Artboard 33 Artboard 16 Artboard 18 Artboard 15 Artboard 21 Artboard 1 Artboard 2 Artboard 5 Artboard 45 Artboard 45 Artboard 22 Artboard 9 Artboard 23 Artboard 17? Artboard 28 Artboard 43 Artboard 49 Artboard 47 Artboard 38 Artboard 32 Artboard 8 Artboard 22 Artboard 5 Artboard 25 Artboard 1 Artboard 42 Artboard 11 Artboard 41 Artboard 13 Artboard 23 Artboard 10 Artboard 4 Artboard 9 Artboard 20 Artboard 6 Artboard 11 Artboard 7 Artboard 3 Artboard 3 Artboard 12 Artboard 25 Artboard 34 Artboard 39 Artboard 24 Artboard 13 Artboard 19 Artboard 7 Artboard 24 Artboard 31 Artboard 4 Artboard 14 Artboard 27 Artboard 30 Artboard 36 Artboard 44 Artboard 12 Artboard 17 Artboard 17 Artboard 6 Artboard 27 Artboard 19 Artboard 30 Artboard 29 Artboard 29 Artboard 26 Artboard 18 Artboard 2 Artboard 20 Artboard 35 Artboard 15 Artboard 14 Artboard 48 Artboard 50 Artboard 26 Artboard 16 Artboard 40 Artboard 21 Artboard 29 Artboard 10 Artboard 37 Artboard 3 Artboard 3 Artboard 46 Artboard 8

Não Conte a Ninguém (Cód: 2746872)

Coben, Harlan

Arqueiro

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 39,90 R$ 23,90 (-40%)
Cartão Saraiva R$ 22,71 (-5%) em até 1x no cartão

Crédito:
Boleto:
Cartão Saraiva:

Total: R$0,00

Em até 1x sem juros de R$ 0,00


Não Conte a Ninguém

R$23,90

Quer comprar em uma loja física? Veja a disponibilidade deste produto

Entregas internacionais: Consulte prazos e valores de entrega para regiões fora do Brasil na página do Carrinho.

ou receba na loja com frete grátis

X
Formas de envio Custo Entrega estimada

* Válido para compras efetuadas em dias úteis até às 15:00, horário de Brasília, com cartão de crédito e aprovadas na primeira tentativa.

X Consulte as lojas participantes

Saraiva MegaStore Shopping Eldorado Av. Rebouças, 3970 - 1º piso - Pinheiros CEP: 05402-600 - São Paulo - SP

Descrição

Há oito anos, enquanto comemoravam o aniversário de seu primeiro beijo, o Dr. David Beck e sua esposa, Elizabeth, sofreram um terrível ataque. Ele foi golpeado e caiu no lago, inconsciente. Ela foi raptada e brutalmente assassinada por um serial killer. O caso volta à tona quando a polícia encontra dois corpos enterrados perto do local do crime, junto com o taco de beisebol usado para nocautear David. Ao mesmo tempo, o médico recebe um misterioso e-mail, que, aparentemente, só pode ter siso enviado por sua esposa. Esses novos fatos fazem ressurgir inúmeras perguntas sem resposta: Como David conseguiu sair do lago? Elizabeth está viva? E, se estiver, de quem era o corpo enterrado oito anos antes? Por que ela demorou tanto para entrar em contato com o marido?

Características

Produto sob encomenda Sim
Editora Arqueiro
Cód. Barras 9788599296516
Altura 21.00 cm
I.S.B.N. 9788599296516
Profundidade 1.80 cm
Acabamento Brochura
Ano da edição 2009
Idioma Português
País de Origem Brasil
Número de Páginas 319
Peso 0.38 Kg
Largura 14.00 cm
AutorCoben, Harlan

Leia um trecho

PARECIA UM SUSSURRO SOMBRIO AO VENTO. Ou talvez um frio na espinha. Alguma coisa. Uma canção etérea que apenas Elizabeth e eu podíamos ouvir. Uma tensão no ar. Alguma premonição. Existem desgraças que quase esperamos na vida – o que aconteceu com meus pais, por exemplo – e existem momentos sombrios, momentos de súbita violência, que mudam tudo. Havia a minha vida antes da tragédia. Existe a minha vida agora. As duas têm dolorosamente pouco em comum. Elizabeth mantinha-se calada durante o passeio ao local de nosso primeiro beijo, mas aquilo não era incomum. Mesmo quando menina, ela possuía esse traço de melancolia. Ficava quieta e mergulhava em uma contemplação ou em um medo profundo, eu nunca sabia qual dos dois. Talvez fosse parte do mistério, acredito, mas pela primeira vez pude sentir o abismo entre nós. Nosso relacionamento havia resistido a muitas barreiras. Eu me perguntava se ele conseguiria sobreviver à verdade. Ou melhor, às mentiras não contadas. O ar-condicionado do carro zunia. O dia estava quente e úmido. Um clima típico de agosto. Cruzamos a Ponte Milford, na altura do Parque Delaware Water Gap, e fomos recepcionados na Pensilvânia por um amistoso cobrador de pedágio. Dezesseis quilômetros adiante, vi numa pedra um aviso que dizia: LAGO CHARMAINE – PROPRIEDADE PARTICULAR. Entrei na estrada de terra. Os pneus quicavam no chão, levantando poeira como um estouro de cavalo árabes. Elizabeth desligou o rádio. Pelo canto do olho, percebi que estava examinando meu perfil. Dois cervos mordiscavam algumas folhas à nossa direita. Eles pararam, olharam para nós, viram que éramos inofensivos e voltaram a comer. Continuei dirigindo até que o lago surgiu à nossa frente. O sol despedia-se de nós, tingindo o céu de púrpura e laranja. As copas das árvores pareciam estar pegando fogo. – Não acredito que vamos continuar fazendo isso – falei. – Foi você quem começou. – Sim, quando tinha 12 anos. Elizabeth deu um sorriso. Não costumava sorrir, mas, quando o fazia, nossa!, atingia em cheio meu coração. – É romântico – insistiu ela. – É brega. Adoro romantismo. – Você adora uma breguice. – E você só pensa em sexo. – Que nada! No fundo, sou um romântico – brinquei. Ela riu e segurou minha mão. – Vamos, seu romântico, está ficando tarde. Lago Charmaine. Meu avô havia inventado esse nome, o que aborrecera minha avó. Ela queria que o lago tivesse o nome dela. Seu nome era Bertha. Lago Bertha. Vovô nem ligava. Ponto para ele. Há uns 50 anos, o lago Charmaine tinha sido uma colônia de férias para meninos ricos. O proprietário falira, de modo que vovô comprou barato o lago e todo o terreno em volta. Ele recuperou a casa do diretor da colônia de férias, mas demoliu quase todas as construções em frente ao lago. Dentro da mata, onde ninguém mais ia, deixou as cabanas dos meninos caírem aos pedaços. Minha irmã Linda e eu costumávamos explorá-las, em busca de velhos tesouros escondidos em suas ruínas, brincando de esconde-esconde e fugindo do bicho-papão que, com certeza, estava nos espreitando. Elizabeth raramente se juntava a nós. Ela gostava de saber onde tudo estava. Brincar de esconder a assustava. Quando saltamos do carro, ouvi os fantasmas. Um monte deles, rodopiando e brigando pela minha atenção. O de meu pai venceu. O silêncio era total, mas eu jurava que conseguia ouvir os gritos de alegria de papai ao mergulhar do píer, os joelhos comprimidos contra o tórax, o riso quase de um louco, a pancada na água – quase um maremoto aos olhos de seu único filho homem. Papai gostava de mergulhar perto da balsa onde mamãe tomava banho de sol. Ela reclamava, mas mal conseguia disfarçar o sorriso. Pisquei, e as imagens sumiram. Mas me lembrei de como o riso, o grito e a pancada na água vibravam e ecoavam na quietude de nosso lago e me perguntei se reverberações e ecos como aqueles chegam a morrer totalmente, se em algum ponto da mata os gritos alegres de meu pai ainda ricocheteavam tranquilamente nas árvores. Pensamento idiota, mas fazer o quê? Lembranças machucam. As boas, mais ainda. – Está tudo bem, Beck? – perguntou Elizabeth. Virei-me para ela: – Vamos dar umazinha, né? – Pervertido. Ela começou a percorrer a trilha, a cabeça erguida, as costas eretas. Observei-a por um segundo, lembrando-me da primeira vez que vira aquele andar. Eu tinha 7 anos e descia a Goodhart Road em minha bicicleta – aquela com o selim alongado e o decalque do Batman. A estrada era íngreme e ampla, perfeita para um piloto de carro de corrida. Eu descia a ladeira sem segurar o guidão, com toda a segurança e coragem de que uma criança de 7 anos é capaz. O vento jogava meu cabelo para trás e fazia meus olhos se encherem de lágrimas. Vi o caminhão de mudança diante da velha casa dos Ruskins, virei e, pela primeira vez, vi minha Elizabeth, andando com a coluna perfeitamente ereta, já aos 7 anos com uma elegância incomum, com sapatos Mary Jane, uma pulseira artesanal e muitas sardas. Encontramo-nos duas semanas depois na turma de segunda série da professora Sobel e, daquele momento em diante – por favor, não riam –, nos tornamo almas gêmeas. Os adultos achavam nosso relacionamento ao mesmo tempo bonitinho e preju dicial – nossa cumplicidade se transformando em afeição adolescente e depois, no ensino médio, num namoro não tão inocente assim. Todos, principalmente Elizabeth, achavam que nos separaríamos quando amadurecêssemos. Nós também. Ambos éramos jovens brilhantes, ótimos alunos, mantendo a razão mesmo diante de um amor irracional. Sabíamos quais eram nossas chances. Mas eis que agora, aos 25 anos de idade, com sete meses de casamento, estávamos de volta ao local onde, aos 12 anos, compartilhamos nosso primeiro beijo. Uma breguice, eu sei. Abrimos caminho por entre os galhos e através da espessa umidade. O cheiro de pinho impregnava o ar. Transpusemos o capim alto. Mosquitos e outros insetos zuniam à nossa volta. Árvores projetavam longas sombras que poderiam ser interpretadas como bem se entendesse, assim como o formato das nuvens ou um teste de Rorschach. Saímos da trilha e abrimos caminho pelo mato mais denso. Elizabeth foi na frente. Segui dois passos atrás, o que, pensando bem, era um gesto quase simbólico. Sempre acreditei que nada poderia nos separar – afinal, nossa história não tinha provado isso? –, mas agora eu conseguia sentir como nunca que a culpa a impelia para longe. Minha culpa. Mais adiante, Elizabeth dobrou à direita, na altura da grande rocha semifálica, e ali, do lado direito, erguia-se nossa árvore. Nossas iniciais estavam gravadas no tronco...

Avaliações

Avaliação geral: 4.9

Você está revisando: Não Conte a Ninguém

Marina Mafra recomendou este produto.
29/05/2017

Maravilhoso!

Coben se supera nas reviravoltas!
Esse comentário foi útil para você? Sim (0) / Não (0)
Leo recomendou este produto.
11/01/2017

Perfeito

Livro excelente, muito suspense do começo ao fim
Esse comentário foi útil para você? Sim (1) / Não (0)
mila recomendou este produto.
22/09/2016

MUITO BOM

LIVRO MARAVILHOSO
Esse comentário foi útil para você? Sim (0) / Não (0)
Luana recomendou este produto.
11/08/2016

Muiitoo bom

Esse foi o primeiro livro que li do Harlan e gostei muitoo, depois desse sempre fico de olho nos livros dele para comprar. Para quem gosta de suspense e mistério super recomendo, não da vontade de parar de ler.
Esse comentário foi útil para você? Sim (3) / Não (1)
Marcus Vinicius recomendou este produto.
03/08/2016

Muito bom!!!

Riqueza nos detalhes e narrativa envolvente, suspense muito bom te deixando na duvida até o fim o que vai realmente acontecer
Esse comentário foi útil para você? Sim (1) / Não (0)
Roo recomendou este produto.
05/02/2016

Roberta Batista Lopes

Muito bom, gstei d mais um suspense que vale a pena ler.
Esse comentário foi útil para você? Sim (0) / Não (0)
Carolina recomendou este produto.
07/12/2015

Instigador e envolvente

Quando você entra na história, sacando as narrativas paralelas não consegue parar de ler. Cada capítulo, a história fica mais enigmática e você quer saber como o desfecho acontece no final. Li em 2 dias.
Esse comentário foi útil para você? Sim (0) / Não (0)
Fernanda recomendou este produto.
24/11/2015

Mistério até o fim. Vale a pena!

Muito bom !
Esse comentário foi útil para você? Sim (0) / Não (0)
Maria Daniela recomendou este produto.
03/11/2015

Muito bom

Livro muito interessante. Leitura envolvente. Vc começa a ler e não consegue parar... Muito bom!!
Esse comentário foi útil para você? Sim (0) / Não (0)
Kenia recomendou este produto.
02/09/2015

Eletrizante!

Simplesmente fantástico! Leitura que prende do início ao fim. Segredos e mais segredos. Quando a gente acha que já descobriu tudo.....
Amei o livro!!!
Esse comentário foi útil para você? Sim (0) / Não (0)
Tácita recomendou este produto.
19/08/2015

Adorei

É o primeiro livro que leio deste autor, mas certamente não será o último. Adorei a maneira que a história de desenrola, de tirar o fôlego!
Esse comentário foi útil para você? Sim (2) / Não (0)
Jaque recomendou este produto.
04/09/2014

Perfeito!

O livro é maravilhoso! Harlan Coben é o melhor autor que existe.
Esse comentário foi útil para você? Sim (1) / Não (1)
Paula Irineu recomendou este produto.
04/08/2014

Envolvente

Livro maravilho Harlan Coben esta de parabéns, recomendo. Envolvente, bem escrito, inesperado.
Esse comentário foi útil para você? Sim (1) / Não (1)
Mari recomendou este produto.
04/07/2014

Bom!

História muito envolvente, te prende do começo ao fim. Esse autor é ótimo.
Esse comentário foi útil para você? Sim (10) / Não (1)
zoe reis recomendou este produto.
04/07/2014

Maravilhoso!!!

Harlan sempre surpreendendo os leitores. Amei, recomendo bastante.
Esse comentário foi útil para você? Sim (3) / Não (1)
DrPedroH recomendou este produto.
04/03/2014

Sensacional!!!

Uma das melhores obras que tive o privilegio de ler.
Esse comentário foi útil para você? Sim (17) / Não (3)
Kaka recomendou este produto.
04/01/2014

Muito bom

O livro é muito interessante,li em um dia porque me envolvi muito com a estória e queria saber o final por causa do suspense do livro....adorei
Esse comentário foi útil para você? Sim (32) / Não (2)