 22 Artboard 5 Artboard 25 Artboard 1 Artboard 42 Artboard 11 Artboard 41 Artboard 13 Artboard 23 Artboard 10 Artboard 4 Artboard 9 Artboard 20 Artboard 6 Artboard 11 Artboard 7 Artboard 3 Artboard 3 Artboard 12 Artboard 25 Artboard 34 Artboard 39 Artboard 24 Artboard 13 Artboard 19 Artboard 7 Artboard 24 Artboard 31 Artboard 4 Artboard 14 Artboard 27 Artboard 30 Artboard 36 Artboard 44 Artboard 12 Artboard 17 Artboard 17 Artboard 6 Artboard 27 Artboard 19 Artboard 30 Artboard 29 Artboard 29 Artboard 26 Artboard 18 Artboard 2 Artboard 20 Artboard 35 Artboard 15 Artboard 14 Artboard 48 Artboard 50 Artboard 26 Artboard 16 Artboard 40 Artboard 21 Artboard 29 Artboard 10 Artboard 37 Artboard 3 Artboard 3 Artboard 46 Artboard 8
Promoção Visa Checkout

Litterata ou o Doce Sorriso do Macho Satisfeito (Cód: 2587655)

Roldan-roldan,Rodolphe

Komedi

Ooopss! Este produto está temporariamente indisponível.
Mas não se preocupe, nós avisamos quando ele chegar.

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 30,00
Cartão Saraiva R$ 28,50 (-5%) em até 1x no cartão

Crédito:
Boleto:
Cartão Saraiva:

Total: R$0,00

Em até 1x sem juros de R$ 0,00


Litterata ou o Doce Sorriso do Macho Satisfeito

R$30,00

Descrição

Litterata ou O Doce Sorriso do Macho Satisfeito trata, em linhas gerais, da arte de escrever um romance, res-guardando o sábio preceito de que, se-gundo R. Roldan-Roldan, “a verdade na arte é a verdade na vida”. Movido pela presença de Litterata – personagem sedutora e razão da existência do narrador –, David Haize, o regente da implacável e onírica sinfonia roldaniana, narra as sombras e os sofrimentos da descida ao coração do amor. David Haize a pedido de Litterata (Liberdade que ao mesmo tempo liberta e aprisiona) sente-se impulsionado a escrever a torrente história de amor da Condessa Elisa von Drehler, para quem o sentido fundamental de tudo é o amor. O romance que David Haize escreve intitulado A Condessa e o Mordomo é o melhor lugar para se avaliar a importância do afeto na vida das pes-soas. Toda descrição de Elisa von Drehler é um rumor de carícias, uma flecha que vigia o ar das sensações, um clamor pelo aconchego de outro corpo. A narrativa de Elisa ‘ditada’ por David Haize é o casulo do desejo rompido pelo clamor do sexo.
David Haize rege a história de Elisa von Drehler, sem saber, até determinada altura da narrativa, que a sua história atrela-se de corpo e alma, suor e san-gue, amor e paixão a de sua persona-gem. Haize (o vento) ou Hartz (o urso), viajante basco em profundo processo de auto-conhecimento, empreende a sua viagem épica em direção ao coração da lenda, e a lenda escrita é a mesma lenda vivida. David e Elisa são personagens que caminham impulsionados pela fome do sexo – essa interação intensa com tudo que é humano. Ambos são movidos pela volúpia do querer, expostos à danação fazem de suas vidas o indecifrável ritual das tardes luminosas de luxúria. Ambos vi-vem nos esconderijos dos deuses, onde o sexo espatifado pelo giro do tempo é o rosto em flor da memória exposta ao sol das estações.
A técnica narrativa utilizada por R. Roldan-Roldan em Litterata ou O Doce Sorriso do Macho Satisfeito, é das mais engenhosas. Num só romance, o autor constrói duas narrativas paralelas, a de David Haize e a de Elisa von Drehler. A primeira indicaria um perfeito romance de estrada, primando pela estética do movimento: “o melhor lugar para se es-crever é durante a viagem”. Ressalte-se que a maior de todas as viagens é a pró-pria escrita. Em primeira pessoa, num tom confessional, David Haize relata o seu en-volvimento com a trama que escreve, a vida torna-se ficção e a ficção transfor-ma-se em vida. A segunda narrativa asse-melha-se à primeira, no que tange ao tom avassalador das confessas revela-ções, com a crucial distinção de ser um romance epistolar, o livro de Elisa radi-caliza o mundo da ficção no exato ins-tante em que rasga a fantasia das pro-messas não cumpridas. Elisa é movida pelo desejo, como David é arrebatado, também, pelo sexo. Nada nas duas nar-rativas é imparcial, nada é impessoal, nada é neutro, em tudo há envolvimento das personagens, o distanciamento das vozes não se enxerga em nenhum dos dois relatos. Pode-se afirmar que na lite-ratura de R. Roldan-Roldan o sangue pul-sa com tamanha força e vigor que as sucessivas descidas ao reino do dema-siado humano fazem nascer uma prosa pujante, extremamente significativa, umas das mais representativas da litera-tura brasileira contemporânea.

Características

Peso 0.44 Kg
Produto sob encomenda Não
Editora Komedi
I.S.B.N. 8575820362
Altura 21.00 cm
Largura 14.00 cm
Número de Páginas 268
Idioma Português
Cód. Barras 9788575820360
País de Origem Brasil
AutorRoldan-roldan,Rodolphe