Artboard 33 Artboard 16 Artboard 18 Artboard 42 Artboard 21 Artboard 5 Artboard 45 Artboard 22 Artboard 42 Artboard 23 Artboard 17? Artboard 28 Artboard 43 Artboard 49 Artboard 47 Artboard 38 Artboard 32 Artboard 22 Artboard 5 Artboard 25 Artboard 1 Artboard 42 Artboard 11 Artboard 41 Artboard 23 Artboard 4 Artboard 9 Artboard 6 Artboard 7 Artboard 3 Artboard 12 Artboard 25 Artboard 34 Artboard 43 Artboard 44 Artboard 39 Artboard 24 Artboard 13 Artboard 24 Artboard 31 Artboard 27 Artboard 30 Artboard 36 Artboard 44 Artboard 17 Artboard 6 Artboard 27 Artboard 30 Artboard 29 Artboard 26 Artboard 2 Artboard 20 Artboard 35 Artboard 15 Artboard 14 Artboard 50 Artboard 26 Artboard 40 Artboard 21 Artboard 10 Artboard 37 Artboard 46 Artboard 8

Novo Direito Processual Civil Brasileiro, o – 2017 (Cód: 9901554)

Coelho Da Silva Filho, Arnaldo

Lumen Juris

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 135,00

em até 4x de R$ 33,75 sem juros
Cartão Saraiva: 1x de R$ 128,25 (-5%)

Total:

Em até 1x sem juros de


Crédito:
Boleto:
Cartão Saraiva:

Total:

Em até 4x sem juros de


Novo Direito Processual Civil Brasileiro, o – 2017

R$135,00

Quer comprar em uma loja física? Veja a disponibilidade deste produto

Entregas internacionais: Consulte prazos e valores de entrega para regiões fora do Brasil na página do Carrinho.

ou receba na loja com frete grátis

X
Formas de envio Custo Entrega estimada

* Válido para compras efetuadas em dias úteis até às 15:00, horário de Brasília, com cartão de crédito e aprovadas na primeira tentativa.

X Consulte as lojas participantes

Saraiva MegaStore Shopping Eldorado Av. Rebouças, 3970 - 1º piso - Pinheiros CEP: 05402-600 - São Paulo - SP

Descrição

Conheci o professor Rocha, pessoalmente, quando a Universidade de Fortaleza (UNIFOR/CE) decidiu implementar um Curso de Mestrado em Direito Constitucional. Antes, eu já o conhecia pelos comentários do meu irmão, José Adônis, que havia sido seu aluno na graduação e no mestrado em Direito da Universidade Federal do Ceará (UFC), oportunidade na qual se tornaram grandes amigos.
O conhecia, também, nas palavras amorosas de sua irmã e fã, a Profª. Tereza Rocha, minha colega de Magistério na Universidade Estadual do Ceará (UECE) e, finalmente, eu o conhecia pela sua obra jurídica. Muito mais pelos comentários que, inevitalmente, permeiam as conversas quando se reúnem profissionais do Direito, em que passei a ser audiente diário desde que, aposentada da UECE, ingressei como professora do curso de Direito da UNIFOR, ele já era admirado pela sua altivez enquanto juiz e, muitas vezes, criticado por seus colegas que toleravam bem as incongruências do Judiciário.
Deslocada para ministrar disciplinas no Mestrado e Doutorado da UNIFOR, tive a honra de, inicialmente, dividir o gabinete com ele. Aparentemente um homem frágil, doce e risonho, aparências que escondiam o homem forte, determinado e inteligente de olhos perspicazes próprios das pessoas muito inteligentes, alcançamos uma amizade instantânea, comunhão de ideias e ideais.
O fato de eu ser irmã do seu grande amigo José Adônis, eu acredito, tenha sido o elemento que mais pesou no crescimento da nossa amizade, Rochinha gostava de música, de literatura, de poesia, e media um pouco o grau de confiabilidade e decência das pessoas pela sinceridade de suas ações e do intelecto. Eu, irmã de Adônis, e gostando das mesmas coisas, foi um passo para o crescimento de nossa amizade séria e confiável.
Reformada a Constituição da República Federativa do Brasil, de 1988, pela Emenda Constitucional de nº. 45, o Prof. Rocha, que era um grande defensor do Controle do Judiciário, exultou-se com a criação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Na segunda composição do Conselho, José Adônis, na qualidade de Membro do Ministério Público Federal, foi convocado a compor o quadro de seus membros na vaga destinada ao Ministério Público. A escolha deixou o Prof. Rocha muito feliz, e ele acreditava que o seu amigo faria um bom trabalho. E fez.
Nos reunimos e montamos um grupo de pesquisas para estudar o Conselho Nacional de Justiça, que foi muito profícuo, e desse grupo saíram dissertações, teses, artigos científicos e monografias. O grupo funcionava às mil maravilhas, e quando minha filha Tânia Calou, à época, ainda na graduação, tornou-se bolsista de iniciação à pesquisa, orientada pelo Prof. Rocha, o circulo de amizades cresceu.
O Prof. Rocha decidiu fazer mais um pós-doutorado, pesquisando o CNJ, em Piza, na Itália, e já no fim dos seis meses adoeceu e veio embora, e essa doença foi fatal. Prossegui com nosso projeto e, como ele pensava, organizarmos esse compêndio em sua homenagem.
Rochinha não morreu porque seus ensinamentos permanecem sendo estudados, seu exemplo continua a ser seguido por todos quantos o admiravam, sua lembrava e a sua amizade continuam em nossas almas.

Profª. Drª. Maria Lírida Calou de Araújo e Mendonça
Professora titular do Programa de Pós-graduação em Direito Constitucional da Universidade de Fortaleza (UNIFOR/CE).

Características

Peso 0.57 Kg
Produto sob encomenda Não
Editora Lumen Juris
I.S.B.N. 9788551902943
Altura 21.00 cm
Largura 14.00 cm
Profundidade 1.20 cm
Número de Páginas 400
Idioma Português
Acabamento Brochura
Cód. Barras 9788551902943
Número da edição 1
Ano da edição 2017
AutorCoelho Da Silva Filho, Arnaldo