Artboard 33atençãoArtboard 18atualizarconectividadeArtboard 42boletocarrinhocartãoArtboard 45cartão SaraivacelularArtboard 42Artboard 23checkArtboard 28Artboard 17?compararcompartilharcompartilhar ativoArtboard 28Artboard 43Artboard 49Artboard 47Artboard 15Artboard 32ebookArtboard 22Artboard 5Artboard 25Artboard 1Artboard 42Artboard 11fecharfilmesArtboard 23gamesArtboard 4Artboard 9Artboard 6hqimportadosinformáticaArtboard 7Artboard 3Artboard 12Artboard 25Artboard 34Artboard 43Artboard 44curtirArtboard 24Artboard 13livrosArtboard 24Artboard 31menumúsicaArtboard 27Artboard 30Artboard 36Artboard 44outrospapelariaArtboard 17Artboard 6Artboard 27Artboard 30Artboard 29Artboard 26Artboard 2Artboard 20Artboard 35estrelaestrela ativorelógiobuscaArtboard 50Artboard 26toda saraivaArtboard 40Artboard 21Artboard 10Artboard 37usuárioArtboard 46Artboard 33Artboard 8seta

O Diário de Um Mago (Cód: 3892308)

Coelho, Paulo

Sextante / Gmt

Vendido e entregue por Saraiva

Este produto está temporariamente indisponível no site, mas não se preocupe, você pode reservá-lo para retirada em uma loja física!

Reserve seu produto na loja para retirada em até 1 hora.
Ops! Este produto está temporariamente indisponível. Mas não se preocupe, nós avisamos quando ele chegar.
Ops! Este produto está temporariamente indisponível. Mas não se preocupe, nós avisamos quando ele chegar.

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

De: R$ 29,90

Por: R$ 23,90

em até 1x de R$ 23,90 sem juros
Cartão Saraiva: 1x de R$ 22,71 (-5%)

Total:

Em até 1x sem juros de


Crédito:
Boleto:
Cartão Saraiva:

Total:

Em até 1x sem juros de


O Diário de Um Mago

R$23,90

Descrição

O diário de um mago preparou o caminho para o sucesso internacional do livro O alquimista, de Paulo Coelho. Em muitas maneiras, esses dois livros estão conectados – para realmente compreender um, você precisa ler o outro. Mergulhe dentro desse cativante relato da peregrinação de Paulo Coelho pelo Caminho de Santiago de Compostela. Essa fascinante parábola explora a necessidade que temos de encontrar nosso próprio caminho. No final, descobrimos que o extraordinário está sempre presente na vida simples e normal das pessoas comuns. Parte uma história de aventura, parte um guia para o autodescobrimento, essa narrativa apaixonante entrega a perfeita combinação entre encanto e discernimento.

Características

Produto sob encomenda Não
Editora Sextante / Gmt
Cód. Barras 9788575427620
Altura 21.00 cm
I.S.B.N. 9788575427620
Profundidade 1.00 cm
Acabamento Brochura
Número da edição 1
Ano da edição 2011
Idioma Português
País de Origem Brasil
Número de Páginas 240
Peso 0.20 Kg
Largura 14.00 cm
AutorCoelho, Paulo

Leia um trecho

O fiscal da aduana olhou longamente a espada que minha mulher trazia, perguntando o que pretendíamos fazer com aquilo. Eu disse que um amigo nosso ia avaliá-la para colocarmos em leilão. A mentira deu resultado; o homem nos deu uma declaração de que havíamos entrado com a espada pelo aeroporto de Bajadas e avisou que, se houvesse problemas em retirá-la do país, bastava mostrar aquele papel na alfândega. Fomos até o balcão da locadora e confirmamos a reserva de dois automóveis. Pegamos os tíquetes e fomos comer alguma coisa no restaurante do aeroporto, antes de nos despedirmos. Eu tinha passado uma noite insone no avião – mistura de medo de voar com medo do que iria acontecer dali para a frente –, mas mesmo assim estava excitado e desperto. – Não se preocupe – disse ela pela milésima vez. – Você deve ir até a França e, em Saint-Jean-Pied-de-Port, procurar por Mme. Lourdes. Ela vai colocá-lo em contato com alguém que irá guiá-lo pelo Caminho de Santiago. – E você? – perguntei também pela milésima vez, já sabendo a resposta. – Vou até onde tenho que ir, deixar o que me foi confiado. Depois fico em Madri alguns dias e volto para o Brasil. Sou capaz de dirigir nossas coisas tão bem quanto você. – Isso eu sei – respondi, querendo evitar o assunto. Minha preocupação com negócios que havia deixado no Brasil era enorme. Aprendi o necessário sobre o Caminho de Santiago nos quinze dias que se seguiram ao incidente nas Agulhas Negras, mas tinha demorado quase sete meses para decidir largar tudo e fazer a viagem. Até que, certa manhã, minha mulher me dissera que a hora e a data se aproximavam e que, se eu não tomasse uma decisão, devia esquecer para sempre o caminho da Magia e a Ordem de RAM. Tentei mostrar a ela que o Mestre me dera uma tarefa impossível, já que eu não podia simplesmente sacudir dos ombros a responsabilidade do trabalho diário que eu tinha. Ela riu e disse que eu estava dando uma desculpa tola, pois naqueles sete meses eu pouco tinha feito além de ficar noite e dia me perguntando se devia ou não viajar. E, no gesto mais natural do mundo, me estendeu as duas passagens já com a data do voo marcada.