Artboard 33 Artboard 16 Artboard 18 Artboard 15 Artboard 21 Artboard 1 Artboard 2 Artboard 5 Artboard 45 Artboard 45 Artboard 22 Artboard 9 Artboard 23 Artboard 17? Artboard 28 Artboard 43 Artboard 49 Artboard 47 Artboard 38 Artboard 32 Artboard 8 Artboard 22 Artboard 5 Artboard 25 Artboard 1 Artboard 42 Artboard 11 Artboard 41 Artboard 13 Artboard 23 Artboard 10 Artboard 4 Artboard 9 Artboard 20 Artboard 6 Artboard 11 Artboard 7 Artboard 3 Artboard 3 Artboard 12 Artboard 25 Artboard 34 Artboard 39 Artboard 24 Artboard 13 Artboard 19 Artboard 7 Artboard 24 Artboard 31 Artboard 4 Artboard 14 Artboard 27 Artboard 30 Artboard 36 Artboard 44 Artboard 12 Artboard 17 Artboard 17 Artboard 6 Artboard 27 Artboard 19 Artboard 30 Artboard 29 Artboard 29 Artboard 26 Artboard 18 Artboard 2 Artboard 20 Artboard 35 Artboard 15 Artboard 14 Artboard 48 Artboard 50 Artboard 26 Artboard 16 Artboard 40 Artboard 21 Artboard 29 Artboard 10 Artboard 37 Artboard 3 Artboard 3 Artboard 46 Artboard 8

O Direito de Pertencer A Si Mesmo (Cód: 9360126)

Lumen Juris

Ooopss! Este produto está temporariamente indisponível.
Mas não se preocupe, nós avisamos quando ele chegar.

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 90,00 R$ 65,30 (-27%) em até 2x de R$ 32,65 sem juros
Cartão Saraiva R$ 62,04 (-5%) em até 1x no cartão ou em até 3x de R$ 21,77 sem juros

Crédito:
Boleto:
Cartão Saraiva:

Total: R$0,00

Em até 2x sem juros de R$ 0,00


O Direito de Pertencer A Si Mesmo

R$65,30

Descrição

A transexualidade já é uma realidade no mundo a ocupar um relevante espaço em um contexto bioético, jurídico e social. Muito embora o estudo sobre o tema tenha crescido timidamente no Brasil, em razão da luta pelo reconhecimento social e jurídico, por parte de grupos como o LGBT, ainda se está longe de uma evolução e esclarecimento à sociedade de forma satisfatória acerca da transexualidade, uma vez que grande parte da população brasileira sequer sabe a diferença entre gênero, sexualidade e sexo. Infelizmente, os transexuais ainda enfrentam o dissabor de passar pela inconveniência de ter sua condição pessoal como um dado patológico, nas listas internacionais de doenças, o que é inconcebível. A situação é ainda mais alarmante quando se leva em consideração vivermos em um mundo em que a liberdade e a autonomia do indivíduo, como direitos da personalidade, devem ser respeitadas irrestritamente, o que nunca é um preço caro demais, em razão da garantia de pertencer a si mesmo, seja você quem for. De fato, falta reconhecimento pleno aos transexuais, e por isso necessário é verificar que cabe à sociedade entender do que se trata a transexualidade, aceitando-a como realidade contemporânea, e ao judiciário a tarefa de efetivar e proteger os direitos dos transexuais que, por um preconceito incabível, são colocados à margem da sociedade e do ordenamento jurídico pela falta de normatividade específica que os proteja de moralismos sociais destrutivos. A diferença entre os indivíduos, seja sobre seu gênero, seja sobre sua sexualidade, deve ser sempre respeitada. É legal ser transexual, seja em seu aspecto jurídico ou social, pois pertencer a si mesmo é uma resiliência que deve prevalecer acima de qualquer mal. Aprenda, pesquise, pense, quebre preconceitos!

Características

Produto sob encomenda Não
Editora Lumen Juris
Cód. Barras 9788584405794
Altura 21.00 cm
I.S.B.N. 9788584405794
Profundidade 1.00 cm
Acabamento Brochura
Sub-Título A Despatologização Do Transexualismo E Sua Regulamentação Jurídica Como Um Direito Fundamental Ao Gênero
Número da edição 1
Ano da edição 2016
Idioma Português
País de Origem Brasil
Número de Páginas 275
Peso 0.34 Kg
Largura 14.00 cm

Avaliações

Avaliação geral: 0

Você está revisando: O Direito de Pertencer A Si Mesmo