Artboard 33 Artboard 16 Artboard 18 Artboard 15 Artboard 21 Artboard 1 Artboard 2 Artboard 5 Artboard 45 Artboard 45 Artboard 22 Artboard 9 Artboard 23 Artboard 17? Artboard 28 Artboard 43 Artboard 49 Artboard 47 Artboard 38 Artboard 32 Artboard 8 Artboard 22 Artboard 5 Artboard 25 Artboard 1 Artboard 42 Artboard 11 Artboard 41 Artboard 13 Artboard 23 Artboard 10 Artboard 4 Artboard 9 Artboard 20 Artboard 6 Artboard 11 Artboard 7 Artboard 3 Artboard 3 Artboard 12 Artboard 25 Artboard 34 Artboard 39 Artboard 24 Artboard 13 Artboard 19 Artboard 7 Artboard 24 Artboard 31 Artboard 4 Artboard 14 Artboard 27 Artboard 30 Artboard 36 Artboard 44 Artboard 12 Artboard 17 Artboard 17 Artboard 6 Artboard 27 Artboard 19 Artboard 30 Artboard 29 Artboard 29 Artboard 26 Artboard 18 Artboard 2 Artboard 20 Artboard 35 Artboard 15 Artboard 14 Artboard 48 Artboard 50 Artboard 26 Artboard 16 Artboard 40 Artboard 21 Artboard 29 Artboard 10 Artboard 37 Artboard 3 Artboard 3 Artboard 46 Artboard 8

O Diário do Che na Bolívia (Cód: 405148)

Guevara, Ernesto Che

Record

Ooopss! Este produto está temporariamente indisponível.
Mas não se preocupe, nós avisamos quando ele chegar.

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 49,90
Cartão Saraiva R$ 47,41 (-5%) em até 1x no cartão ou em até 2x de R$ 24,95 sem juros

Crédito:
Boleto:
Cartão Saraiva:

Total: R$0,00

Em até 1x sem juros de R$ 0,00


O Diário do Che na Bolívia

R$49,90

Descrição

O homem comum pode ser objeto de biografias. Aqueles que Hegel chamou de “indivíduos cósmico-históricos” se fundem completamente com a história de seu tempo e não podem ser abarcados em biografias, por mais volumosas que sejam. Che Guevara é uma dessas pessoas. Neste O Diário Do Che Na Bolívia estão contidas as anotações de onze meses — de novembro de 1996 a outubro de 1967 — desde que chegou à Bolívia até a sua morte. Depois do triunfo em Cuba, do começo da construção do socialismo na Ilha e da viagem à África, ele volta “para a estrada com o escudo no braço”, como escreveu em carta de despedida a seus pais. Ele partia não para tentar uma revolução na Bolívia, mas para buscar uma articulação, a partir daquele país, das forças revolucionárias que já atuavam na Venezuela, na Colômbia, no Peru, na Argentina, no Brasil e no Uruguai, fazendo de sua gesta o epicentro de uma força continental, ao estilo daquela que havia libertado o continente da exploração colonial um século e meio antes.
Vitorioso, se tornaria um novo Bolívar. Derrotado, foi relegado a “aventureiro”, como ele mesmo previa: “Muitos me chamarão de aventureiro, e o sou, mas de um tipo diferente, sou daqueles que colocam a vida em jogo para demonstrar as suas verdades. ”

Características

Peso 0.47 Kg
Produto sob encomenda Sim
Editora Record
I.S.B.N. 8501050644
Altura 22.80 cm
Largura 15.60 cm
Profundidade 1.40 cm
Número de Páginas 270
Idioma Português
Acabamento Brochura
Cód. Barras 9788501050649
Ano da edição 1997
AutorGuevara, Ernesto Che