Artboard 33 Artboard 16 Artboard 18 Artboard 42 Artboard 21 Artboard 5 Artboard 45 Artboard 22 Artboard 42 Artboard 23 Artboard 17? Artboard 28 Artboard 43 Artboard 49 Artboard 47 Artboard 38 Artboard 32 Artboard 22 Artboard 5 Artboard 25 Artboard 1 Artboard 42 Artboard 11 Artboard 41 Artboard 23 Artboard 4 Artboard 9 Artboard 6 Artboard 7 Artboard 3 Artboard 12 Artboard 25 Artboard 34 Artboard 43 Artboard 44 Artboard 39 Artboard 24 Artboard 13 Artboard 24 Artboard 31 Artboard 27 Artboard 30 Artboard 36 Artboard 44 Artboard 17 Artboard 6 Artboard 27 Artboard 30 Artboard 29 Artboard 26 Artboard 2 Artboard 20 Artboard 35 Artboard 15 Artboard 14 Artboard 50 Artboard 26 Artboard 40 Artboard 21 Artboard 10 Artboard 37 Artboard 46 Artboard 8

Metallica - a Biografia (Cód: 4040512)

Wall, Mick

Globo Editora

Ooopss! Este produto está temporariamente indisponível.
Mas não se preocupe, nós avisamos quando ele chegar.

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 49,90

em até 1x de R$ 49,90 sem juros
Boleto: R$ 42,42 (-15%)
Cartão Saraiva: 1x de R$ 47,41 (-5%)

Total:

Em até 1x sem juros de


Crédito:
Boleto:
Cartão Saraiva:

Total:

Em até 1x sem juros de


Metallica - a Biografia

R$49,90

Descrição

Formada em 1981, misturando os riffs poderosos da NWOBHM (New Wave of British Heavy Metal) com a atitude punk, a banda Metallica criou seu próprio gênero, o thrash; foi seguida por Slayer, Anthrax e Megadeth, mas nunca quis ficar restrita a esse rótulo. Trinta anos depois, superou todas as expectativas e é considerada a maior banda de metal de todos os tempos — em 2011, a revista britânica Kerrang! a elegeu como a banda de rock mais influente das últimas três décadas; também foi a mais votada pelos brasileiros para estar no Rock in Rio 2011. É a história oficial do grupo que o jornalista britânico Mick Wall, que acompanha a banda desde o início, conta em 'Metallica – a biografia'. Mas não foi uma trajetória tranquila nem isenta de problemas. A parceria entre Lars Ulrich, extrovertido jovem dinamarquês fã de Deep Purple, e James Hetfield, garoto americano com cara de poucos amigos criado numa família ultrarreligiosa e atormentado pelo alcoolismo, deu origem a algumas das músicas mais incríveis do gênero. O Metallica passou por todos os clichês do rock: sexo, drogas, bebidas e mulheres. Também sofreu com a morte de um de seus principais membros, o baixista Cliff Burton, em um acidente de ônibus em 1986. Também sofreu críticas quando tentou se reinventar durante os anos do grunge e quase chegou ao fim depois de atacar os próprios fãs no caso Napster. Depois de tantas mudanças, muita terapia e um novo baixista, o Metallica continua lotando estádios em todo o mundo com seus shows.

Características

Peso 0.67 Kg
Produto sob encomenda Sim
Editora Globo Editora
I.S.B.N. 9788525050182
Altura 23.00 cm
Largura 16.00 cm
Profundidade 2.00 cm
Idioma Português
Acabamento Brochura
Cód. Barras 9788525050182
Número da edição 1
Ano da edição 2012
AutorWall, Mick

Leia um trecho

Foi um momento tão inesperado e bizarro que, anos depois, eu me perguntava se aquilo realmente tinha acontecido ou se era uma falsa memória produzida pelo trauma. Mas ainda me lembro de Lars descendo de muletas a escada do Hammersmith Odeon. Não me lembro do show — de quem era ou qual foi —, mas só do momento em que ele cambaleou escada abaixo no maior gás, me chamando: “Ei, Mick, seu puto! O que está pegando?”. As portas da frente já estavam trancadas, e os fãs tinham ido embora havia muito tempo, por isso só consegui pensar que ele ficara tomando drinques pós-show como eu, fazendo hora até de madrugada no bar dos bastidores, e agora estava procurando um táxi para voltar para casa. Porém, eu não o tinha visto. No estado mental em que me encontrava, meu campo de visão estava limitado, apertava tanto os olhos que até doía. Era a primeira vez que eu saía desde que minha mãe havia morrido semanas antes. Mais jovem do que sou agora, ela fora derrotada por um câncer no cérebro, e o final, embora relativamente repentino, fora precedido por circunstâncias muito duras, excruciantes para ela, deploráveis para nós que a acompanhávamos. Lars desceu os degraus num instante e aproximou o rosto do meu. “Oi”, ele disse. Fiz alguma brincadeira sobre as muletas. “É por causa do dedo do pé”, ele respondeu, embora fosse uma notícia tão velha que nem merecia ser mencionada. Devo ter parecido confuso. “Eu quebrei.” Eu o encarei. “No acidente”, ele acrescentou, impaciente. Eu estava acostumado com astros do rock, mesmo com aqueles que ainda não eram famosos, como Lars, que esperavam que você soubesse de todos os detalhes de seu trabalho e se mostrasse fascinado com eles. Mas mesmo assim... Dedo do pé quebrado? Acidente? Que acidente? 18 Mick Wall. Mas ele não queria falar disso. Lars veio saber se eu também tinha ido ver o show deles. Novamente, fiquei perplexo. Ele sacou na hora. “Quando tocamos aqui, panaca!” Ah, agora eu entendi. O Metallica também tinha tocado recentemente no Hammersmith Odeon. Como seu mais novo defensor na imprensa roqueira britânica, fazia sentido que ele esperasse me ver na primeira vez em que a banda fosse a atração principal numa casa de prestígio. Porém, estava na cara que eu não tinha ido. Na verdade, eu devia estar no hospital, ou indo ou voltando de lá. Era isso ou eu tinha estado no inferno. Só que naquela hora eu não sabia transformar aquilo em palavras. Mal conseguia explicar para mim mesmo, que dirá para outra pessoa. Eu tinha 28 anos, e meu mundo, ao mesmo tempo, diminuíra e se expandira de um jeito que ainda lutava para entender. Ele estava com 22 anos e não tinha o menor interesse naquilo. A única coisa que importava era o Metallica, seu puto!