Artboard 33 Artboard 16 Artboard 18 Artboard 15 Artboard 21 Artboard 1 Artboard 2 Artboard 5 Artboard 45 Artboard 45 Artboard 22 Artboard 9 Artboard 23 Artboard 17? Artboard 28 Artboard 43 Artboard 49 Artboard 47 Artboard 38 Artboard 32 Artboard 8 Artboard 22 Artboard 5 Artboard 25 Artboard 1 Artboard 42 Artboard 11 Artboard 41 Artboard 13 Artboard 23 Artboard 10 Artboard 4 Artboard 9 Artboard 20 Artboard 6 Artboard 11 Artboard 7 Artboard 3 Artboard 3 Artboard 12 Artboard 25 Artboard 34 Artboard 39 Artboard 24 Artboard 13 Artboard 19 Artboard 7 Artboard 24 Artboard 31 Artboard 4 Artboard 14 Artboard 27 Artboard 30 Artboard 36 Artboard 44 Artboard 12 Artboard 17 Artboard 17 Artboard 6 Artboard 27 Artboard 19 Artboard 30 Artboard 29 Artboard 29 Artboard 26 Artboard 18 Artboard 2 Artboard 20 Artboard 35 Artboard 15 Artboard 14 Artboard 48 Artboard 50 Artboard 26 Artboard 16 Artboard 40 Artboard 21 Artboard 29 Artboard 10 Artboard 37 Artboard 3 Artboard 3 Artboard 46 Artboard 8
Promoção Visa Checkout

Vitória (Cód: 4237766)

Conrad, Joseph

Revan

Ooopss! Este produto está temporariamente indisponível.
Mas não se preocupe, nós avisamos quando ele chegar.

Ooops! Este produto não está mais a venda.
Mas não se preocupe, temos uma versão atualizada para você.

Ooopss! Este produto está fora de linha, mas temos outras opções para você.
Veja nossas sugestões abaixo!

R$ 55,00
Cartão Saraiva R$ 52,25 (-5%) em até 1x no cartão ou em até 2x de R$ 27,50 sem juros

Crédito:
Boleto:
Cartão Saraiva:

Total: R$0,00

Em até 1x sem juros de R$ 0,00


Vitória

R$55,00

Descrição

O título não tem motivações bélicas. O próprio Joseph Conrad deixa isso claro em sua nota à primeira edição. Em tempos de guerra, as mentes abrem-se a sugestões e as palavras muitas vezes acabam tomando um caminho certeiro que pode não corresponder às intenções do autor. Não que ele tenha esse controle em tempos de paz. O livro ganha sentido na cabeça do leitor, e aí o autor nunca poderá intervir. O autor, de certo modo, será sempre refém do que escreve, mas isso não o impede de traçar um limite aqui e ali. Publicado em 1915, no primeiro ano da I Grande Guerra, Vitória trata da tragédia que é não conseguir se encontrar no mundo e dele não poder escapar. Axel Heyst é um europeu, de origem nórdica, não o primeiro entre os personagens de Conrad que escolhe o isolamento de uma ilha nos mares do sul da Ásia após o fracasso de um empreendimento comercial, no qual se envolvera mais por acaso do que por vontade. De passagem por uma cidade próxima, vê Lena, a violinista inglesa de um grupo de músicos viajantes. Sente-se atraído e impelido a protegê-la. O conflito virá na forma de Schomberg, dono do hotel onde Lena e Heyst se conheceram, e de Mr. Jones e de seus auxiliares, Martin Ricardo e Pedro. Os três são desperadoes, errantes em busca de dinheiro fácil. Jones, cavalheiro inglês de estranha espécie; Ricardo, servil, mas dado a idéias; e Pedro, o bruto, simplesmente. As primeiras resenhas de Victory apontaram um tom melodramático na história, mas o melodrama em Conrad é conseqüência da descida ao abandono de cada um. Parece que, em algum momento, todos tiveram de optar por algum tipo de afastamento e uma comunhão de renegados se fez, dividida em compaixão e esperança, de uns, e astúcia e malícia, de outros. A última edição brasileira de Vitória saiu em 1986. Esta é a 12ª obra de Joseph Conrad publicada pela Revan.

Características

Produto sob encomenda Não
Editora Revan
Cód. Barras 9788571064003
Altura 21.00 cm
I.S.B.N. 9788571064003
Profundidade 1.00 cm
Acabamento Brochura
Ano da edição 2009
Idioma Português
Número de Páginas 376
Peso 0.44 Kg
Largura 14.00 cm
AutorConrad, Joseph