Artboard 33 Artboard 16 Artboard 18 Artboard 15 Artboard 21 Artboard 1 Artboard 2 Artboard 5 Artboard 45 Artboard 45 Artboard 22 Artboard 9 Artboard 23 Artboard 17? Artboard 28 Artboard 43 Artboard 49 Artboard 47 Artboard 38 Artboard 32 Artboard 8 Artboard 22 Artboard 5 Artboard 25 Artboard 1 Artboard 42 Artboard 11 Artboard 41 Artboard 13 Artboard 23 Artboard 10 Artboard 4 Artboard 9 Artboard 20 Artboard 6 Artboard 11 Artboard 7 Artboard 3 Artboard 3 Artboard 12 Artboard 25 Artboard 34 Artboard 39 Artboard 24 Artboard 13 Artboard 19 Artboard 7 Artboard 24 Artboard 31 Artboard 4 Artboard 14 Artboard 27 Artboard 30 Artboard 36 Artboard 44 Artboard 12 Artboard 17 Artboard 17 Artboard 6 Artboard 27 Artboard 19 Artboard 30 Artboard 29 Artboard 29 Artboard 26 Artboard 18 Artboard 2 Artboard 20 Artboard 35 Artboard 15 Artboard 14 Artboard 48 Artboard 50 Artboard 26 Artboard 16 Artboard 40 Artboard 21 Artboard 29 Artboard 10 Artboard 37 Artboard 3 Artboard 3 Artboard 46 Artboard 8

Símon Bolívar Por Karl Marx - Col. Dialética (Cód: 2587775)

Marx, Karl

Martins Editora

Ooopss! Este produto está temporariamente indisponível.
Mas não se preocupe, nós avisamos quando ele chegar.

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 28,00
Cartão Saraiva R$ 26,60 (-5%) em até 1x no cartão

Crédito:
Boleto:
Cartão Saraiva:

Total: R$0,00

Em até 1x sem juros de R$ 0,00


Símon Bolívar Por Karl Marx - Col. Dialética

R$28,00

Descrição

“Libertador” ou ditador obscurantista? É com uma descrição de “personagem medíocre e grotesco” a representar papel de herói que Marx compõe este seu ensaio sobre Simón Bolívar. “Foi o acaso, sem dúvida, que levou Marx à redação de seu artigo sobre Bolívar. Contratado em 1857 por Charles Dana, diretor do New York Daily Tribune, para colaborar sobre temas de história militar, biografias e outros assuntos variados na New American Cyclopaedia que o editor vinha preparando, Marx dividiu o trabalho com Engels, e quis a sorte que lhe coubesse redigir o verbete sobre Bolívar. O resultado das leituras efetuadas para a redação desse verbete foi um sentimento tão acentuado de aversão pelo personagem, que ele não conseguiu deixar de dar um tom surpreendentemente preconceituoso a seu trabalho. Diante dos reparos lógicos feitos por Dana a um texto que se afastava da linguagem imparcial que caracterizava esse tipo de publicação, Marx admitiu, numa carta a Engels, que havia saído um pouco do tom enciclopedístico, mas que ‘seria ultrapassar os limites querer apresentar como Napoleão I o mais covarde, brutal e miserável dos canalhas’.” (José Aricó).
Os fatos arrolados por Marx e narrados de forma dinâmica e conseqüente são históricos, mas terá Bolívar servido à democracia e ao antiimperialismo? Cabe seu retrato entre os estudantes e os operários de Caracas hoje? Este texto de Marx, descoberto em 1935, é publicado pela primeira vez no Brasil.

Características

Peso 0.17 Kg
Produto sob encomenda Não
Editora Martins Editora
I.S.B.N. 9788561635008
Altura 21.00 cm
Largura 14.00 cm
Profundidade 0.00 cm
Número de Páginas 80
Idioma Português
Detalhe Tradução de Vera Ribeiro
Cód. Barras 9788561635008
Número da edição 1
Ano da edição 2008
País de Origem Brasil
AutorMarx, Karl